COBERTURA ESPECIAL - Boeing Brasil - Aviação

04 de Novembro, 2019 - 16:10 ( Brasília )

7373MAX- Declaração da BOEING sobre o Relatório Final da Investigação do Voo 610 da LION AIR



DECLARAÇÃO DA BOEING SOBRE O RELATÓRIO FINAL DA INVESTIGAÇÃO DO VOO 610 DA LION AIR



A Boeing emitiu a seguinte declaração a respeito da divulgação realizada hoje do relatório final de investigação do voo 610 da Lion Air pelo Comitê Nacional de Segurança dos Transportes da Indonésia (KNKT):
 
“Em nome de todos na Boeing, quero expressar nossas sinceras condolências às famílias e entes queridos daqueles que perderam a vida nesses acidentes. Estamos em luto com a Lion Air e gostaríamos de manifestar nossos mais profundos sentimentos,” disse o presidente e CEO da Boeing, Dennis Muilenburg. "Esses eventos trágicos nos afetaram profundamente e jamais os esqueceremos."
 
"Reconhecemos o trabalho do Comitê Nacional de Segurança nos Transportes da Indonésia e agradecemos por seus extensos esforços para determinar os fatos deste acidente, os fatores que contribuíram para sua causa e as recomendações voltadas para o nosso objetivo comum de que isso nunca aconteça novamente."
 
“Estamos atendendo às recomendações de segurança do KNKT e tomando medidas para melhorar a segurança do 737 MAX a fim de impedir que as condições de controle de voo que ocorreram neste acidente voltem a acontecer. A segurança é um valor permanente para todos na Boeing e a segurança dos passageiros, de nossos clientes e das tripulações a bordo de nossos aviões é sempre a nossa principal prioridade. Valorizamos nossa parceria de longa data com a Lion Air e esperamos continuar trabalhando juntos no futuro.”
 
Os especialistas da Boeing, trabalhando como consultores técnicos do Conselho Nacional de Segurança nos Transportes dos EUA, deram apoio ao KNKT ao longo da investigação. Os engenheiros da empresa estão trabalhando com a Agência Federal de Aviação dos EUA (FAA , na sigla em inglês) e outros reguladores globais para fazer atualizações de software e outras alterações, levando em consideração as informações da investigação do KNKT.
 
Desde esse acidente, o 737 MAX e seu software estão passando por um nível sem precedentes de supervisão regulatória, testes e análises globais. Isso inclui centenas de sessões em simulador e voos de teste, análise regulatória de milhares de documentos, análises de reguladores e especialistas independentes, além de requisitos abrangentes de certificação.
 
Nos últimos meses, a Boeing vem fazendo alterações no 737 MAX. Mais significativamente, a Boeing re-projetou a maneira como os sensores de ângulo de ataque (AoA, na sigla em inglês) funcionam com um recurso do software de controle de voo conhecido como MCAS (Maneuvering Characteristics Augmentation System – Sistema de Aumento de Características de Manobra). No futuro, o MCAS irá comparar as informações dos dois sensores de AoA antes de ser ativado, acrescentando uma nova camada de proteção.
 
Além disso, o MCAS agora só será ativado se os dois sensores de AoA concordarem. Ele será ativado apenas uma vez em resposta a uma informação incorreta de AoA e estará sempre sujeito a um limite máximo que pode ser anulado pelo manche.  
Essas alterações de software impedirão que as condições de controle de voo ocorridas neste acidente voltem a acontecer.
 
Além disso, a Boeing está atualizando os manuais de tripulação e o treinamento de pilotos, para garantir que todos tenham todas as informações necessárias para pilotar o 737 MAX com segurança.
 
A Boeing continua trabalhando com a FAA e outras agências reguladoras em todo o mundo na certificação do programa de atualização de software e treinamento para retomar a operação do 737 MAX com segurança.


VEJA MAIS