12 de Março, 2012 - 10:00 ( Brasília )

Aviação

EADS - Crescimento Mais Robusto

: EADS Divulga Resultados do Exercício de 2011

•      Todos os principais indicadores acima do previsto
•      Pedidos em carteira do grupo atingem nível recorde:€ 541 bilhões
•      Receita cresce 7% para € 49,1 bilhões
•      EBIT* antes de itens excepcionais aumenta 34%:€ 1,8 bilhões
•      Resultado Líquido antes de itens excepcionais aumenta 76% para € 1,1 bilhão
•      Fluxo de Caixa Livre antes de aquisições de € 2,5 bilhões
•      Dividendo proposto sobe para € 0,45
•      Previsão para EBIT* 2012 antes de itens excepcionais acima de € 2,5 bilhões

 
Leiden, 8 de março, 2012 – A EADS (símbolo da empresa na bolsa: EAD) anuncia resultados para o exercício de 2011 que excedem as previsões.Apesar da volatilidade do cenário macroeconômico, em 2011 a EADS manteve seu crescimento e apresentou um desempenho financeiro positivo, devido particularmente ao crescimento comercial robusto apoiado por dados positivos de tráfego aéreo.  Os mercados para produtos militares em países ocidentais sofreram, acompanhando as previsões.A entrada de pedidos(5)somou€ 131 bilhões em 2011.Os pedidos em carteiraEADS(5)atingiramu um nível recorde de € 541 bilhões.A empresa registrou receita de € 49,1 bilhões.  O desempenho positivo dos programas tradicionais da Airbus e da Airbus Military, além dos resultados comerciais e serviços da Eurocopter, apoiaram o EBIT* antes de itens excepcionais de aproximadamente € 1,8 bilhões.A Companhia registrou EBIT* de € 1,7 bilhões.  A geração de caixa continuou forte, criando uma posição de Caixa Líquida de € 11,7 bilhões.

“Em 2011, a EADS registrou resultados financeiros além do previsto, demonstrando seu potencial de crescimento saudável.A nossa carteira de pedidos atingiu um nível recorde com os pedidos para aviões comerciais, e posso reportar que o mercado para helicópteros civis também revela uma expansão significante.A nossa grande capacidade de geração de caixa protege a companhia e permite a realização de aquisições importantes, principalmente na área de serviços.Nesse cenário, a EADS está preparada para um caminho de  aumento de rentabilidade”, disse Louis Gallois, CEO da EADS.“O ano de 2012 deve apresentar alguns desafios.A diretoria mantém seu foco em programas chaves para a companhia, principalmente o A350. Além disso, é importante monitorar as oscilações de um ambiente econômico incerto e o resultado de discussões com vários governos a respeito do futuro dos seus programas de aquisição para o setor de defesa.É muito importante obter resultados rápidos e sólidos dessas negociações para ambos os lados, especialmente na Alemanha.”

Durante o exercício de 2011, a receita da EADS aumentou 7% para € 49,1 bilhões (ano fiscal de 2010: € 45,8 bilhões).Esse crescimento foi impulsionado pelos efeitos do volume e mix de produção da Airbus, além do aumento na atividade comercial da Eurocopter.Esses ganhos foram mais do que suficientes para compensar as ligeiras reduções registradas pela Astrium e Cassidian.A contribuição geral para as receitas de 2011 da primeira consolidação das principais aquisições foi de aproximadamente € 300 milhões, principalmente da Vector Airspace e Satair, embora o impacto EBIT* foi insignificante.  As entregas físicas permaneceram em um nível elevado, com 534 aviões entregues pela Airbus Commercial, 503 helicópteros da Eurocopter e o 46º lançamento bem sucedido consecutivo do Ariane 5.

