COBERTURA ESPECIAL - Base Industrial Defesa - Defesa

04 de Abril, 2017 - 23:00 ( Brasília )

AVIBRAS – João Brasil: “A empresa permanecerá muitos anos ainda com os Carvalho Leite”

O diretor-presidente da AVIBRAS Aeroespacial concede a primeira entrevista desde assumir o controle da empresa em Outubro 2016



O Diretor-presidente João Brasil Carvalho Leite, da AVIBRAS Aeroespacial fala a DefesaNet em um intervalo da LAAD 2017, no Riocentro.

DefesaNet: Presidente João Brasil, o senhor assumiu a AVIBRAS em outubro do ano passado (2016). Quais são as perspectivas da empresa? Creio que seja a sua primeira entrevista como diretor da AVIBRAS Aeroespacial.

João Brasil - Diretor-presidente da AVIBRAS
: Sim, é a primeira vez que eu falo. A empresa está passando por uma fase muito importante com produtos muito atrativos para o mercado. Temos crescido muito nos últimos anos. E pretendemos manter o crescimento de uma forma sustentável para os próximos anos. O mais importante é que estamos gerando produtos novos, estamos olhando para frente e nos preparando para as Forças Armadas, para além de 2020. Estamos pensando em 2025, 2030. Temos programas em várias fases no momento.

DefesaNet: Uma vez falando com o Engenheiro João Verdi (fundador e pai de João Brasil), ele declarou o ASTROS II é um projeto para mais de 50 anos de vida.  Já se passaram quase 20 anos desde esta declaração à DefesaNet. Então nós temos aí mais 30 anos de vida do projeto ou muito mais pela frente.

João Brasil: Isso é polêmico.  Porque uma maneira de nós fazermos, um paralelo em relação a isso, é olharmos o sistema americano, que é hoje muito parecido com ASTROSII, não por acaso.

DefesaNet: Quase uma cópia, digamos assim.

João Brasil: A nossa especificação do ASTROS II foi muito feliz. E o HIMARS americano tem planejado seu descomissionamento, em 2050. Então nós teríamos mais uns 30 anos. Mas isso não é verdade. Já conversamos com os generais, do Ministério da Defesa e Exército e Corpo de Fuzileiros Navais, discutimos sobre doutrina e tudo mais. A questão é simples: a aplicação da artilharia de foguetes hoje é uma parte de qualquer Força Terrestre do mundo inteiro. O que o Brasil tinha como uma novidade antes, na década de 80; hoje, é uma necessidade das Forças Terrestres. Enquanto a aplicação existir vai ter uma versão do ASTROS II. Nós não pretendemos deixar de vender o Sistema de Foguetes ASTROS II em um longo prazo.

DefesaNet: E o cronograma do desenvolvimento do ASTROS 2020? Incluindo a munição SS-G40 e o AV TCM 300?

João Brasil:  Tem transcorrido bem, aqui estamos com uma versão dele. Estamos trabalhando em conjunto com o Exército Brasileiro. Ainda temos um contrato de modernização das unidades mais antigas para o padrão MK6. Vários lotes de viaturas no padrão MK6 estão sendo entregues. E eu diria que nosso cliente está satisfeito.

DefesaNet: Uma questão sempre presente  no setor de  defesa, a sua posse como Diretor-presidente significa que a empresa permanecerá na família Carvalho Leite?

João Brasil: Por um bom tempo. Isso é uma dúvida que as pessoas ainda têm bastante. Já me perguntaram se iria vender a empresa. O fato é que tomei gosto pelo negócio e não pretendo vendê-la. Estamos com uma equipe cada vez melhor e com produtos muito desafiadores no mercado para serem vendidos. Então, realmente, eu não pretendo sair da empresa.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Especial DitaBranda

Especial DitaBranda

Última atualização 28 JUN, 12:50

MAIS LIDAS

Base Industrial Defesa