26 de Julho, 2012 - 09:07 ( Brasília )

Aviação

FAB - Esquadrão Guardião em operação na BOLBRA II


Assim como em outros exercícios binacionais, onde a utilização de aeronaves de Controle e Alarme em Voo é fundamental, o Esquadrão Guardião participa da BOLBRA II.

O E-99 é a ferramenta que a Força Aérea Brasileira utiliza para complementar a cobertura radar nas regiões fronteiriças, aumentando a capacidade de detecção de aeronaves em voo a baixa altura que possam estar em atividades ilícitas. Assim como as aeronaves-alvo utilizadas durante o exercício, qualquer pequeno avião operando na região sem o conhecimento dos órgãos de controle certamente será monitorado pelas aeronaves do 2º/6ºGAv.

As aeronaves E-99 têm a capacidade de complementar os sinais dos radares de solo, servindo, ainda, como uma reserva de visualização-radar ou de comunicações, pois suas tripulações estão habilitadas a fazer o controle e a vetoração das aeronaves interceptadoras, conduzindo-as até os possíveis tráfegos desconhecidos. Funcionam como um back-up dos controladores em solo.

Os E-99 realizam uma varredura minuciosa nas áreas de interesse pelo fato de disporem de uma grande autonomia (podem ficar várias horas em voo) e velocidade, de modo que conseguem cobrir grandes áreas em curtos espaços de tempo.

O Esquadrão Guardião (2º/6ºGAV) fica sediado em Anápolis-GO e possui, ainda, aeronaves R-99, que fazem reconhecimento de objetivos de interesse da FAB e mapeamentos diversos. A capacidade operacional dessas aeronaves coloca o Brasil em um patamar diferenciado a nível mundial em termos de defesa do espaço aéreo, considerando que poucos países têm sedimentada a cultura da utilização de aeronaves de Controle e Alarme em Voo.