EBIT* antes de itens excepcionais (EBIT* ajustado)– indicador que registra a margem subjacente do negócio, excluindo despesas ou lucros não recorrentes causados por movimentos de provisões ou impactos cambiais – foi apurado em aproximadamente € 1,8 bilhão (ano fiscal de 2010: € 1,3 bilhão) para a EADS e aproximadamente € 0,5 bilhão (ano fiscal de 2010: € 0,3 bilhão) para a Airbus.Comparado com 2010, isso representa um aumento significante, apesar das despesas crescentes em P&D e o câmbio desfavorável.Isso foi resultado do bom desempenho dos programas tradicionais da Airbus devido a melhorias em preços, volume e mix de produtos.A Airbus Military e a Eurocopter também contribuíram para o desempenho positivo, a última baseada principalmente em sua linha comercial e serviços.O EBIT* antes de itens excepcionais da Sede melhorou em 2011 principalmente por conta da alocação de um volume maior de despesas administrativas às Divisões e dos impactos positivos de eliminações do Grupo durante o quarto trimestre.

A EADS registrou EBIT* de € 1,696 bilhão (ano fiscal de 2010: € 1,231 bilhão).A Airbus Commercial registrou um aumento no número de entregas e preços maiores que foram mais do que suficientes para equilibrar a deterioração da taxa de hedge e maior investimento em P&D.O volume total de itens excepcionais foi praticamente neutro para a Airbus.O impacto negativo da provisão para o A350 XWB foi mais do que compensado pelos efeitos de conclusão do A340 e impacto positivo do câmbio em divergências dos pagamentos pré-entrega e a revalorização do balanço.  O desempenho da Astrium, Cassidian e Eurocopter inclui cerca de € 200 milhões líquidos em itens não recorrentes negativos.Isso foi parcialmente compensado pelos itens excepcionais positivos em Outros Negócios e da Sede.A maior proporção foi registrada pela Eurocopter, com aproximadamente € 115 milhões em efeitos negativos não recorrentes baseados principalmente em programas governamentais e no programa de transformação SHAPE.A Cassidian registrou encargos líquidos de € 72 milhões em reestruturação e programas.A Astrium registrou um encargo de € 23 milhões durante o quarto trimestre em relação ao programa de transformação AGILE.

O Lucro Líquido aumentou 87% para € 1,033 bilhão (ano fiscal de 2010: € 553 milhões) ou lucro por ação de € 1,27 (lucro por ação do ano fiscal de 2010: € 0,68).O Lucro Líquido antes de itens excepcionais(4) aumentou para € 1.061 bilhão (ano fiscal de: € 603 milhões). Esses aumentos foram principalmente resultado dos avanços operacionais refletidos pelo EBIT*, com um impacto positivo no Lucro Líquido.

O resultado de financiamentos foi € -220 milhões (ano fiscal de 2010: € -371 milhões).O resultado de juros de € 13 milhões (Exercício de 2010: € -99 milhões), reflete principalmente  maior renda de juros, consequência do desempenho positivo de caixa.O resultado de juros em 2011 inclui uma liberação positiva não recorrente de € 120 milhões com a conclusão do programa A340.O outro resultado financeiro é € -233 milhões (ano fiscal de 2010: € -272 milhões). Esse item inclui a revalorização negativa das opções de câmbio detidas pela EADS, no valor de aproximadamente € 90 milhões, e o cancelamento de provisões descontadas no valor de € -172 milhões.

Baseado em um lucro por ação (EPS, Earnings per Share) de € 1,27, o Conselho de Administração da EADS está propondo o pagamento no dia 7 de junho de 2012 de um dividendo de € 0,45 por ação para a Assembleia Geral de acionistas (ano fiscal de 2010: € 0,22 por ação).  A data limite para registro de ações deve ser 6 de junho de 2012.

“É uma grande satisfação compartilhar esse bom desempenho e crescimento com nossos acionistas por meio de um dividendo muito maior, baseado em uma razão de pagamento que está se aproximando dos níveis adotados por outras empresas do setor”, disse Hans Peter Ring, CFO da EADS.  “Com o amadurecimento do Grupo, essa política de dividendos deve servir para orientação futura”.

Despesas com Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) auto-financiadas aumentaram para € 3,152 bilhões, (ano fiscal de 2010: € 2,939 bilhões) impulsionadas principalmente pelo maior investimento pela Airbus no desenvolvimento do A350 XWB, pela Cassidian para o Sistema Aéreo Não Tripulado (UAS) e pela Eurocopter para as atividades de radar para o Eurofighter.

