08 de Janeiro, 2013 - 11:53 ( Brasília )

Aviação

Asas do Futuro - O fim do piloto de caça?

Em quase um século da aviação de caça militar, essa é uma idéia que vem crescedo ultimamente e este fato de Nebraska pede muita atenção e é um excelente exemplo do porquê.

Ricardo Fan


Andrew Nelson do World-Herald, escreve que todos os 21 caças F-16 do Iowa National Guard's 132nd Fighter Wing serão substituídos por um tipo drone.

Do World-Herald:

Drones para substituir jatos F-16 de combate

Sob um acordo orçamental definido para a aprovação, em dezembro passado, Iowa National Guard's 132nd Fighter Wing perderá seus jatos F-16. A decisão vem depois de meses de discussões entre a delegação congressual de Iowa e a Força Aérea. O 132nd Fighter Wing voo seus F-16’s em missões de combate no Afeganistão nos últimos anos.

Agora, depois de aproximadamente 70 anos de vôo em aviões de caça tripulados, 132nd Fighter Wing será substituido por aviões não tripulados controlados remotamente (UAV/VANT no Brasil), de acordo com a proposta. As aeronaves seram sediadas em outro lugar, possivelmente no exterior. Negociadores da Câmara e do Senado norte-americano chegaram a um acordo no final do ano passado que vai significar a remoção de todos os 21 jatos da Air Des Moines Nacional Guard Base.

A mudança será um duro golpe para a economia local de Des Moines e no seu trabalho de apoio a unidade de combate, "Há uma grande quantidade de empregos no setor privado em apoio destas aeronaves que será perdida. É muito triste, e eu acho que uma decisão imprudente." disse o deputado Tom Latham, R-Iowa.

Mas veículos aéreos não tripulados, ou drones, são a onda do futuro, disse John Pike, diretor da GlobalSecurity.org, um site de informação militar, e pesa a seu favor o fato que são mais baratos e mais fáceis de manter do que um jato pilotado. "As circunstâncias em que você usaria aviação tática diminuíram na última década". “Os drones também podem permanecer durante um tempo mais longo no campo de batalha, a fadiga piloto não é um fator”, disse ele. E se um é abatido, não membros da tripulação mortos ou desgaste politico/militar para resgate.

Os F-16 do  Iowa National Guard's 132nd Fighter Wing estavam programados para aposentadoria entre 2018 e 2020, com quase 70 anos de tradição na aviação de caça, o movimento parece ser uma surpresa para os legisladores e residentes locais. Os caças da unidade voaram mais de 800 missões de combate e 3.200 horas desde 1992.

O mais preocupante é que os aviadores de Iowa não estarão sozinho. A Força Aérea também planeja trocar 20 A-10 da Arkansas Air National Guard e 24 A-10Cs da Louisiana-based Air Force Reserve unit, de acordo com Air Force Times.


By Andrew J. Nelson
WORLD-HERALD STAFF WRITER

http://www.omaha.com/article/20121219/NEWS/712209937