13 de Dezembro, 2017 - 08:45 ( Brasília )

Aviação

FAB realiza cerimônias alusivas ao Dia da Infantaria da Aeronáutica


Tenente João Elias / Major Alle

 

Militares de Infantaria da ativa e da reserva de todas as Organizações Militares da Aeronáutica da área do Distrito Federal celebraram o Dia da Infantaria da Aeronáutica, em cerimônia realizada na Ala 1, nessa segunda-feira (11/12).

A solenidade, presidida pelo Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Nivaldo Luiz Rossato, contou com a presença do Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Egito do Amaral; do Comandante de Operações Aeroespaciais Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino e de Oficiais-Generais da Força Aérea Brasileira (FAB).

O desfile militar foi composto por tropa armada do Grupo de Segurança e Defesa de Brasília (GSD-BR), pela Banda de Música da Ala 1 e grupamentos especiais que demonstram o trabalho da infantaria da FAB, como: Grupamento de Batedores do GSD, Grupamento de Operações de Controle de Distúrbio e Pelotão de Cães de Guerra.

Encerrando o desfile militar, um grupamento composto por integrantes da Infantaria, da ativa e da reserva presentes na formatura, foi incorporado à tropa. Na ocasião, também foi lida a Ordem do Dia da Infantaria da Aeronáutica, assinada pelo Comandante de Preparo, lembrando a criação das seis primeiras companhias de infantaria, em 11 de dezembro de 1941, em plena Segunda Guerra Mundial, e a missão “assegurar a guarda, a vigilância e a defesa imediata das bases aéreas, aeródromos, campos de pouso e estabelecimentos da Aeronáutica”.

Segundo ele, “a concepção operacional da Infantaria da Aeronáutica, idealizada pelo Comando de Preparo, lhe atrela a quatro áreas de atuação: a Segurança e Defesa, a Defesa Aeroespacial, as Operações Especiais e a Busca e Salvamento, dentro das quais estão dispostas as Ações de Força Aérea de Ação Direta, Autodefesa de Superfície, Busca e Salvamento, Busca e Salvamento em Combate, Contraterrorismo, Defesa Antiaérea, Guiamento Aéreo Avançado, Polícia da Aeronáutica, Segurança das Instalações e Reconhecimento Especial”.

O Comandante da Ala 1, Brigadeiro Ary Soares Mesquita, sentiu-se honrado em receber, como anfitrião, a merecida homenagem aos militares da Infantaria da Aeronáutica. “Em plena Reestruturação, a Força Aérea faz questão de relembrar a história que traz à tona, todo o passado glorioso de nossas tropas, colocando o infante como grande partícipe em defender na terra os domínios do ar”, concluiu.

Comemoração na Escola de Especialistas

Já a Escola de Especialistas de Aeronáutica (EEAR) realizou, no dia 07 de dezembro uma solenidade militar alusiva ao Dia da Infantaria de Aeronáutica com imposição de Medalha Militar por Tempo de Serviço. A cerimônia foi presidida pelo Chefe da Divisão de Ensino, Coronel de Infantaria Carlos César Drobiniche Lombardi, infante mais antigo da Escola. “Caros infantes, vários foram os desafios superados desde os primórdios para que a Infantaria da Aeronáutica chegasse ao seu atual patamar. Muitos outros ainda virão. Desse modo, encorajo-lhes a manter o elevado espírito combatente e envidar esforços em prol da evolução e do aperfeiçoamento da tropa de infantaria.” afirmou o Major Giovanni de Oliveira Corrêa, Comandante do Batalhão de Infantaria. Durante a formatura, 15 militares receberam a Medalha Militar de Tempo de Serviço de dez anos (bronze), vinte anos (prata) e trinta anos (ouro), que foram impostas pelos oficiais superiores mais antigos da EEAR.

Seminário reúne mais de cem militares para debater assuntos ligados à Infantaria¹


A Ala 1, em Brasília (DF), sediou, nesta segunda-feira (11/12), o I Seminário da Infantaria da Aeronáutica, evento que reuniu mais de cem militares, entre oficiais e graduados de Infantaria, que atuam em ações de Guarda e Segurança de todo o País.

Os temas abordaram questões afetas à área operacional, doutrinária e de planejamento. Segundo o Brigadeiro de Infantaria Augusto Cesar Amaral, trata-se de um momento de aperfeiçoamento, padronização e congraçamento. “Em 2017, completam-se 35 anos desde a criação do quadro de Infantaria na Academia da Força Aérea, que aconteceu em 1982, e 20 anos desde a ativação da primeira CAAAD [primeira unidade antiaérea da Força Aérea Brasileira, em Canoas, no Rio Grande do Sul], portanto, trata-se de um momento importante para a Infantaria”, disse.

A primeira das quatro palestras foi proferida pelo Comandante de Preparo, Tenente-Brigadeiro do Ar Antonio Carlos Egito do Amaral, que falou sobre como as estruturas da Infantaria estão sendo reorganizadas pelo processo de reestruturação por que passa a Força Aérea Brasileira. “Precisamos debater qual caminho vamos percorrer até 2041, para que cheguemos lá do jeito que imaginamos e possamos atender às necessidades da Força”, ressaltou.

Ele explicou que, a partir de agora, cada estrutura terá operacionalidades e preparos específicos: a escolta de batedores, por exemplo, será feita apenas em Manaus (AM) e no Galeão (Ala 11, no Rio). “Não temos recursos para preparar todo mundo para todas as missões, é preciso especializar”, afirmou o Tenente-Brigadeiro Egito.

Ele também falou sobre as mudanças nos batalhões de infantaria, que estão se transformando em Grupos de Segurança e Defesa (GSD) ou Esquadrões de Segurança e Defesa (ESD), dependendo do tamanho do efetivo. Um dos participantes do seminário, Major de Infantaria Luiz Fernando da Silva Siston, veio de São José dos Campos (SP) para acompanhar as palestras na capital federal. Ele é o atual Comandante do BINFA-64, que será transformado em GSD.

“Sempre há dúvidas, na ponta da linha, se devemos ou não cumprir determinadas missões que aparecem, então esse trabalho que está sendo realizado pelo Comando de Preparo é muito importante para delimitar nossa área de atuação”, disse o Major Siston.

Já o Brigadeiro de Infantaria Luiz Marcelo Sivero Mayworm tratou da importância da atividade antiaérea no âmbito da Força Aérea, explanando sobre a Primeira Brigada de Defesa Antiaérea da Força Aérea Brasileira (1ª BDAAE).

Em seguida, palestraram o Brigadeiro de Infantaria Luiz Cláudio Topan e o Major de Infantaria Jarbas de França Holanda, abordando o conceito de autodefesa de superfície e o papel da Infantaria da Aeronáutica em missões de paz, respectivamente.

 

¹Tenente Gabriélli Dala Vechia

VEJA MAIS