Fluxo de Caixa Livre no ano fiscal de 2011 foi beneficiado pelo desempenho operacional positivo.A companhia registrou Fluxo de Caixa Livre de € 958 milhões (ano fiscal de 2010: € 2,707 bilhões).Após financiamento para clientes e antes de aquisições, o Fluxo de Caixa Livre de € 2,493 bilhões está bem acima do previsto devido ao maior volume de pedidos e entregas acima do esperado registrados pela Airbus, o avanço do EBIT* antes de itens excepcionais e a entrada de pagamentos de clientes governamentais acima do previsto.O fluxo de caixa bruto de operações aumentou comparado com o ano anterior, devido principalmente a maior rentabilidade antes de depreciação e provisões.O capital de giro inclui estoques maiores da Airbus devido à aceleração progressiva dos programas de produção.O crescimento de estoques foi mais do que compensado pelos pagamentos antecipados recebidos pela Airbus.  Financiamento para clientes gerou caixa de € 135 milhões em 2011 com os mercados de locadores e serviços bancários globais mantendo seus níveis de atividades, apesar de preocupações recentes.O nível de despesas de capital industrial está ligeiramente menor que o valor registrado em 2010.De acordo com a estratégica do Grupo, a EADS realizou algumas aquisições significantes em 2011 com pagamentos totais de aproximadamente € 1,5 bilhão.

A EADS registrou uma posição sólida de Caixa Líquida no valor de € 11,7 bilhões (€ 11,9 bilhões no final de 2010) após aquisições.Essa posição também inclui uma contribuição em dinheiro para ativos de fundos de pensão de € 489 milhões.

O número de entrada de pedidos(5)pela EADS aumentou 58% para € 131,0 bilhões (ano fiscal de 2010: € 83,1 bilhões), e foi impulsionado pelo número crescente de pedidos para aviões comerciais recebidos pela Airbus.  No final de dezembro de 2011, a carteira de pedidos(5)do Grupo aumentou 21%, registrando um volume recorde de € 541,0 bilhões (ano fiscal de 2010: € 448,5 bilhões), sustentando o crescimento de receita bruta no futuro.Os pedidos em carteira da Airbus Commercial foram beneficiados pelo impacto de uma revalorização de aproximadamente € 15 bilhões devido a um reforço do valor balcão do dólar norte-americano, que aumentou desde o final de 2010.A carteira de pedidos no setor de defesa caiu para € 52,8 bilhões (final de 2010: € 58,3 bilhões).

No final de dezembro de 2011, a EADS tinha 133.115 funcionários, incluindo 6.505 funcionários após a aquisição da Vector Aerospace, PFW Aerospace, Vizada, Satair e várias aquisições menores (final de 2010: 121.691).
 
 Perspectivas

Embasando as previsões da EADS para 2012, o Grupo prevê crescimento da economia global e tráfego aéreo de acordo com previsões independentes, presumindo uma taxa de câmbio mediana de € 1 = US$ 1,35.

Em 2012, a Airbus deve entregar cerca de 570 aviões comerciais.O volume bruto de pedidos deve exceder o número de entregas.A receita da EADS em 2012 deve continuar crescendo acima de 6%.  O EBIT* do grupo antes de itens não recorrentes deve aumentar de maneira significativa por conta do volume crescente da Airbus e Eurocopter, preços mais atraentes da Airbus e avanços do A380.A EADS prevê EBIT* antes de itens excepcionais acima de € 2,5 bilhões. O Lucro por Ação (EPS)* da EADS em 2012 antes de itens excepcionais(4)deve superar o valor de € 1,65 (ano fiscal de 2010: € 1,39), baseado no Lucro Líquido* antes de itens excepcionais(4).

Futuramente, o desempenho do EBIT* e Lucro por Ação da EADS dependerão da capacidade do Grupo em executar programas complexos como o A400M, A380 e A350 XWB, de acordo com compromissos assumidos pela companhia com seus clientes.Baseado nessas previsões para o EBIT*, a EADS deve continuar gerando Fluxo de Caixa Livre positivo após o financiamento para clientes e antes de aquisições.  Como é o item de maior volatilidade, especialmente em épocas de incertezas macroeconômicas, a EADS deve emitir orientações mais precisas ainda esse ano.

