30 de Outubro, 2012 - 17:11 ( Brasília )

Aviação

AERODESIGN - 98 aviões do Brasil, Venezuela, México, EUA e Canadá alçam voo

Aeronaves construídas por estudantes de engenharia participam da 14ª Competição SAE BRASIL AeroDesign, de 1 a 4 de novembro, em SJCampos/SP

A 14ª Competição SAE BRASIL AeroDesign, marcada para ocorrer de 1 a 4 de novembro, no Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), em São José dos Campos, SP, terá significativo incremento na participação internacional. Das 98 equipes (97 em 2011 e 96 em 2010), seis representam Venezuela, México, EUA e, pela primeira vez, Canadá.

Para participar da competição, as equipes, que somam aproximadamente 1,4 mil participantes - entre estudantes, professores orientadores e pilotos – oriundos de 70 instituições de ensino, deverão projetar e construir aviões rádio controlados segundo o regulamento.

Participantes – Entre as 98 equipes, seis são estrangeiras: 1 do Canadá, 1 dos EUA, 3 do México e 1 da Venezuela. As 92 equipes brasileiras representam 16 Estados, mais o Distrito Federal. O Estado com maior número inscrições é São Paulo, com 31 equipes, seguido de Minas gerais com 17, enquanto o Rio Grande do Sul será representado por oito equipes e Rio de Janeiro por seis.

Paraná aparece com cinco equipes e Santa Catarina com quatro. Maranhão, Rio Grande do Norte e Pará têm 3 equipes inscritas cada. Mato Grosso, Bahia, Paraíba e Distrito Federal serão representados por duas equipes cada. Já o Espírito Santo, Mato Grosso do Sul, Pernambuco e Piauí possuem uma equipe cada.

Desafios – A competição tem três categorias: Classe Regular (73 equipes inscritas), Classe Advanced (6) e Classe Micro (19). Pelo novo regulamento, os aviões da Classe Regular deverão carregar madeira do tipo MDF ou HDF (madeira prensada largamente utilizada na fabricação de móveis). Os aviões são monomotores, com cilindrada padronizada em 10 cc (10cm3 ou 0,61in3). As aeronaves serão menores em 2012, pois a limitação dimensional máxima reduziu cerca de 70cm, porém terão compartimentos de carga maiores. Todos deverão decolar em uma distância máxima de 50m.

Nos aviões da Classe Advanced, a carga transportada deverá ser água, depositada em tanques montados na fuselagem. As aeronaves da categoria podem usar mais de um motor, porém a soma da cilindrada não pode exceder 0,50in3 (8,2cm3). Em 2011, a cilindrada máxima ficava entre 10,65 cm3 (0.65 in3) e 15,07cm3 (0.92 in3).

As aeronaves da Classe Micro deverão transportar, como carga, bolinhas de tênis, dentro de um compartimento fechado. Lançados à mão, os aviões da Classe Micro não têm restrições geométricas nem quanto ao número de motores, porém a equipe deverá ser capaz de transportar a aeronave numa caixa de 0,175m³. Nesta categoria os motores são elétricos.

Avanços – Com as mudanças no Regulamento, as aeronaves serão menores se comparado com as projetadas em 2011, porém devido principalmente aos compartimentos de carga maiores haverá maior uso de materiais leves. A expectativa também é de novas soluções aerodinâmicas para maximização da carga transportada. Para a Classe Advanced, nova bonificação incentivará o uso de tecnologia embarcada para acompanhar o tempo de voo e medir outros parâmetros, como velocidade, altitude de voo e acelerações. Antes o peso carregado nas três categorias era de barras de chumbo ou aço, materiais consideravelmente mais densos.

“Na competição os jovens também descobrem como trabalhar em equipe e dentro das regras do jogo, situação que eles vão enfrentar mais tarde nas empresas como profissionais”, conta Vagner Galeote, presidente da SAE BRASIL, realizadora da competição.

Provas - As avaliações e a classificação das equipes serão realizadas em duas etapas: Competição de Projeto e Competição de Voo, conforme o regulamento baseado em desafios reais enfrentados pela indústria aeronáutica e disponível no site da SAE BRASIL - www.saebrasil.org.br.

