15 de Dezembro, 2011 - 11:02 ( Brasília )

Aviação

Anac permite que helicóptero russo Ka-32 opere no Brasil


Cezar De Oliveira Faccioli

A Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) certificou o helicóptero Ka-32 A11BC, de fabricação russa, para a realização de voos no Brasil. A certificação é indispensável para a operação de aeronaves em solo brasileiro. A empresa brasileira responsável pelas operações de voo, a Helipark, identificou um grande potencial no modelo de carga da Russian Helicopters, capaz de transportar até 5 toneladas. A primeira unidade chega ao Brasil em janeiro de 2012.

O presidente da Helipark, João Velloso, explica o otimismo: “O Kamov Ka 32 trará um conceito pouco explorado no país, o de transporte aéreo de cargas pesadas para locais pouco acessíveis. A Helipark comprou um primeiro helicóptero, em parceria com a Guindastec, e esperamos que seja o primeiro de vários”.

A união da Helipark, principal centro de serviços para helicópteros da América Latina, com a Guindastec, especialista em içamento e movimentação de grandes volumes, resultou na Helicargo, primeira empresa brasileira a explorar o transporte aéreo de cargas pesadas por helicóptero.

Com essa aeronave, a empresa poderá oferecer apoio para sondas e plataformas de exploração petrolífera on shore (costeira) e offshore (alto-mar), construção de oleodutos, gasodutos, linhas de transmissão, usinas hidrelétricas e termelétricas, combate a incêndios, etc. O acordo com a Russian Helicopters envolve a assistência técnica nas instalações da Helipark no Brasil.

As negociações com a holding russa começaram em 2009, e incluem o estabelecimento de um centro de manutenção para o helicóptero dentro das instalações do Helipark e o treinamento das equipes. Para o treinamento, quatro pilotos, dois operadores de equipamentos e quatro mecânicos foram enviados à Rússia em setembro.

Além de garantir maior agilidade e economia no deslocamento de materiais pesados, a Helicargo busca atender às necessidades ambientais de um país em desenvolvimento. Até hoje, o transporte de equipes, infraestrutura e equipamentos até pontos remotos, inacessíveis por rios ou rodovias, depende exclusivamente da abertura de pequenas estradas vicinais, e essas se tornam inevitáveis vetores do desmatamento. O transporte aéreo para esse fim reduz sensivelmente o impacto ambiental na construção de gasodutos, oleodutos e torres de transmissão.

A maior parte do potencial hidrelétrico remanescente no Brasil, por exemplo, está na Amazônia, em áreas de difícil acesso e necessidade de cuidados ambientais redobrados.

Agora a grande aposta da Helicargo é o Ka-32 A11BC, um robusto helicóptero multifuncional capaz de transportar 5 toneladas de carga externa e 3,7 toneladas de carga interna, que já opera em mais de 30 países.