30 de Janeiro, 2012 - 10:07 ( Brasília )

Aviação

Embraer quer decolar na China


ROSANA HESSEL

A Embraer está de olho no mercado de jatos executivos da China, segmento ainda muito pequeno naquele país, mas com potencial enorme, dado o grande número de novos ricos no país asiático. Um estudo feito pela companhia brasileira prevê que os chineses demandarão nada menos que 635 jatos em 10 anos. Ou seja, nesse período, as expectativas são de que esse mercado será o segundo ou mesmo o primeiro do mundo, movimentando US$ 21 bilhões. Para abocanhar uma fatia desse bolo, a empresa sediada em São José dos Campos (SP) contará até com uma ajuda especial, a do ator.

Jackie Chan, ídolo chinês conhecido pelos filmes de luta, para abrir portas e encarar a forte concorrência na Ásia.

Atualmente, os Estados Unidos lideram o mercado de jatos executivos, seguidos por México e Brasil. Na China, a Embraer aposta firme na venda de modelos maiores e mais caros: o Legacy 650, com capacidade para até 14 passageiros e autonomia de 6,7 mil quilômetros, e o Lineage 1000, para até 19 passageiros e capacidade para voar 8,3 mil quilômetros sem escalas — os dois modelos custam US$ 30 milhões e US$ 50 milhões, respectivamente.

Atualmente, a companhia brasileira tem uma frota superior a 100 jatos comerciais voando na China e outros 53 deverão ser entregues nos próximos anos. Segundo a empresa, os jatos da Embraer lideram o mercado de aviação regional chinês, com 76% de participação, resultado de uma mudança recente na China, marcada pela abertura aos modelos fabricados fora do país.

A parceria entre a Embraer e Jackie Chan nasceu da necessidade de fincar pé na China.

A estratégia de guerra começou a ser desenhada em outubro de 2011, durante uma feira especializada em Las Vegas, nos Estados Unidos, onde a Embraer Executive Jets, subsidiária da marca brasileira para os jatos executivos, vendeu um Legacy 650 para o ator.

Chan, estrela de A Hora do Rush 3, receberá seu avião personalizado em São José dos Campos na próxima sexta-feira, ocasião em que formalizará o contrato por meio do qual se tornará o embaixador da marca na Ásia. Além do avião vendido ao ator, a Embraer já comercializou outros 13 jatos Legacy 650 na China. Outras sete unidades estão em negociação.