20 de Março, 2012 - 09:09 ( Brasília )

Aviação

Conheça as aeronaves do Exercício Operacional TRANSPORTEX 2012

TRANSPORTEX - Exercício operacional reúne a Aviação de Transporte da FAB em Belém

A Amazônia será o cenário do Exercício Operacional TRANSPORTEX 2012, que acontecerá entre os dias 16 a 23 de março, na Base Aérea de Belém (BABE), em Belém (PA).

Os objetivos do exercício TRANSPORTEX 2012 são o adestramento das tripulações dos aviões de transporte que realizam o lançamento aéreo na região de Belém, que  apresenta clima e relevo bem diferentes de outras partes da Amazônia brasileira, e dar oportunidade para que os novos tripulantes da Aviação de Transporte da FAB sejam capacitados técnica e profissionalmente na operação de suas aeronaves nessa região. Por isso, a Base Aérea de Belém foi escolhida como cenário da TRANSPORTEX 2012.

Cerca de 400 militares pertencentes a esquadrões da Aviação de Transporte da Força Aérea Brasileira (FAB) contarão com o apoio logístico e operacional de algumas organizações militares de Belém, como o Primeiro Comando Aéreo Regional (COMAR I), a Base Aérea de Belém (BABE), o Hospital de Aeronáutica de Belém, o 2º Batalhão de Infantaria de Selva e o Grupamento de Fuzileiros Navais de Belém, assim como de unidades da área do Rio de Janeiro, destacando-se a Brigada de Infantaria Paraquedista, dentre outros, que trará militares especializados em lançamento de carga e paraquedistas militares que irão realizar o treinamento a partir dos aviões que serão usados no exercício.

Para tanto, serão realizados os seguintes tipos de voos, que os militares participantes chamam de missão. São elas:

1) De lançamento de cargas e paraquedistas a partir de aviões:

- Infiltração Aérea. Missão em que uma pequena quantidade de paraquedistas militares são lançados no território hostil para prepararem uma Zona de Lançamento, conhecida pela sigla ZL, cujo objetivo é receber, em um momento posterior e depois de preparada a área com sinalizações para os pilotos, o restante da tropa paraquedista;

- Assalto Aeroterrestre. Missão em que um grande número de paraquedistas são lançados em uma ZL em uma determinada área do território para realizar a tomada da posição inimiga aproximando-se pela sua retaguarda;

- Ressuprimento Aéreo. Uma vez no solo, a tropa paraquedista, lançada anteriormente, necessita receber mais munição, alimentos, medicamentos e outros itens importantes para o seu trabalho e, com isso, durar mais tempo no combate. Para tanto, cargas especialmente preparadas são lançadas dos aviões em voo e, com o uso de paraquedas, chegam ao solo em condições de que seu conteúdo seja recuperado pela tropa terrestre como suprimento.

No exercício TRANSPORTEX 2012, essas missões serão realizadas durante o dia e também à noite, quando as tripulações usam óculos especiais de visão noturna (NVG). Outra novidade no treinamento é o uso de zona de lançamento (ZL) não somente localizada em terra, mas também na água, cuja carga é preparada e apoiada em um sistema de flutuação que permite ser resgatada por uma embarcação e levada para onde for necessário.

2) De reabastecimento em voo:

Da mesma forma, estarão participando aeronaves que são capacitadas para transferir combustível de um avião para o outro, conhecidos como aviões de REVO, sigla usada pelos militares para o termo “Reabastecimento em Voo”.

A Aviação de Transporte deslocada em Belém para o TRANSPORTEX 2012 estará usando os KC-130 Hércules e o Boeing KC-137, que transferem combustível no ar para caças de interceptação aérea: os F-5EM.

