20 de Novembro, 2012 - 09:56 ( Brasília )

Aviação

FAB padroniza instrução de recrutas no Rio de Janeiro


Mais de 900 recrutas da Força Aérea Brasileira (FAB) participaram, entre os dias 11 e 14 de novembro, de exercício de campanha (PADREC), no Rio de Janeiro. A instrução teve como objetivo padronizar a instrução de campanha dos recrutas, para o aprimoramento das instruções voltadas para a formação de combatentes. Participam do exercício recrutas dos Batalhões de Infantaria de Aeronáutica Especiais (BINFAE) do Rio de Janeiro, Afonsos e Galeão, e do Batalhão de Infantaria da Base Aérea de Santa Cruz (BINFA-34). O PADREC foi realizado na área do Parque de Material Bélico do Rio de Janeiro (PAMB-RJ).

Nas turmas anteriores, cada batalhão realizava a instrução de campanha dos seus recrutas separadamente. No PADREC, os melhores militares de cada unidade em sua área de atuação ministraram as diversas oficinas. No total, os 11 pelotões de recrutas passaram por 14 tipos de capacitação: orientação diurna, orientação noturna, tática elementar, transporte de feridos, primeiros socorros, silenciamento de sentinelas, tiro noturno, segurança de acampamento, fortificação de campanha, sobrevivência, nós e amarrações, minas e armadilhas, patrulha e camuflagem.

O PADREC contou com uma estrutura de apoio utilizada em grandes operações. Para prover o apoio de alojamento, alimentação, sanitários e atendimento médico nos quatro dias de exercício, foi ativado um Escalão Móvel de Apoio, que contou com a participação de uma Unidade Celular de Intendência (UCI), da Diretoria de Intendência da Aeronáutica (DIRINT), e de uma Unidade Celular de Saúde (UCS), da Diretoria de Saúde da Aeronáutica (DIRSA). A cada dia da operação, havia cinco médicos no local para realizar atendimentos de emergência.

Com mais de 1.000 pessoas presentes na área de instrução, entre recrutas, instrutores e apoiadores, o PADREC foi o maior exercício apoiado pela Intendência Operacional nas tarefas de higienização e repouso.

Comando e Controle

Coordenar e controlar o funcionamento simultâneo de diversas oficinas, pelas quais se revezavam mais de 900 militares, de quatro batalhões distintos, era outro grande desafio do exercício. Assim, todas as ações que se desenrolaram na área do acampamento foram acompanhadas, minuto a minuto, por uma célula de Comando e Controle (C2). Entrada e saída de militares e viaturas da área, início e término da instrução em cada oficina, deslocamento dos pelotões para banho e refeições, atendimentos médicos, tudo foi comunicado aos militares desta célula e registrado. O exercício serviu de grande laboratório e fonte de treinamento para vários oficiais e sargentos, que nunca haviam rabalhado na área de comando e controle em uma operação desse porte.

“Aplicamos no PADREC a experiência de comando e controle adquirida nos V Jogos Mundiais Militares, na escolta dos comboios das delegações. Aqui no PADREC, tudo o que acontece passa por esta célula”, afirmou o coordenador do exercício Tenente-Coronel de Infantaria José Ramos de Queiros Neto. Esse acompanhamento possibilitou aperfeiçoamentos no quadro horário do exercício. Desse modo, algumas atividades foram atrasadas ou antecipadas, de modo a aproveitar melhor o tempo.

A cada ano, cada Batalhão de Infantaria forma duas turmas de recrutas no Rio de Janeiro. Devido ao sucesso do PADREC, as futuras instruções de campanha deverão ocorrem de maneira conjunta.