13 de Outubro, 2011 - 18:27 ( Brasília )

Aviação

Rolls-Royce e Pratt & Whitney anunciam nova joint venture

Com essa parceria, as duas empresas vão desenvolver novos motores para a futura geração de aeronaves de tamanho médio.

· Com essa parceria, as duas empresas vão desenvolver novos motores para a futura geração de aeronaves de tamanho médio

· A Pratt & Whitney comprará a parte da Rolls-Royce na International Aero Engines (IAE)

1. Nova Joint Venture

A Rolls-Royce, empresa global de sistemas de energia, e a Pratt & Whitney, uma companhia da United Technologies Corp., têm a satisfação de anunciar um acordo para formar uma nova parceria para a construção de motores para futuros aviões de porte médio (120-230 passageiros). As duas empresas estabelecerão uma joint venture, na qual terão participações iguais, para desenvolver novos motores para a nova geração de aeronaves que substituirá a frota existente de aviões de porte médio. A nova empresa se beneficiará da mais avançada tecnologia dessas duas empresas de primeira linha para obter desempenho superior para esse crescente segmento, no qual a demanda mundial prevista para os próximos 20 anos é de aproximadamente 20.000 novos aviões (ou cerca de 45.000 motores).

A nova joint venture se concentrará na tecnologia de high bypass ratio geared turbofans?. Além disso, a empresa colaborará em futuros estudos para os sistemas de propulsão de próxima geração, incluindo motores engrenados avançados, tecnologia de rotor aberto e outras configurações avançadas.

A nova colaboração junta recursos tecnológicos complementares e é projetada para oferecer a melhor e mais competitiva resposta à demanda dos clientes para o motor de próxima geração no segmento de médio porte. A colaboração agregará valor significativo para os clientes, na medida em que cada uma das duas partes pode se beneficiar dos pontos fortes da outra.

A nova joint venture entre a Pratt & Whitney e a Rolls-Royce também se beneficia do sucesso do V2500 e do motor PurePower® para estabelecer uma ampla base de clientes. Ela está baseada na longa e bem sucedida parceria entre a Pratt & Whitney e a Rolls-Royce no segmento de porte médio. A Japanese Aero Engine Corporation (JAEC) e a MTU Aero Engine (MTU), parceiras na IAE e no programa PurePower® PW1100G-JM (Geared Turbofan?) para o Airbus A320 New Engine Option (neo), também pretendem se juntar à nova colaboração.

2. Rolls-Royce e Pratt & Whitney reestruturam participação na IAE

Além de estabelecer a nova parceria, a Rolls-Royce e a Pratt & Whitney reestruturarão sua participação na IAE, que produz o motor V2500 para a família de aviões A320. Sob os termos do acordo, a Rolls-Royce venderá seu patrimônio e participação nos programas da IAE para a Pratt & Whitney por US$1,5 bilhão e, adicionalmente, receberá um valor pré-combinado por cada hora voada pela atual frota instalada de aeronaves impulsionadas pelo V2500, por quinze anos a contar da data em que a transação for concluída.

Sob a liderança da Pratt & Whitney, JAEC e MTU, a IAE continuará a fornecer o mesmo produto de alta qualidade e suporte ao cliente sem interrupção. A Rolls-Royce permanece comprometida com a IAE e seus clientes e continuará a ser responsável pela fabricação dos compressores de alta pressão, de palhetas e discos da turbina, bem como a prover suporte de engenharia e montagem final de 50 por cento dos motores V2500. Desde sua criação há quase 30 anos, a IAE se tornou uma importante força na aviação internacional, com aproximadamente 4.500 motores V2500 em serviço e aproximadamente 2.000 sob encomenda.

"O anúncio de hoje indica um rumo claro para o futuro da Rolls-Royce no importante segmento dos aviões de médio porte", disse Mark King, Presidente da Divisão Aeroespacial Civil da Rolls-Royce.

"Estamos construindo sobre uma base de muitos anos de colaboração bem sucedida com a Pratt & Whitney neste segmento para desenvolver motores aeronáuticos avançados, que, estamos confiantes, estabelecerão novos padrões em tecnologia, desempenho e eficiência na aviação".

"Esses acordos posicionam a Pratt & Whitney, JAEC, MTU e IAE para atender da melhor maneira às necessidades de seus clientes para todos os membros da família do A320", declarou Toded Kallman, Presidente de Motores Comerciais e Serviços Globais da Pratt & Whitney. "Estamos satisfeitos em colaborar com a Rolls-Royce, com suas capacidades complementares, e aguardamos ansiosamente a nova geração de motores aeronáuticos, que oferecerão benefícios operacionais e ambientais ainda maiores".

Além disso, a Rolls-Royce fará um modesto investimento financeiro no motor PurePower® PW1100G-JM (Geared Turbofan?) para o programa do Airbus A320 New Engine Option (neo).