Divisões da EADS:Novos Recordes para a Airbus, Crescimento da Eurocopter e Estabilidade para a Astrium e Cassidian

A receita consolidada da Airbus aumentou 10% para € 33,103 bilhões (ano fiscal de 2010: €  29,978 bilhões), impulsionadas principalmente pelo maior volume de entregas.A Airbus registrou EBIT* consolidado 91% maior de € 584 milhões (ano fiscal de 2010: € 305 milhões).

A Airbus Commercial registrou receita de € 31.159 bilhões (ano fiscal de 2010: € 27,673 bilhões).A Airbus aumentou sua produção pelo décimo ano consecutivo, atingindo um novo recorde de 534 entregas físicas de aviões comerciais, incluindo 26 A380.  Nos últimos doze meses, a receita da Airbus Commercial se beneficiou principalmente de volumes favoráveis e efeitos do mix de produção, que inclui um número maior de entregas da Família A320 e do A380, além de preços mais atraentes.O impacto negativo do câmbio sobre a receita é de aproximadamente € 400 milhões.  A Airbus Commercial registrou EBIT* de € 543 milhões (ano fiscal de 2010: € 291 milhões). Comparado com o ano passado, o EBIT* antes de itens excepcionais da Airbus Commercial de aproximadamente 490 milhões (ano fiscal de 2010: € 280 milhões) aproveitou de avanços operacionais, entre os quais o efeito de preços melhores.O avanço durante o ano foi parcialmente reduzido pela deterioração da taxa de hedge em aproximadamente € 200 milhões e despesas maiores com P&D, especialmente em relação ao programa A350 XWB.  A receita da Airbus Military registrou queda de 7% para € 2,504 bilhões (ano fiscal de 2010: € 2,684 bilhões) devido a menor reconhecimento de receita do  A400M, mas o EBIT* aumentou  para € 49 milhões (ano fiscal de 2010: € 21 milhões) por conta do mix favorável, avanços operacionais e redução de custos fixos.

Em 2011, a Airbus Commercial bateu o recorde de pedidos recebidos com 1.419 pedidos líquidos (ano fiscal de 2010: 574 pedidos líquidos).  Só a Família A320neo atraiu 1.226 pedidos firmes, fazendo desse o jato com vendas mais rápidas em toda a história da aviação comercial.A Airbus iniciou os testes de voo dos dispositivos aerodinâmicos “Sharklet” do A320, que prometem uma redução do consumo de combustível de até 3,5%.Outros marcos incluem a entrega do 7000º avião.Duas companhias aéreas, a Korean Air e a China Southern, receberam seus primeiros A380. Com isso, sete linhas aéreas operam esses aviões.A produção da linha A380 avançou, refletida pelas 26 entregas em 2011, acima da meta.

Os programas para aumentar a produção da família de corredor único e longo alcance  estão avançados, apesar dos desafios de acelerar a produção.Com o crescimento do volume de pedidos, a Airbus decidiu acelerar a produção do A330 para onze no segundo trimestre de 2014, se os pedidos para aviões não sofrerem com questões ligadas ao Esquema de Negociação de Emissões.A administração está focando toda a atenção possível na solução dos problemas com a asa do A380.  A Airbus arcará com o custo de resolver essa questão e uma estimativa foi apresentada dentro da provisão de garantia das aeronaves entregues.  O programa A350 XWB está avançando.Grandes seções do A350 XWB chegaram à Linha de Montagem Final (LMF) em Toulouse no final de 2011.Em fevereiro de 2012, o motor Trent do A350 XWB realizou seu primeiro voo com sucesso em uma “Plataforma de Testes Voador” A380.A sua entrada em serviço está prevista para o primeiro semestre de 2012.O programa apresenta muitos desafios: o cronograma está cada vez mais curto com a Airbus avançando em direção a seus próximos marcos, especialmente para a sua entrada em serviço. Em 2011, a Airbus avançou sua estratégia no setor de serviços com a aquisição da empresa especializada Satair e a Metron Aviation, dos EUA, fornecedora de soluções para Gestão de Tráfego Aéreo.