Para que o exercício seja coberto de toda a segurança possível, uma aeronave-radar, o E-99, também estará presente com o objetivo de integrar a imagem ao Centro Integrado da Amazônia em toda a área do exercício, seja em voos a baixa altura para a Infiltração, o Assalto Aeroterrestre e o Ressuprimento Aéreo, como para as missões de Reabastecimento em Voo.

Ao todo, participam do exercício oito C-95 Bandeirante, dois C-105 Amazonas, dois C-130 Hércules, um C-99, um E-99, um KC-130 Hércules, um KC-137 Boeing e dois caças F-5EM.


Conheça as aeronaves do Exercício Operacional TRANSPORTEX 2012

C-95 Bandeirante - É um avião turbo-hélice com capacidade de 15 a 21 passageiros, para uso civil ou militar. A aeronave transporta até nove paraquedistas. Os Bandeirantes do TRANSPORTEX são os utilizados nos sete Esquadrões de Transporte Aéreos (ETA) e no Primeiro Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação (1º/5º GAV), o Esquadrão Rumba.

C-105 Amazonas – É um bimotor turbo-hélice desenvolvido para o transporte tático militar e empregado no lançamento de paraquedistas e de carga, assim como nas missões de busca e salvamento, como a que aconteceu para a localização dos destroços do avião 447 da Air France. O Amazonas é utilizado pelo Primeiro Esquadrão do Novo Grupo de Aviação (1º/9º GAV), o Esquadrão Arara, localizado em Manaus e pelo Primeiro Esquadrão do Décimo Quinto Grupo de Aviação (1º/15º GAV), Esquadrão Onça, na Aviação de Transporte. A aeronave é a principal responsável pelo suporte logístico na região amazônica.

C-130 Hércules - É uma aeronave com quatro turbopropulsores que tem como função principal o transporte aéreo em várias forças armadas em todo o mundo. O Hércules tem capacidade para 88 militares ou 64 paraquedistas. O Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1º/1º GT), o Esquadrão Gordo, e o Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT), o Esquadrão Cascavel e Coral. 

KC-137 Boeing - É uma versão militar do Boeing 707. Adaptado para reabastecimento em voo e transporte de carga, o KC-137 permite aos caças da FAB aumentar seu raio operacional. Em determinadas situações, o KC-137 pode ser utilizado para o transporte executivo. O Segundo Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte (2º/2º GT), o Esquadrão Corsário, vai levar o seu KC-137 para Belém.

KC-130 Hércules - É uma aeronave com quatro turbopropulsores que tem como função principal o reabastecimento em voo (REVO). O KC-130 do TRANSPORTEX faz parte do Primeiro Esquadrão do Primeiro Grupo de Transporte (1º/1º GT).

E-99 - É uma aeronave de Alerta Aéreo Antecipado e Controle, com capacidade autônoma de vigilância e controle aéreo. Concebido para atender aos requisitos operacionais da Força Aérea Brasileira (FAB) para uma aeronave de vigilância aérea, é capaz de prover dados de inteligência sobre aeronaves voando a baixa altura, sobretudo na Amazônia brasileira. O E-99 faz parte do Segundo Esquadrão do Sexto Grupo de Aviação (2º/6º GAV), o Esquadrão Guardião.

F-5EM – Os caças F-5EM do Primeiro Grupo de Aviação de Caça (1º GAVCA), o Esquadrão Jambock, vão atuar em exercícios de Reabastecimento em Voo no TRANSPORTEX, assim como em escolta ao grupo de aeronaves de transporte.

C-99 – Frente à velocidade e à boa disponibilidade de assentos, é uma aeronave que oferece muita mobilidade à Força Aérea, transportando efetivos de organizações militares e comitivas. Essas aeronaves também são empregadas no transporte VIP e no Correio Aéreo Internacional. Seu objetivo primário é o transporte entre o Brasil e as principais capitais da América do Sul. O Primeiro Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte (1º/2º GT), o Esquadrão Condor, leva o seu C-99 para o
TRANSPORTEX.

 

Fonte: Agência Força Aérea