Ao final do evento, duas equipes da Classe Regular, uma Classe Advanced e uma da Classe Micro, que obtiverem melhores as pontuações ganham o direito de representar o Brasil na SAE Aerodesign East Competition, em 2012, nos EUA, onde equipes brasileiras acumulam histórico expressivo de participações: seis primeiros lugares na Classe Regular, quatro na Classe Aberta e um primeiro lugar Classe Micro. A SAE East Competition é realizada pela SAE International, da qual a SAE BRASIL é afiliada.

Organizado pela Seção Regional São José dos Campos, da SAE BRASIL, o Projeto AeroDesign é um programa de fins educacionais que tem como principal objetivo propiciar a difusão e o intercâmbio de técnicas e conhecimentos de engenharia aeronáutica entre estudantes e futuros profissionais da engenharia da mobilidade, por meio de aplicações práticas e da competição entre equipes, formadas por estudantes de graduação e pós-graduação (stricto sensu), de Engenharia, Física e Tecnologia relacionada à mobilidade.


XIV Competição SAE BRASIL AeroDesign
1 a 4 de novembro - Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA) - São José dos Campos/SP

Total de equipes inscritas = 98 (97 em 2011 / 96 em 2010)
? estrangeiras = 6 (3 do México, 1 da Venezuela, 1 dos Estados Unidos e 1 do Canadá)
? de equipes brasileiras: 92 (89 em 2011)
? de instituições de ensino: 70
? médio de estudantes inscritos: mais de 1,4 mil
? projetos Classe Micro: 19 (16 em 2011)
? projetos Classe Regular: 73 (76 em 2011)
? projetos Classe Advanced: 6 (5 em 2011)


SUL

Paraná - (5 equipes / 4 instituições)
UTFPR – Universidade Tecnológica Federal do Paraná – equipe Acalântis
UFPR – Universidade Federal do Paraná – equipes MDP e RPD
FAG – Faculdade Assis Gurgacz – equipe Fag Fly
PUC-PR – Pontifícia Universidade Católica do Paraná – equipe Top Gang

Rio Grande do Sul - (8 equipes / 7 instituições)
FURG – Universidade Federal do Rio Grande – equipe Aerofurg
URI Santo Ângelo – Universidade Regional Integrada – equipe Aeromissões
UCS – Universidade de Caxias do Sul – equipe Aerosul
FAHOR – Faculdade Horizontina – equipe Águia Fahor
UFSM – Universidade Federal de Santa Maria – equipes Carancho e Carancho Piá
UNISC – Universidade de Santa Cruz do Sul – equipe Kamikase
UFRGS – Universidade Federal do Rio Grande do Sul – equipe Pampa

Santa Catarina - (4 equipes / 2 instituições)
UDESC – Universidade do Estado de Santa Catarina – equipe Albatroz
UFSC – Universidade Federal de Santa Catarina – equipes Cem Asas, Céu Azul Micro e Céu Azul Regular

SUDESTE

Minas Gerais – (17 equipes / 11 instituições)
UFOP – Universidade Federal de Ouro Preto – equipe 12 Bis
UFV Florestal – Universidade Federal de Viçosa – equipe Acauã
CEFET-MG – Centro Federal Tecnológico de Minas Gerais – equipe Aerodesign
UFJF – Universidade Federal de Juiz de Fora – equipes Mamutes e Microraptor
UFSJ – Universidade Federal de São João Del Rei CAP – equipe Noizavua
UFV – Universidade Federal de Viçosa – equipe Skywards
UFSJ – Universidade Federal de São João Del Rei – equipes Trem Ki Voa Micro, Trem Ki Voa Regular e Trem Ki Voa Advanced
UFTM – Universidade Federal do Triângulo Mineiro – equipe Triângulo Aéreo
UFU – Universidade Federal de Uberlândia – equipes Tucano e Tucano Micro
UFMG – Universidade Federal de Minas Gerais – equipes Uai, Sô! Fly!!! e Uai, Sô! Fly!!! Kids
UNIFEI – Universidade Federal de Itajubá – equipes Uirá e Uirá Micro


Rio de Janeiro - (6 equipes / 5 instituições)
PUC-RIO – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro – equipes Aerorio Advanced e Aerorio Micro
UFF – Universidade Federal Fluminense – equipe Blackbird
UFF – Universidade Federal Fluminense EEIMVR – equipe Ufforce
UFRJ – Universidade Federal do Rio de Janeiro – equipe Minerva
CEFET-RJ – Centro Federal de Educação Tecnológica do Rio de Janeiro – equipe Venturi