3. Implicações financeiras para a Rolls-Royce

Não se espera que essas transações tenham um impacto significativo no desempenho comercial de 2011 nem nas diretrizes financeiras estabelecidas para 2011, conforme atualizadas por ocasião do anúncio dos resultados do Grupo no primeiro semestre, em 29 de julho de 2011.

Para o futuro, a reestruturação de nosso envolvimento na IAE produzirá diversos efeitos importantes no desempenho comercial. Incluídos aí estão o pagamento líquido de US$1,5 bilhão, sujeito a alguns ajustes quando a transação for completada, e melhoramentos no desempenho comercial nos anos vindouros. Os recursos de caixa serão retidos para propósitos corporativos de caráter geral. O efeito dessas transações no setor Aeroespacial Civil serão melhorar a lucratividade comercial ao longo dos próximos anos, esperando-se que o aumento dos lucros operacionais anuais seja de mais de £140 milhões no primeiro ano, com uma contribuição diminuindo lentamente em anos sucessivos, dependendo da utilização da atual frota de V2500. Em geral, a mai parte do valor para a Rolls-Royce será derivada do pagamento por horas de voo a ser feito ao longo dos próximos quinze anos.

Sobre a International Aero Engines

  1. A IAE tem sede em Glastonbury, Connecticut, EUA, e em 30 de dezembro de 2010 possuía mais de 400 funcionários globalmente, com patrimônio bruto de US$ 1,6 bilhões.
  2. A atual frota da IAE, de cerca de 4.500 motores, representa aproximadamente 112 milhões de libras de empuxo instalado, tem idade média de cerca de oito anos e atualmente cada uma opera cerca de 5.000 horas por ano, resultando num total de mais de vinte milhões de horas de voo por ano.
  3. Em 30 de junho de 2011 havia aproximadamente 2.000 motores V2500 e contratos de serviços futuros a eles associados na caderneta de encomendas da Rolls-Royce, representando um total de £4,5 bilhões.

Sobre a Pratt & Whitney

  1. A Pratt & Whitney é uma líder mundial em projeto, fabricação e manutenção de motores aeronáuticos, sistemas de propulsão espacial e turbinas industriais a gás. A United Technologies, sediada em Hartford, Connecticut, EUA, é uma empresa diversificada que fornece produtos e serviços de alta tecnologia para as indústrias aeroespacial e de construção comercial em nível global.

Sobre a Rolls-Royce

  1. A Rolls-Royce é um dos maiores fornecedores mundiais de sistemas e serviços de energia para uso em terra, mar e ar e estabeleceu uma posição forte em mercados globais - aeroespacial civil, aeroespacial militar, marítimo e de energia.
  2. Como resultado dessa estratégia, a empresa tem atualmente uma ampla base de clientes que inclui mais de 500 companhias aéreas, 4.000 operadores corporativos e governamentais de aviões e helicópteros, 160 forças armadas, mais de 2.500 clientes marítimos, incluindo 70 marinhas de guerra, e clientes de energia em aproximadamente 120 países, com uma base instalada de 54.000 turbinas a gás.
  3. A receita anual foi de £ 10,8 bilhões em 2010, das quais mais da metade é proveniente do fornecimento de serviços. A carteira de encomendas firmes e anunciadas estava em £ 61,4 bilhões em 30 de junho de 2011, resultando em boas perspectivas para os futuros níveis de atividade.
  4. A Rolls-Royce emprega mais de 39.000 funcionários treinados em escritórios, instalações fabris e de serviços em mais de 50 países, entre eles o Brasil. Desses, mais de 11.000 são engenheiros.
  5. Em 2010, a Rolls-Royce investiu £ 923 milhões em pesquisa e desenvolvimento, e dois terços desse total têm o objetivo de melhorar ainda mais os aspectos ambientais de seus produtos, em particular a redução de emissões.
  6. As receitas derivadas do consórcio IAE são refletidas na divisão Aeroespacial Civil. Em 2010, as receitas provenientes de entregas de novos motores V2500 e de serviços representaram aproximadamente 15 por cento das receitas da divisão, ou cerca de 6% das receitas totais do grupo Rolls-Royce. A grande maioria das receitas de Aeroespacial Civil (mais de 60 por cento) foi gerada a partir de entregas de motores novos e serviços associados com a frota de aeronaves de fuselagem larga.
  7. Em 30 de junho de 2011, havia mais de 14.000 motores Rolls-Royce, representando 392 milhões de libras de empuxo instalado em todos os setores principais - comercial, corporativo e regional. Os motores V2500 representam aproximadamente 14 por cento da frota civil, o que equivale a 56 milhões de libras de empuxo instalado. Fortes fatias de mercado em todos os tipos modernos de aviões de fuselagem larga (incluindo o Airbus A380, Boeing 787, Airbus A350XWB) sugerem que aproximadamente 700 milhões de libras de empuxo instalado somente no setor de fuselagem larga serão entregues pela Rolls-Royce ao longo dos próximos 20 anos, com base nas previsões de demanda da indústria a longo prazo e na atual fatia de mercado da Rolls-Royce.