COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Terrestre

30 de Agosto, 2018 - 10:00 ( Brasília )

Seminário gera debate entre empresários e acadêmicos sobre tendências e desafios do Exército do Futuro


O Estado-Maior do Exército (EME), por meio do Centro de Estudos Estratégicos do Exército (CEEEx) e do Escritório de Projetos do Exército (EPEx) promoveu uma série de encontros com a participação de militares, acadêmicos e representantes de empresas para discutir os desafios do Exército Brasileiro para os próximos anos, com foco no planejamento estratégico.

A programação do Seminário Estratégico, que teve como tema “Planejando o Exército do Futuro”, teve início no dia 21 de agosto com o evento “Café com Projetos”, realizado no Teatro Pedro Calmon, em parceria com a Seção do Distrito Federal do Project Management Institute (PMI), organização sem fins lucrativos que visa normatizar e desenvolver a gerência de projetos em todo mundo.

O Chefe do EPEx, General de Brigada Ivan Ferreira Neiva Filho, proferiu a palestra de abertura que abordava os benefícios para a sociedade alavancados pelo Portfólio Estratégico do Exército. Em seguida, palestrou o Diretor Executivo da Portfólio Expert, Norberto Almeida, abordando o tema Gerenciamento Profissional de Portfólio e, posteriormente, o Chairman da PMO Global Alliance, Américo Pinto, sobre Gerenciamento de Boas Práticas de PMO (Project Management Office ou, em português, Escritório de Gerenciamento de Projetos).

Na tarde do dia 21 e no dia 22, a atividade seguiu com um Workshop, no 11º Depósito de Suprimento. Os participantes foram convidados a compartilhar experiências e desafios para o futuro, num formato que incentivou o debate e a formação de redes de contato. “A ideia é haver uma interação muito grande, de ganharmos mostrando para eles o que nós fazemos e aprender a partir das experiências deles”, destacou o Gen Neiva. O cenário sugerido para servir de ponto de partida das discussões foi o ano de 2035. Integrantes da indústria nacional de defesa, acadêmicos e militares trocaram ideias sobre as futuras necessidades da Força Terrestre, as capacidades produtivas das empresas e como a inovação pode contribuir para os desafios na área de defesa.

Atualmente, os programas estratégicos do Exército Brasileiro já mostram como os três segmentos podem trabalhar em conjunto. “O grande desafio é alcançar maturidade tecnológica em diversos segmentos. E, no nosso país, a pesquisa na área de defesa consegue nos levar a soluções bastante adequadas”, afirmou o Diretor de Assuntos Corporativos da Avibrás, Carlos Cidade, citando o exemplo do programa Astros 2020. Para o Gerente Executivo de Estudos e Prospectiva da Confederação Nacional da Indústria (CNI), Márcio Guerra, o desenvolvimento da indústria de defesa é também um projeto para desenvolver o País.

“É uma oportunidade de troca e de conhecimento das estratégias das empresas que compõem a indústria de defesa, e também, de compartilhar o que nós temos entendido que é um projeto de desenvolvimento do país, além de entender as expectativas do Exército Brasileiro e o papel do Exército nessa discussão. É uma oportunidade ímpar de encontrar pessoas e discutir temas tão estratégicos para o nosso país”, acrescentou.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Argentina

Argentina

Última atualização 17 NOV, 22:30

MAIS LIDAS

Base Industrial Defesa

3