São Paulo – (31 equipes / 19 instituições)
Grande São Paulo
FESP – Faculdade de Engenharia São Paulo – equipe Aero Elétrons
Anhembi Morumbi – Universidade Anhembi Morumbi – equipe Aeroduca
FEI – Centro Universitário da FEI – equipe FEI Regular
UNINOVE – Universidade Nove de Julho – equipes Fly Girls e Ícaro
UFABC – Universidade Federal do ABC – equipes Harpia e Harpia Pampers
POLI USP – Escola Politécnica da USP – equipe Keep Flying
MACKENZIE – Universidade Presbiteriana Mackenzie – equipe Mechane
MAUÁ – Instituto Mauá de Tecnologia – equipe Obelix
IFSP – Instituto Federal de São Paulo – equipes Taperá e Taperá Baby

Interior de SP
ITA – Instituto Tecnológico de Aeronáutica – equipes 100 Limites, Feng e Leviatã
UNESP Guaratinguetá – Universidade Estadual Paulista – equipe Aerofeg
UFSCAR – Universidade Federal de São Carlos – equipe Dragão Branco
EESC – Escola de Engenharia de São Carlos – equipes EESC-USP Alpha, EESC-USP Bravo e EESC-USP Mike
UNESP Bauru – Universidade Estadual Paulista – equipes FEB Eagle, FEB Hawk e FEB Micro
UNITAU – Universidade de Taubaté – equipe Flytau
FATEC São José dos Campos – Faculdade de Tecnologia – equipe Harppia
UNIP São José dos Campos – Universidade Paulista – equipes Orion e Suzaquim
UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas – equipes Urubus e Urubus Micro
UNESP Ilha Solteira – Universidade Estadual Paulista – equipe Zebra
ETEP Faculdades (campus São José dos Campos) – equipe ETEP Flying


Espírito Santo – (1 equipe / 1 instituição)
UFES – Universidade Federal do Espírito Santo – equipe AVES

CENTRO-OESTE

Distrito Federal - (2 equipes / 2 instituições)
UNIP-DF – Universidade Paulista do Distrito Federal – equipe Antonov
UnB – Universidade de Brasília – equipe Draco Volan

Mato Grosso - (2 equipes / 1 instituição)
UFMT - Universidade Federal de Mato Grosso – equipes Aeroo e Pantaero

Mato Grosso do Sul – (1 equipe / 1 instituição)
UCDB – Universidade Católica Dom Bosco – equipe Tuiuiú


NORDESTE

Bahia - (2 equipe / 2 instituições)
UFB - Universidade Federal da Bahia – equipe Axé Fly
UNIVASF – Universidade Federal do Vale do São Francisco – equipe F-Carranca

Maranhão - (3 equipes / 2 instituições)
UEMA - Universidade Estadual do Maranhão - equipes Zeus Advanced e Zeus Regular
IFMA - Instituto Federal de Educação Ciência e Tecnologia do Maranhão – equipe Guará

Paraíba - (2 equipes / 2 instituições)
UFPB - Universidade Federal da Paraíba - equipe Aerojampa
UFCG - Universidade Federal de Campina Grande – equipe Parahyasas

Pernambuco – (1 equipe / 1 instituição)
UFPE - Universidade Federal de Pernambuco - equipe Mandacaru

Piauí – (1 equipe / 1 instituição)
UFPI – Universidade Federal do Piauí – equipe Delta do Piauí

Rio Grande do Norte - (3 equipes / 2 instituições)
UFERJA – Universidade Federal Rural do Semi-Árido – equipe Calango Voador
UFRN – Universidade Federal do Rio Grande do Norte – equipes Car-Kará Advanced e Car-Kará Micro

NORTE

Pará - (3 equipes / 1 instituição)
UFPA - Universidade Federal do Pará - equipes Iaçá, Uirapuru e Águia de Marabá


ESTRANGEIRAS

Canadá (1 equipe / 1 instituição)
Polytechinique de Montréal – equipe Red Eagle

México (3 equipes / 3 instituições)
Universidade Politécnica Del Valle de Toluca – equipe Horus
Instituto Politécnico Nacional – equipe Kukulcán
Esime Ticomán Of Mexico’s Instituto Politécnico Nacional – equipe Calmécac

Venezuela (1 equipe / 1 instituição)
UNEFA - Universidad Nacional Experimental Politécnica de La Fuerza Armada – equipe Guia-X

Miami (1 equipe / 1 instituição)
Florida International University – equipe F-1U Predator