06 de Dezembro, 2012 - 21:00 ( Brasília )

Aviação

BOMBARDIER - Bate novamente Embraer agora na DELTA


A companhia aérea americana Delta Air Lines anunciou nesta quinta-feira que fechou a compra de até 70 jatos regionais da canadense Bombardier, num revés para a fabricante brasileira de aviões Embraer que disputava o contrato.

A Delta fez pedido firme por 40 novos aviões CRJ900, de 76 passageiros, com opção de compra de outras 30 unidades. As aeronaves serão usadas para renovação da frota para voos regionais da companhia aérea.

O acordo prevê ainda que a Bombardier ajude a Delta a retirar de sua frota 60 jatos CRJ200, de 50 passageiros, em uso atualmente.

A preços de tabela, a encomenda da Delta à Bombardier pode chegar a US$ 3,29 bilhões.

"As características econômicas e aos passageiros do CRJ900 da Bombardier fez do avião a escolha certa para adicionar à nossa frota da Delta Connection", afirmou o presidente da Delta, Ed Bastian, referindo-se à unidade de transporte aéreo regional da empresa.

"Combinada com a remoção dos aviões de 50 assentos, essa oportunidade fortalece nosso programa de reestruturação da frota ao retirar aviões menores menos eficientes", acrescentou.

A Embraer disputava o contrato da Delta e confiava em conquistar a encomenda para ajudar a garantir os níveis de produção de aviões comerciais em 2013 no mesmo nível deste ano.

No fim de outubro, o presidente-executivo da Embraer, Frederico Curado, disse que a fabricante precisava fechar novas vendas de jatos comerciais em até seis meses para garantir a cadência de produção estável no ano que vem. Ele disse, na ocasião, que a chance mais próxima era a possível encomenda da Delta.

A Embraer terminou setembro com carteira de pedidos (backlog) na aviação comercial de cerca de US$ 6,2 bilhões, com 178 jatos civis a serem entregues a clientes - o equivalente a 1,5 ano de produção.

Alguns analistas têm questionado se a fabricante será capaz de manter a produção no segmento comercial nos níveis atuais, de pouco mais de 100 unidades, em um cenário de companhias aéreas postergando decisões de renovação de frota regional diante das incertezas na economia global.

Na bolsa paulista, as ações da Embraer recuavam quase 7% às 12h23, enquanto o Ibovespa cedia 0,83%
.

Ao final do dia as ações tinham estabilizado em - 3,2 %.

Nota Jornal Valor

Embraer diz que não vai especular sobre perda de encomendas da Delta


SÃO JOSÉ DOS CAMPOS (SP) - A Embraer informou hoje em nota que não seria apropriado para a empresa especular a razão de a Delta Airlines ter escolhido o avião CRJ 900, da Bombardier.
 
“Embora estejamos desapontados com essa decisão, temos confiança de que nossas aeronaves oferecem a melhor e mais completa solução de negócios para nossos clientes.”
 
A empresa comentou ainda que segue confiante de que esteja bem posicionada para futuras campanhas e ressalta que os seus 900 E-Jets atualmente em operação no mundo, com 64 operadores em 44 países, evidenciam este fato.
 
“A qualidade de nossos jatos nos tornou líder de mercado na categoria de 60 a 120 assentos e continuamos investindo fortemente no desenvolvimento e na competitividade da família de E-Jet”, diz em nota.
 
Hoje a companhia americana Delta Air Lines anunciou a compra de até 70 jatos regionais da canadense Bombardier, o que fez a Embraer cair cerca de 7% na bolsa. Ao longo do dia, as ações se recuperaram da queda acentuada, mas seguem entre as maiores baixas do Ibovespa.
 
O contrato inicial da Delta com a Bombardier envolve 40 aeronaves e é avaliado em US$ 1,5 bilhão, podendo chegar a US$ 3,2 bilhões caso 30 opções de compra sejam confirmadas.