COBERTURA ESPECIAL - Expansão Chinesa - Geopolítica

22 de Maio, 2015 - 15:30 ( Brasília )

Marinha chinesa faz alerta a aeronave P8-A Poseidon dos EUA no Mar do Sul da China


English version: South China Sea: China “Warns Away” Routine U.S. Maritime Surveillance Aircraft Mission

A Marinha chinesa alertou uma aeronave de vigilância norte-americana que voava sobre ilhas artificiais construídas por Pequim no disputado Mar da China Meridional para deixar a área oito vezes, de acordo com a CNN, que estava a bordo do voo na quarta-feira.

Em um momento, após os pilotos norte-americanos responderem dizendo que estavam voando em espaço aéreo internacional, um operador de rádio chinês disse exaltado: "Aqui é a Marinha chinesa... Você sai!". O P8-A Poseidon, aeronave de vigilância mais avançada da Marinha dos EUA, voou a 4.500 metros em seus pontos mais baixos, relatou a CNN.

O incidente, junto com os alertas recentes chineses a aeronave militar das Filipinas para deixar uma área do arquipélago Spratly, no Mar da China Meridional, sugere que Pequim está tentando impor uma zona de exclusão militar em suas novas ilhas.

Alguns especialistas de segurança temem sobre o risco de confronto, especialmente após uma autoridade norte-americana dizer na semana passada que o Pentágono estava considerando enviar aeronaves e navios militares para manter a liberdade de navegação em volta das ilhas feitas pela China.

Um porta-voz para o Ministério das Relações Exteriores da China disse que não estava ciente do incidente. "A China possui o direito de se envolver no monitoramento nos espaços aéreos e marítimos relevantes para proteger a soberania e evitar acidentes no mar", disse o porta-voz do Ministério Hong Lei.

Imagens feitas pelo P8-A Poseidon e transmitidas pela CNN mostraram uma multidão na construção nas novas ilhas, assim como navios da Marinha chinesa próximos. A CNN informou que foi a primeira vez que o Pentágono teve vídeos oficialmente declarados das construções chinesas e áudios de confronto à aeronave norte-americana.

China exige que Japão mantenha distância do imperialismo militar¹

A esposa do premiê japonês, Shinzo Abe, Akie Abe homenageou ontem (21) o Santuário Yashukuni. Quanto a isso, o porta-voz da Chancelaria chinesa, Hong Lei, afirmou na coletiva à imprensa realizada hoje, que a posição chinesa sobre os problemas históricos é clara e firme.

Ele referiu que a China urge novamente que a parte japonesa faça uma retrospectiva da história acerca da invasão e mantenha a sua distância do imperialismo, com o objectivo de alcançar a confiança dos países vizinhos.

Segundo se informou, Akie Abe publicou uma mensagem no Facebook, declarado a sua visita e homenagem ao Santuário Yashukuni, que acolhe as placas dos criminosos de guerra na Segunda Guerra Mundial. Em abril de 2014, ela ainda visitou, juntamente com o seu marido, o Templo Meiji Jingu.

¹Com CRI - China Radio International
 

Includes video:

http://www.cnn.com/2015/05/20/politics/south-china-sea-navy-flight/