11 de Janeiro, 2017 - 00:20 ( Brasília )

Aviação

SJC - Aeroporto completa 77 anos e deve se transformar em centro logístico



Júlio Ottoboni
Especial para DefesaNet


O Aeroporto de São José dos Campos Professor Urbano Ernesto Stumpf completou 77 anos, no dia 05 de janeiro, numa situação atípica. Depois de ser totalmente remodelado e ampliado para a Copa do Mundo, ele foi descartado pelas operadoras aéreas. A prefeitura e a Infraero, responsável pelo lugar, estudam transforma-lo num grande centro de logística. 

O prefeito Felício Ramuth afirmou, pouco antes de assumir, que essa será a destinação principal.

“Teremos aqui a estruturação de um grande centro de logística, esse será um novo ciclo na economia do município e temos todas as condições conquistar esse espaço dentro do mercado, como a principal rodovia do país, a Dutra, a ampliação da rodovia dos Tamoios, a Carvalho Pinto e as melhorias no porto de São Sebastião”, observou.

Em outubro do ano passado, a Infraero realizou na cidade o evento "Desembaraça Vale". A intensão era dar visibilidade às operações do Terminal de Logística de Carga (Teca) do aeroporto e atrair empresas do Vale do Paraíba. O programa recebeu o nome de VALE Flex, que é um conjunto de incentivos tarifários e operacionais para tornar atrativa a operação de desembaraço aduaneiro de cargas para importação.

O terminal de logística foi Inaugurado em 2000, com uma área total de 1.600 m² para o diversos tipos de cargas, pátio de caminhões, estacionamento de veículos, área de conferência aduaneira e frota de equipamentos de movimentação e armazenagem de cargas.

Desde junho de 2016, ele deixou de receber voos comerciais e deixou a lista de prioridades do governo federal.  Em 2014, a Infraero entregou uma série de melhorias no terminal com investimentos de cerca de R$ 20 milhões, a área do terminal de passageiros passou de 864 m² para 5,9 mil m².

Os serviços compreenderam também um novo saguão de passageiros, balcões de check-in, sanitários, reservatório de água, estação elevatória de esgoto e subestações de energia elétrica.

Em agosto de 2016 o Aeroporto de São José dos Campos deixou de ser prioritário para receber investimentos do governo federal e a prefeitura local corre para evitar que neste ano o espaço venha a ser descartado de vez dos planos do Ministério dos Transportes, Portos e Aviação Civil.  Com desistência da TAM, o aeroporto de São José não opera voo comercial desde junho d e 2016. Nos últimos oito anos, o aeroporto perdeu voos comerciais de quatro companhias, a GOL, OceanAir, AZUL e TAM.

Com capacidade para receber 2,7 milhões de passageiros ao ano, o terminal é administrado pela Infraero desde 1996 e compartilhado com a Empresa Brasileira de Aeronáutica (EMBRAER) e com o Departamento de Ciência e Tecnologia Aeroespacial (DCTA), do Comando da Aeronáutica, que utilizam a infraestrutura de pista para a realização de voos de ensaio e de produção de novas aeronaves.

Instalado a 8 quilômetros do centro da cidade e a cerca de 90 km da cidade de São Paulo, o aeroporto tem uma acentuada participação no crescimento da região, embora atue hoje mais com o setor cargueiro, que atende ao grande número de indústrias do Vale do Paraíba, Litoral Norte. A INFRAERO ainda tenta reverter à situação do terminal de passageiros e reaver parte do investimento feito no local.

"Conforto, infraestrutura e profissionais capacitados são qualidades oferecidas no Aeroporto de São José dos Campos. Com a ampliação do terminal de passageiros, a INFRAERO vem trabalhando junto às companhias aéreas para que o aeroporto possa retomar as operações de voos regulares", pontua o gerente de Gestão Operacional e Segurança Aeroportuária Marcelo Rodolfo Silva.