COBERTURA ESPECIAL - Brasil - EUA - Aviação

05 de Abril, 2013 - 00:50 ( Brasília )

DID - FAB investiu 9,5 bilhões na indústria nacional nos últimos dez anos

De acordo com o coronel-aviador Paulo Roberto de Barros Châ, parceria entre setores produtivos, universidades e FAB contribuirá para criação de novas tecnologias

 

Flávia Dias,
Agência Indusnet Fiesp

 

Reaparelhamento da Força Aérea Brasileira (FAB) e aquisição de novos equipamentos. Estes foram os principais temas do painel da manhã desta quinta-feira (04/04) apresentado pelo coronel-aviador Paulo Roberto de Barros Châ, chefe da divisão de coordenação de projetos da Comissão Coordenadora do Programa Aeronave de Combate (COPAC).

O oficial da Aeronáutica foi um dos convidados do seminário Defense Industry Day (DID), evento em andamento na sede da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (FIESP)

Para Barros Châ, a troca de informação entre os setores produtivos, universidades e a FAB contribuirá para criação de equipamentos que atendam às necessidades da força aérea nacional. De acordo com o chefe da divisão de coordenação da Copac, o setor investiu R$ 9,5 bilhões na indústria nacional nos últimos dez anos.

“Precisamos capacitar a indústria nacional de material de defesa para que possamos conquistar autonomia em tecnologias. Temos que buscar parcerias com outros países com o propósito de desenvolver a capacitação tecnológica e a fabricação de produtos de defesa nacionais”, afirmou o representante da FAB.

De acordo com o coronel-aviador, antes da compra de um novo equipamento, a FAB realiza um estudo que abrange desde a sua utilização até o descarte do material: “Antes de adquirir uma aeronave, a FAB faz uma analise do ciclo de vida e de sistema destes materiais, desde a sua utilização em curto prazo até a desativação desta plataforma”.

Além disso, o chefe da divisão de coordenação da Copac apresentou os três pilares do projeto de modernização da FAB: a reorganização das Forças Armadas; a reestruturação da indústria de material de defesa; e a política de recomposição das Forças Armadas.

Entre as ações, Barros Châ destacou a criação da aeronave KC-390, utilizada para o transporte tático/logístico da FAB e, também para o reabastecimento de outros aviões em voo. “Para nós, da Força Aérea Brasileira, é um orgulho esta aeronave”, disse