COBERTURA ESPECIAL - Boeing Brasil - Aviação

16 de Dezembro, 2019 - 21:00 ( Brasília )

737MAX - Boeing suspende produção 737 MAX a partir de Janeiro, Certificação em 2020


Declaração da Boeing sobre a produção do 737 MAX
(Itálicos DefesaNet)


 
  • A Boeing suspenderá a produção do 737 MAX a partir de janeiro, pois a certificação foi transferida para 2020
  • A redução na capacidade de produção permite priorizar a entrega de aeronaves armazenadas
  • No momento, não há expectativa de demissão ou férias coletivas
 

A retomada de operação do 737 MAX com segurança é nossa principal prioridade. Sabemos que a aprovação para o retorno do 737 MAX e o estabelecimento de requisitos de treinamento apropriados deve ser um processo extremamente completo e robusto para garantir que as agências reguladoras, clientes e passageiros confiem nas atualizações do 737 MAX.
 
Como dissemos anteriormente, a FAA e as autoridades reguladoras em todo o mundo determinam o cronograma para a certificação e a retomada da operação. Continuamos totalmente comprometidos em apoiar esse processo. É nosso dever garantir que todos os requisitos sejam cumpridos e que todas as perguntas de nossas agências reguladoras sejam respondidas.          
 
Durante a paralisação do 737 MAX, a Boeing continuou a produzir novos aviões e agora existem aproximadamente 400 aeronaves armazenadas. Dissemos anteriormente que avaliaríamos continuamente nossos planos de produção caso a paralisação do MAX continuasse por mais tempo do que esperávamos. Como resultado dessa avaliação contínua, decidimos priorizar a entrega de aeronaves armazenadas e suspender temporariamente a produção do programa 737 a partir do próximo mês. 
 
Acreditamos que essa decisão é a menos prejudicial para a manutenção da saúde do sistema de produção e da rede de fornecedores no longo prazo.
 
Essa decisão é motivada por vários fatores, incluindo a extensão da certificação até 2020, a incerteza sobre o cronograma e as condições da retomada da operação e das aprovações do treinamento em âmbito global e a importância de garantir que possamos priorizar a entrega das aeronaves armazenadas. Continuaremos a avaliar nossa evolução rumo às metas da retomada da operação da aeronave para, consequentemente, tomarmos decisões sobre a retomada da produção e das entregas.
 
Durante esse período, nosso plano é que os funcionários afetados continuem trabalhando em atividades relacionadas ao 737 ou sejam temporariamente designados para outras equipes nas instalações em Puget Sound. Como fizemos durante toda a paralisação do 737 MAX, nossos clientes, colaboradores e fornecedores continuarão a ser nosso principal foco, enquanto continuamos a avaliar as ações apropriadas. Isso incluirá ações para manter os ganhos obtidos nos últimos meses no sistema de produção e na qualidade e saúde da rede de fornecedores.
 
Forneceremos informações financeiras sobre a suspensão da produção em conexão com os resultados do 4º trimestre de 2019 no final de janeiro.





Boeing Statement Regarding 737 MAX Production
(italics DefesaNet)

- Boeing suspends 737 MAX production starting in January due to certification moving into 2020

- Reduced production output enables prioritization of stored aircraft delivery

- No layoffs or furlough expected at this time


CHICAGO, Dec. 16, 2019 -- Safely returning the 737 MAX to service is our top priority. We know that the process of approving the 737 MAX's return to service, and of determining appropriate training requirements, must be extraordinarily thorough and robust, to ensure that our regulators, customers, and the flying public have confidence in the 737 MAX updates.

As we have previously said, the FAA and global regulatory authorities determine the timeline for certification and return to service. We remain fully committed to supporting this process. It is our duty to ensure that every requirement is fulfilled, and every question from our regulators answered.


Throughout the grounding of the 737 MAX, Boeing has continued to build new airplanes and there are now approximately 400 airplanes in storage. We have previously stated that we would continually evaluate our production plans should the MAX grounding continue longer than we expected. As a result of this ongoing evaluation, we have decided to prioritize the delivery of stored aircraft and temporarily suspend production on the 737 program beginning next month.

We believe this decision is least disruptive to maintaining long-term production system and supply chain health. This decision is driven by a number of factors, including the extension of certification into 2020, the uncertainty about the timing and conditions of return to service and global training approvals, and the importance of ensuring that we can prioritize the delivery of stored aircraft. We will continue to assess our progress towards return to service milestones and make determinations about resuming production and deliveries accordingly.

During this time, it is our plan that affected employees will continue 737-related work, or be temporarily assigned to other teams in Puget Sound. As we have throughout the 737 MAX grounding, we will keep our customers, employees, and supply chain top of mind as we continue to assess appropriate actions.

This will include efforts to sustain the gains in production system and supply chain quality and health made over the last many months.

We will provide financial information regarding the production suspension in connection with our 4Q19 earnings release in late January.


VEJA MAIS



Outras coberturas especiais


Expansão Chinesa

Expansão Chinesa

Última atualização 18 FEV, 13:00

MAIS LIDAS

Boeing Brasil