A Airbus Military entregou um número recorde de 29 aviões em 2011, incluindo seis A330 Avião Tanque de Múltiplas Funções, um avião de última geração.Num ambiente concorrido, a Airbus Military recebeu cinco pedidos para aviões de leve e médio porte.  O programa de voos de teste para o A400M está em andamento, com cinco aviões de teste e a perspectiva de realizar a primeira entrega de acordo com o cronograma.A montagem final do primeiro avião para entrega começou em Sevilha.

Até o final de dezembro de 2011, o valor da carteira consolidada de pedidos da Airbus foi de € 495,5 bilhões (final de 2010: € 400,4 bilhões).A carteira de pedidos da Airbus Commercial representou € 475,5 bilhões (final de 2010: € 378,9 bilhões), que inclui 4.437 unidades representando um recorde para o setor (final de 2010: 3.552 aviões).  A companhia se beneficiou do impacto de uma revalorização positiva de aproximadamente € 15 bilhões devido ao fortalecimento do dólar norte-americano contra o Euro no final de 2011, comparado com 2010.A Airbus Military registrou cinco novos pedidos, trazendo a  carteira para 217 aviões.  A carteira de pedidos da Airbus Military estava avaliada em € 21,3 bilhões (final de 2010: € 22,8 bilhões).

A receita da Eurocopter aumentou 12%, atingindo um nível recorde de € 5,415 bilhões (ano fiscal de 2010: € 4,830 bilhões) com a recuperação progressiva do setor civil.As entregas totalizaram 503 helicópteros (ano fiscal de 2010: 527 helicópteros) incluindo o 1000º Dauphin, o 1000º EC135 e o 100º NH90.A Divisão registrou EBIT* 42% maior em € 259 milhões (ano fiscal de 2010: € 183 milhões). O aumento de receita e EBIT* comparado com o ano anterior é resultado do mix favorável em entregas comerciais e atividades de apoio, além de melhor desempenho operacional.A receita também inclui € 210 milhões da primeira consolidação da Vector Aerospace.Um encargo líquido de aproximadamente € 115 milhões foi registrado em 2011.Esse encargo está principalmente ligado a programas governamentais e ao SHAPE.  O resultado de 2010 inclui um encargo líquido de € 120 milhões.As despesas com P&D aumentaram como parte da estratégia de inovação da Eurocopter.

Aproveitando a forte recuperação do setor civil e sua estratégia de inovação de longo prazo, a Eurocopter registrou pedidos líquidos de 457 helicópteros em 2011, comparado com 346 pedidos líquidos no ano anterior.Esses pedidos incluem contratos significantes para o EC225, o primeiro pedido de grande volume para a versão avançada do EC145 T2 e pedidos firmes para o novo EC175.O movimento positivo do mercado continuou em 2012 com 191 pedidos e compromissos durante a HeliExpo Air Show na cidade de Dallas no início de 2012. O programa NH90 atingiu um marco importante com a declaração de conformidade para a Configuração Operacional Final do NH90 Tactical Transport Helicopter (TTH) em novembro.

A Eurocopter adquiriu a Vector Airspace para ampliar seus negócios na área de serviços e sua presença internacional.Sua presença global também foi consolidada com um acordo de cooperação no Cazaquistão e uma nova fábrica no México.Em 2011, a Eurocopter atingiu novos marcos importantes em sua busca por inovação, iniciando testes de voo com um helicóptero híbrido demonstrador AS350 e o X3 demonstrador.Em 2011, a Eurocopter concluiu seu programa de transformação SHAPE, com duração de dois anos, aumentando suas capacidades durante o período de retração do mercado em anos recentes.A carteira de pedidos da Divisão estava em € 13,8 bilhões (final de 2010: € 14,6 bilhões), representando 1.076 helicópteros (final de 2010: 1.122 helicópteros).

