25 de Junho, 2012 - 11:11 ( Brasília )

Aviação

Instituto Helibras apresenta projeto arquitetônico para o Parque Municipal de Itajubá

Planta foi concebida com valores de sustentabilidade

O Parque Municipal de Itajubá foi projetado para atender aos altos requisitos ambientais e de sustentabilidade. Para a Helibras, ser sustentável significa atuar em favor das gerações futuras, promovendo o equilíbrio entre o meio ambiente e a sociedade.

A adoção de ações de sustentabilidade garante a médio e longo prazos um planeta em boas condições para o desenvolvimento das diversas formas de vida, possibilitando a manutenção dos recursos naturais. “O parque tem como objetivo tratar também de questões ambientais e sociais, um espaço para convívio e bem estar, além de iniciativas como o tratamento de esgoto, o destino adequado de resíduos sólidos e os cuidados com impactos ambientais na atmosfera”, disse Eduardo Marson, presidente da Helibras .

Para atingir estas premissas, a implantação dos edifícios, seus equipamentos e serviços, levam em conta a paisagem local, usufruindo da localização e da áreaverde como um verdadeiro cenário. Os lagos projetados posicionados ao longo do córrego existente no local passarão a funcionar também como um importante regulador da vazão das águas nas épocas das cheias, evitando o alagamento das áreas mais suscetíveis do parque e de sua vizinhança.

As pistas para caminhadas e as ciclovias, visam a melhor relação entre a topografia e a atividade física. Os trechos em aclives e declives dos percursos e os taludes possuem inclinações que propiciam exercícios físicos que estimulam um melhor condicionamento físico.

Outra intenção é aproveitar a água de chuva, a iluminação e a ventilação natural. A pretensão do projeto é que as águas pluviais sejam captadas através das coberturas e conduzidas a um reservatório de reuso, o qual será disponibilizado para a limpeza geral, lavagem de pisos e irrigação externa, reduzindo desta forma a utilização de água potável para tais finalidades.

As edificações foram pensadas com amplas aberturas para entrada de luz natural e ventilação; os edifícios ora são interligados por pérgulas, ora por terraços cobertos, permitindo a circulação contínua e a integração visual com a natureza. Estão previstas também instalações de placas termosolares para aquecimento da água dos chuveiros nos vestiários e na cozinha. Painéis e placas fotovoltaicas serão posicionados para minimizar o uso de energia elétrica em muitos pontos da iluminação externa.

O parque ainda pretende trazer áreas de quiosques, playgrounds, viveiros de plantas, áreas de palestras sobre educação ambiental, preservação sustentável e reprodução de espécies nativas em extinção e áreas de miniusinas de compostagem.
 
Projeto Conceitual e Arquitetura – EIF Arquitetura e Engenharia Ltda.
 
Gerenciamento – HOSS Construtora ltda.