24 de Janeiro, 2013 - 09:20 ( Brasília )

Aviação

Americana PTC fornecerá sistema de gestão à Embraer

Helio Samora, diretor da PTC para América Latina: receita dobrará este ano

Fabricar aviões está entre as atividades industriais que mais demandam tecnologia. Apenas para colocar em funcionamento os aparelhos da cabine de controle da aeronave são necessários de 7 a 11 softwares, que devem operar em conjunto para que não haja falhas.

Além de exigir tecnologias complexas, a produção de aviões também precisa ser muito personalizada, para atender à demanda as empresas aéreas. Produzir com sucesso uma série de itens personalizados demanda um controle rígido do processo produtivo, desde a encomenda de componentes até a manutenção dos equipamentos já vendidos. E é para atender a essa demanda que companhias como a americana PTC desenvolvem softwares capazes de fazer a gestão de todo o ciclo de vida de produtos industriais. No mercado, esses sistemas são conhecidos pela sigla PLM.

Pouco conhecida dos consumidores, a PTC atua no Brasil há 16 anos, fornecendo softwares de PLM, de desenho industrial (CAD) e programas para gestão da cadeia de suprimentos (SCM), para 1,2 mil companhias - incluindo grupos como Volkswagen, Whirlpool, Randon, Tramontina, Cummins e Caterpillar, além de órgãos de governo, como o Exército do Brasil e a Marinha do Brasil.

Hoje, a companhia anuncia globalmente com a Embraer um acordo estabelecendo que a PTC vai fornecer, durante dez anos, um conjunto de softwares para a gestão do ciclo de vida de produtos industriais à fabricante brasileira de aeronaves. O valor do acordo é mantido em sigilo pelas companhias. Helio Samora, diretor-geral da PTC para a América Latina, disse ao Valor que apenas o contrato está na casa de "algumas dezenas de milhões de reais".

A adoção dos novos softwares permitirá à Embraer avançar em seus planos de ampliar a receita com serviços. Atualmente, a área de serviços representa aproximadamente 10% da receita da Embraer e a meta da companhia é elevar esse percentual para 20% a 25% nos próximos anos, que é o percentual médio entre as fabricantes de aeronaves no mundo.

Há um ano, a Embraer iniciou o processo de escolha da empresa que seria a nova fornecedora desse tipo de software. Foram convidadas a participar da seleção cinco companhias de software: SAP - que já fornecida sistemas de gestão empresarial à Embraer, mas não quis participar do processo; Oracle, Siemens PLM, PTC e a Dassault. O processo de seleção incluiu o desenvolvimento de softwares para atender às demandas específicas da Embraer e uma bateria de provas de conceito para validação dos programas que durou cinco dias. A seleção foi concluída no dia 20 de dezembro do ano passado.

Para atender melhor à demanda da Embraer nos próximos dez anos, a PTC vai investir US$ 4 milhões no prazo de 12 a 15 meses para instalar um escritório em São José dos Campos (SP). Para a unidade serão contratadas 15 pessoas este ano, número que deve ser ampliado para 35 até 2014. No Brasil, a PTC possui sede em São Paulo, aproximadamente cem funcionários e parceria com 14 revendas de software.

De acordo com o executivo, dos 1,2 mil clientes que a PTC tem no país, entre 250 e 300 são companhias de grande porte. O restante são empresas consideradas pela americana como de médio porte, com receita anual entre R$ 300 milhões e R$ 600 milhões. A meta da companhia este ano disse Samora, é expandir as vendas no país principalmente entre companhias de pequeno e médio portes.

Também está nos planos da companhia americana elevar as vendas de softwares de desenho industrial (CAD) e programas de gestão da cadeia de suprimentos (SCM) com a introdução, no Brasil, de tecnologias que foram adquiridas pela companhia nos últimos dois anos com a aquisição da canadense NKS, comprada por US$ 303 milhões; e as americanas 4C Solutions (cujo valor da operação foi mantido em sigilo) e a Servigistics, comprada por US$ 220 milhões.

A PTC encerrou o ano fiscal de 2012, concluído em 30 de setembro, com lucro líquido global de US$ 182,863 milhões, montante 20,17% acima do verificado no ano fiscal anterior. A receita líquida no período aumentou 7,58% no período, para US$ 1,258 bilhão. A região Américas, na qual o Brasil está incluído, respondeu por 38% da receita total.

A PTC não divulga dados financeiros por país. Para o ano fiscal atual, a companhia projeta um crescimento de 12% a 15% em receita. No caso do Brasil, disse Samora, a receita com vendas irá dobrar apenas com o contrato fechado com a Embraer. "Também há outros contratos em negociação com empresas brasileiras, mas na faixa de alguns milhões de dólares", afirmou.