A receita da Astrium foi estável em 2011 totalizando € 4,964 bilhões (ano fiscal de 2010: € 5,003 bilhões) devido a excelente execução do programa, apesar dos desafios do mercado internacional e da concorrência maior. O EBIT* caiu para € 267 milhões (ano fiscal de 2010: € 283 milhões).O forte desempenho do negócio de Satélites e Transporte Espacial sofreu com a queda de atividades na área de Serviços, despesas relacionadas à aquisição da Vizada e um encargo de € 23 milhões registrado no último trimestre para o programa de transformação AGILE.

O valor de pedidos recebidos foi de € 3,5 bilhões em 2011, mantendo a tendência de crescimento, embora a um nível menor comparado com os resultados excepcionais dos últimos dois anos.  Alguns negócios importantes foram fechados com a venda de de satélites de telecomunicações  para as operadoras US DIRECTV e Measat na Malásia.Isso representa o primeiro sucesso da Astrium em seu projeto de aumentar a competitividade em geral em mercados de exportação, através do programa de transformação AGILE.Em 2011, o Ariane 5 realizou cinco lançamentos bem sucedidos, incluindo seu 46º  lançamento consecutivo bem sucedido e o lançamento do segundo Veículo de Transferência Automatizada (ATV).13 satélites construídos pela Astrium foram lançados em 2011, incluindo os primeiros dois satélites Galileo de Validação Em Orbita e o satélite Pleiades 1A para observação da Terra em alta resolução, que será distribuído com exclusividade pela Astrium Services.A companhia deu um passo importante para a expansão no setor de serviços com a aquisição da Vizada, fechada em dezembro.Até o final de dezembro 2011, o valor da carteira de pedidos consolidada da Astrium era de € 14,7 bilhões (final de 2010: € 15,8 bilhões).

A Cassidian registrou receita robusta de € 5.803 bilhões (ano fiscal de 2010: € 5,933 bilhões).A rentabilidade estava alinhada com as previsões, com EBIT* caindo para € 331 milhões (ano fiscal de 2010: € 457 milhões).O EBIT* reflete a margem sólida de programas maduros, mas sofre o impacto de um aumento significante em P&D financiado com recursos próprios, uma provisão de reestruturação de € 38 milhões e um encargo negativo de € 34 milhões em relação a programas.O impacto das limitações orçamentárias em mercados domésticos está claramente afetando os negócios da Cassidian com alguns atrasos de pedidos e financiamentos e custos mais elevados de P&D.

A Divisão recebeu pedidos de € 4,2 bilhões em 2011, apesar de um ambiente mais difícil.A carteira de pedidos inclui um contrato para a primeira fase de um Sistema de Comando e Controle dos Emirados Árabes Unidos, para a EMIRAJE Systems, uma Joint Venture entre a Cassidian e a C4 Advanced Solutions. A Divisão iniciou um processo de transformação abrangente para promover a globalização e alinhar-se com os desafios dos mercados domésticos europeus.

Em 2011, a Cassidian manteve progresso em seu desenvolvimento de Sistemas Aéreos Não Tripulados (UAS).O EuroHawk UAS, um programa conjunto com a Northrop Grumann para as forças armadas da Alemanha, realizou seu voo de transferência dos EUA para a Alemanha em julho.  Depois do voo, o sistema de sinalização de inteligência, desenvolvido pela Cassidian, foi integrado com sucesso antes dos voos de teste.A Cassidian assinou acordos de colaboração para UAS com a Turkish Aerospace Industries e a Alenia Aeronautica da Itália. No final de 2011, a Cassidian assinou mais um acordo com a Rheinmetall para desenvolver atividades UAS com a EADS como parte da nova entidade.  A entrega do 300º Eurofighter em outubro representou mais um marco importante para esse programa multinacional.  Com o acordo para prolongar o prazo de entrega, a produção do Eurofighter está assegurada até 2017.Até o final de dezembro de 2011, o valor da carteira de pedidos da Cassidian era de € 15,5 bilhões (final de 2010: € 16,9 bilhões).

