COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Aviação

13 de Agosto, 2018 - 01:00 ( Brasília )

DESAER – ATL- 100 Aeronave de Transporte Leve

O avanço do projeto da ATL - Aeronave de Transporte Leve, em desenvolvimento pela DESAER (Desenvolvimento Aeronáutico Ltda), de São José dos Campos.


Equipe DefesaNet
In Memoriam de Cosme Degenar grande apoiador do ATL

 

 
O ATL-100, ou Aeronave de Transporte Leve, sendo projetado pela DESAER - Desenvolvimento Aeronáutico Ltda é revisitando oito meses após, um artigo inicial de DefesaNet. A mudança da realidade da indústria aeronáutica nacional abre janelas de oportunidades para o projeto e encontramos uma equipe confiante e motivada. E é claro com um projeto que avançou significativamente neste período. No grupo de projeto do ATL-100 estão confiantes em especial pela excelente receptividade do projeto no mercado e indústria.

Segundo as palavras do sócio Evandro Fileno: temos recebido muitos contatos de empresas que querem conhecer o projeto. E a receptividade tem sido excelente. Também estamos falando com o potencial cliente, as Foças Armadas.





O projeto do ATL surge quando estamos próximos da comemoração dos 50 anos, do 1º voo do Bandeirante (22 outubro 1968), e a nova aeronave surge como sucessor deste com um projeto atualizado.

O ATL-100 é um avião bimotor de asa alta, tradicional, empenagem convencional, estrutura semi-monocoque com seção central da fuselagem em material metálico, não pressurizado, superfícies de comando, rampa traseira , partes não estruturais em material composto, trem de pouso triciclo fixo e alcance de MTOW 1600 km, podendo operar a partir de pistas curtas e rústicas, com velocidade média de cruzeiro de 380 km/h.

Segundo Fileno, o projeto é 100% brasileiro e pode atender as demandas das Forças Armadas e do transporte aéreo regional do país e de países vizinhos. Ainda segundo o projetista, a aeronave terá baixo custo de aquisição, operação e manutenção, voando em transporte de carga e de passageiros. Por se tratar de aeronave bimotor, enfatiza, apresenta maior segurança de voo em regiões remotas, como a Amazônia.

O projeto ATL-100 vêm tendo uma ótima aceitação no mercado, hoje a DESAER com toda sua estrutura montada para atender o projeto da Aeronave Transporte Leve, o avião está sendo desenvolvido por completo em CAD 3D, estamos usando um software de última geração chamado CREO 4.0 da PTC - Partnervision e tudo que há de mais novo em tecnologia para ter um produto inovador.



A DESAER está instalada no berço da aviação nacional, na INCUBAERO, uma incubadora dentro das instalações da Fundação Casimiro Montenegro Filho, no DCTA – Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial em São Jose dos Campos - SP, tendo todo apoio estrutural e acadêmico do ITA um dos maiores Institutos respeitado de Aeronáutica no Brasil.

Perspectivas Comerciais

As discussões com possíveis clientes regionais e militares, as Forças Armadas, por exemplo, terá uma grande necessidade de um futuro próximo a intensão de aquisição da aeronave ATL-100, assim que cumprir todos os requisitos definidos pelas Forças Armadas, uma  aeronave que empregaria hoje  a mesma função  exercida muito bem pelo EMB-110 (Bandeirante). No ano que se completa 50 anos do 1° voo do Bandeirante, no mesmo local e cidade, está surgindo o novo avião para atender este mercado hoje muito necessitado de aeronaves modernas, mas que cumpra os mesmos requisitos.


Vista lateral do ATL-100 - Observar a áreas livres para movimentação de pessoas e carga

A FAB tem intenção de retirar de serviço os Bandeirantes, em 2025, tanto na versão transporte como Bandeirulha. 

Hoje estamos concluindo os estudos conceituais e cumprindo muito bem o cronograma inicial, definido para o projeto, começamos as negociações de futuros parceiros e fornecedores para atender as aéreas em geral de motopropulsor, interior, avionica e estrutura. Assim como outras partes do avião. Estamos em contato com as principais empresas da área hoje no mercado.

Pelas características do ATL-100 empresas aeronáuticas têm procurado a DESAER, com o propósito de estabelecer uma parceria industrial.    



No mercado da aviação regional e militar hoje necessita de mais de 2000 aeronaves nos próximos 20 anos para repor as existentes e futuras operadoras regionais que busca oferecer interligação de cidades com baixa operacionalidade.

A atenção do mercado vem crescendo bastante pelo o maior atrativo deste avião é ter a rampa de carga traseira, consegue carregar e descarregar o avião em um aeroporto com pouca infraestrutura e até nenhum apoio em solo não será preciso uso de maquinas para movimentar os pallets.

Como uma aeronave dessa categoria está se mostrando um mercado bastante promissor, inclui-se aí o mercado de agronegócio pela capacidade de carga e facilidade de conseguir carregar seu produto na sua propriedade sem ajuda de maquinas.

O estudo inicial da industrialização e fabricação para cumprir todos os requisitos de certificação da aeronave. Assim como acelerar o ciclo e tentar manter o custo total de certificação em um valor que não inviabilize o projeto.

Característica Operacionais

Os projetistas do ATL estão confiantes que a aeronave terá condições de operar em qualquer região do país, a partir de pistas curtas e rudimentares, contribuindo com maior velocidade na integração de municípios mais distantes e isolados dos grandes centros urbanos.





Também terá característica para operar em regiões montanhosas.

Os estudos conceituas do ATL-100 procuram uma integração com diversos modais logísticos. A possibilidade de levar 3 containers LD3, operação de carga e descarga realizada pela porta traseira, que não requer apoio especializado ou estrutura nos aeroportos.





Facilidade de acesso no apoio ao ATL-100 (foto acima) e a movimentação de até 3 containers LD3

Estas características tornam a aeronave ideal para operações de logística para cargas especiais como o serviço de Correios e Valores, em especial adotando uma ação de interiorização além das rotas aeroviárias principais  

Estimam que no prazo de menos de cinco anos a aeronave poderá ser apresentada ao mercado, expectativa que passa necessariamente pelos caminhos da obtenção de financiamento para instalação da complexa estrutura industrial e para as etapas de desenvolvimento, testes de avaliação, homologação.



Os estudos realizados pela DESAER contemplam inclusive a otimização da etapa de produção. 

Desafios


O desafio é maior devido à forte recessão, sem precedentes, que ainda atinge a economia nacional, e as limitações de investimento do governo federal. Segundo os economistas, para reverter quadros de dificuldades dessa intensidade, o incentivo não pode deixar de acompanhar os passos de quem quer empreender e gerar empregos com novas tecnologias e somar-se ao processo de recuperação da economia e de desenvolvimento social do país.

As próximas etapas a serem vencidas pela DESAER com o ATL-100 serão mais desafiadoras, que os pioneiros do histórico voo do Bandeirante enfrentaram há 50 anos. 
 
 Ficha Técnica

 

 

 


 


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


PROSUB S40

PROSUB S40

Última atualização 16 DEZ, 14:00

MAIS LIDAS

Base Industrial Defesa