16 de Agosto, 2012 - 09:25 ( Brasília )

Aviação

FAB - Companhia de Artilharia Antiaérea de Autodefesa participa do Exercício ALBA V


A Companhia de Artilharia Antiaérea de Autodefesa (CAAAD-MN) do Batalhão de Infantaria de Aeronáutica Especial de Manaus (BINFAE-MN) participa do Exercício Operacional ALBA V, que acontece na Base Aérea de Santa Maria (BASM) até o dia 21 de agosto. O objetivo é treinar os militares de Artilharia Antiaérea de Autodefesa da FAB contra ataques de aeronaves consideradas hostis e proteger as instalações e os equipamentos de interesse da Aeronáutica.

O Exercício está dividido em três fases: preparação, execução e análise da missão. Na fase de preparação o Primeiro Grupo de Artilharia Antiaérea de Autodefesa (1º GAAAD) e a CAAAD-MN, Unidades de Artilharia Antiaérea do V COMAR e VII COMAR, respectivamente, efetuaram uma palestra para as Unidades Aéreas participantes do exercício, a fim de proporcionar uma conscientização dos pilotos sobre as capacidades e métodos de emprego do armamento antiaéreo a ser utilizado na Operação Militar.

Nesta fase, foram ministradas palestras pelo Comandante da BASM, Tenente-Coronel Aviador David Almeida Alcoforado e por militares do Terceiro Esquadrão do Décimo Grupo de Aviação (3°/10°GAv) e do Quinto Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (5°/8°GAv), sobre as condições de apoio ao exercício e o emprego das aeronaves, além de táticas e tipos de armamentos que podem ser empregados na simulação da Operação Militar. Este é o primeiro exercício onde Unidades de Artilharia Antiaérea trabalham em conjunto, visando o aprimoramento das técnicas de defesa antiaérea e padronização de doutrina.

A Operação ALBA V conta com a participação de cerca de 50 militares da Infantaria da Aeronáutica pertencentes aos efetivos do 1º GAAAD, sediado em Canoas-RS e da CAAAD-MN, localizada em Manaus-AM, e, ainda, de 60 militares, entre pilotos e sargentos, do 3°/10°GAv , do 5°/8°GAv e e do Primeiro Esquadrão do Décimo Quarto Grupo de Aviação (1°/14°GAv). No Exercício, estão sendo utilizadas aeronaves de caça, A-1 e F-5, bem como com os helicópteros H-60 (Black Hawk), que efetuam ataques simulados à BASM.

Desta forma, a Base permanece protegida por unidades de tiro de Artilharia Antiaérea de Autodefesa da FAB, que portam mísseis IGLA-S de fabricação russa, com a finalidade de impedir e neutralizar as ações de combate dos caças, que atuam como inimigos, durante a simulação.

Durante o Exercício, um estande de demonstração do míssil IGLA-S permanecerá montado na BASM, destinado aos militares que quiserem conhecer os equipamentos de proteção da defesa aeroespacial brasileira, que permitem a Infantaria da Aeronáutica defender na terra o domínio do ar.



Fonte: BINFAE-MN