Sede e Outros Negócios (não pertencentes a nenhum Divisão)

A receita de Outros Negócios aumentou 6% para € 1,252 bilhões (ano fiscal de 2010: € 1,182 bilhões).A receita da EADS North America subiu com a aceleração do programa de entregas do Light Utility Helicopters (LUH) e aeronaves de transporte médios e leves. O aumento de tarifas e maior atividade de fabricação de  assentos da Sogerma compensou a transferência de algumas atividades para a Eurocopter após a aquisição da Vector Aerospace.  OEBIT* de Outros Negócios mais que dobrou e atingiu € 59 milhões (ano fiscal de 2010: € 25 milhões), incluindo aumentos da ATR e Sogerma além de um ganho da alienação da Defense Security and Systems Solutions (DS3) pela EADS North America, concluída em maio.

A ATR registrou um volume anual de pedidos excepcional com 119 pedidos firmes (ano fiscal de 2010: 78).Esses pedidos firmes representam mais de 80% de todos os pedidos de aviões regionais com 50 a 90 assentos, confirmando o sucesso da linha atualizada.Em agostos de 2011, a ATR entregou seu primeiro ATR 72-600 para o cliente de lançamento, Royal Air Maroc.  A ATR entregou um total de 54 aviões em 2011 (ano fiscal de 2010: 52), das quais 10 são ATR 72-600s.  Em 2011, a ATR registrou uma carteira de pedidos de 224 aviões, representando três anos de produção.  A EADS North America recebeu um contrato da Lockheed Martin para fornecer seu radar TRS-3D para uso a bordo dos Navios de Combate Litorâneo da Marinha Norte-Americana.Em outubro, a EADS North America atingiu outro marco notável no programa do UH-72A Lakota Light Utility Helicopter (LUH) com a entrega de Lakotas equipados com os pacotes de Segurança e Suporte (S&S) e Pacote de Equipamento para a Missão do Batalhão (MEP), para a Guarda Nacional. Até hoje, a EADS North America entregou mais da metade dos 345 LUHs planejados para o Exercito, todos dentro do cronograma e orçamento.  A Marinha dos EUA também recebeu cinco Lakotas que serão usados pela Escola de Pilotos de Teste Navais dos EUA.Até o final de dezembro 2011, o valor da carteira de pedidos de Outros Negócios aumentou 18% para € 3,0 bilhões (final de 2010: € 2,5 bilhões).
 
* A EADS adota o EBIT antes de desvalorização do fundo de comércio e itens excepcionais como um indicador chave do seu desempenho econômico.A expressão “itens excepcionais” se refere a itens como despesas de depreciação de ajustes de valor justo relacionados à fusão da EADS, a unificação da Airbus e à formação da MBDA, assim como os respectivos gastos com prejuízos.
 
A EADS é líder mundial nos segmentso aeroespacial, de defesa e serviços relacionados. Em 2011, o Grupo – que inclui Airbus, Astrium, Cassidian e Eurocopter – faturou 49,1 bilhões de euros e conta com mais de 133.000 funcionários.
www.eads.com

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 


Notas:
1)        Lucros antes de juros, impostos, depreciação, amortização e itens excepcionais.
2)        Lucros antes de juros e impostos, desvalorização do fundo de comércio e itens excepcionais.
3)        A EADS mantém a expressão Resultado Líquido.É idêntico ao Lucro para o período atribuível aos acionistas da controladora de acordo com as Regras IFRS.
4)        O Resultado Líquido antes de itens excepcionais é o Resultado Líquido menos os itens excepcionais do EBIT*.Isso exclui outros resultados financeiros (exceto o cancelamento de descontos sobre provisões) e o efeito positivo do item não recorrente em resultado de juros, ligado ao término do programa A340 e todos os efeitos fiscais em relação a esses itens.  O Resultado Líquido* antes de itens excepcionais é o Resultado Líquido antes de desvalorização do fundo de comércio e itens excepcionais, líquidos de impostos. Assim, o EPS* antes de itens excepcionais é o EPS baseado em Resultado Líquido* antes de itens excepcionais.
5)        Contribuições de atividades de aviões comerciais aos Pedidos Recebidos e Carteira da EADS, baseado em preços de tabela.
6)        Os Segmentos sujeitos a divulgação da Airbus Commercial e Airbus Military, representam a Divisão Airbus.  Eliminações são processadas à nível de Divisão.
7)        A ser proposta durante a Assembleia Ordinária.