COBERTURA ESPECIAL - Brasil - Rússia - Geopolítica

28 de Fevereiro, 2013 - 12:50 ( Brasília )

Entrevista de Dmitri Medvedev à TV Globo


Vyacheslav Ossipov


O primeiro-ministro da Federação Russa, Dmitri Medvedev, que visitou há pouco o Brasil, acha que este país tem grandes semelhanças com a Rússia. Medvedev concedeu uma entrevista à TV Globo, chegando a afirmar que a Rússia e o Brasil são aliados naturais.

“Um dos seus dirigentes teve toda a razão ao afirmar que o Brasil é uma Rússia tropical. Realmente, somos dois países semelhantes. Temos uma história rica, uma composição étnica e confessional complexa. Somos dois enormes mercados em vias de desenvolvimento. Muita coisa neste mundo depende do êxito do desenvolvimento de nossas economias. Apesar das enormes distâncias, os nossos países, nossos povos e a nossa gente sentiram durante séculos simpatia um em relação ao outro.”

Ao responder à pergunta se a Rússia está pronta a admitir que os homens de negócios brasileiros tenham acesso a tecnologias da indústria militar e aos respetivos métodos de treinamento, Medvedev propôs aos empresários brasileiros criar empresas conjuntas com parceiros russos.

“Com efeito, as nossas relações, incluindo as relações na esfera de cooperação técnico-militar, são bastante avançadas. Se os nossos parceiros brasileiros têm algumas ideias a este respeito, estamos prontos a analisá-las. No mercado de armamentos a Rússia é um dos jogadores básicos. Se desenvolvermos a cooperação em qualquer esfera, incluindo a esfera técnico-militar, estaremos prontos a compartilhar as tecnologias, mas este processo deve ser mutuamente vantajoso. Não vale a pena entregar a tecnologia e perder o dinheiro. Esta via é incorreta. Mas existem empresas conjuntas que podem ser úteis para ambos os países. Isto é normal. Neste caso temos proveito com a utilização conjunta de certos produtos.”

O primeiro-ministro russo reconheceu a justeza de certas observações críticas a respeito do acesso de investimentos estrangeiros e dependência da economia russa em relação à exportação do petróleo e gás.

“Esta situação não é crítica mas para nós ela é complicada. Atualmente o petróleo e o gás respondem por cerca de 50% do total da receita pública. Esta dependência é grande e nós tomamos medidas com vista a fazer que o petróleo e o gás garantam apenas um quarto do orçamento. Quanto à burocracia, este problema não é exclusivamente russo e, embora o nível da burocracia na tomada de decisões seja grande, nós temos tomado medidas extraordinárias. Recentemente adotamos leis e regras especiais, na base das quais o mundo de negócios irá trabalhar com a alfândega e outras estruturas. Estas regras permitirão ao pequeno e médio empresariado trabalhar mais livremente. Portanto, admitimos as críticas e reagimos a elas, mas este não é de maneira nenhuma um motivo para afirmar: o mercado russo é mau e nós não vamos trabalhar neste mercado.”

Durante o encontro com os homens de negócios brasileiros, Dmitri Medvedev disse o seguinte:

“Venham e trabalhem no mercado russo, vamos recebê-los com prazer. O nosso mercado é grande. É preciso não somente que nossos países forceçam certos produtos, por exemplo, nós fornecemos adubos a vocês e vocês nos fornecem carne. É preciso buscar novas formas de cooperação, é preciso fazer investimentos mútuos. O Brasil é uma grande potência agrícola. A Rússia também é. De um modo geral, podemos viver separadamente. Estamos em condições de alimentar outros países mas estamos interessados, por exemplo, em tecnologias pecuárias do Brasil. Por que não criar na Rússia empresas mistas de alto valor agregado, especializadas na transformação de produtos alimentares, que irão pertencer a brasileiros e a russos? Estas empresas irão proporcionar grande lucro a vocês e a nós. Além disso, este é o nível mais alto de cooperação.”

Dmitri Medvedev é de opinião de que não existe nenhuma razão para uma guerra fria entre a Rússia e os EUA.

“Todavia, as relações entre os países podem agravar-se periodicamente. Isto depende das administrações, das equipes governantes que estão no poder. Mas não existe nenhuma razão séria para uma guerra fria. Pelo contrário: agora estamos em condições de resolver em conjunto muitas tarefas e realmente cuidamos de resolvê-las”, disse o primeiro-ministro russo na entrevista à TV Globo.

“Caros amigos brasileiros, deixem de avaliar os acontecimentos na Rússia somente na base de jornais e de noticiários da televisão. Venham à Rússia e vejam o que acontece no nosso país, como são as nossas tendências e se é possível falar do que se quiser, se há problemas de liberdade de expressão ou de outras liberdades. Venham e vejam. Penso que o mundo contemporâneo é bom, porque tudo é possível ver com nossos próprios olhos", disse finalizando Dmitri Medvedev.



Outras coberturas especiais


Argentina

Argentina

Última atualização 23 NOV, 16:40

MAIS LIDAS

Brasil - Rússia