17 de Dezembro, 2016 - 20:00 ( Brasília )

Aviação

FAB usa NVG para resgatar tripulante de navio em alto mar

Com apendicite, grego de 20 anos foi transportado de helicóptero até Pelotas (RS)



A Força Aérea Brasileira (FAB) resgatou na noite desta sexta-feira (16/12) um tripulante a bordo do navio mercante de bandeira grega, Astro Perseus, em alto mar. O petroleiro que estava a 220 NM da costa brasileira na região Sul, cerca de 400km em linha reta a partir da cidade gaúcha de Pelotas, partiu Talcahuano, no Chile, no dia 09 de dezembro e tinha como destino a cidade do Rio de Janeiro

Este foi o terceiro resgate em convés realizado pelo Esquadrão Pantera neste ano, mas o primeiro utilizando óculos de visão noturna (NVG - do inglês Night Vision Goggles). Veja vídeo do resgate aqui.

Com crise de apendicite, o tripulante Kosta Konstantinus, 20 anos, necessitava de remoção urgente para um hospital. O jovem foi içado do convés às 21h30, hora local, e transportado até o aeroporto de Pelotas, onde uma ambulância do SAMU o aguardava. De lá, seguiu para cirurgia de emergência. De acordo com informações do Salvamar, o paciente passa bem.

O pedido de resgate chegou ao Salvaero Curitiba, unidade da FAB responsável por coordenar operações aéreas de busca e salvamento no Sul, por meio do Salvamar Sul. O helicóptero H-60 Black Hawk, operado pelo Esquadrão Pantera (5º/8º GAV), sediado em Santa Maria (RS), foi acionado e seguiu até Pelotas, onde reabasteceu e decolou em direção ao navio em alto mar.

De acordo com o piloto do helicóptero, Tenente Paulo Jacinto de Lemos Silva, a missão apresentou um "grau de dificuldade elevado". Além da distância da costa, no momento do resgate foram registrados ventos de aproximadamente 50 nós (92,6 km/h). “Quando encontramos a embarcação, ela estava a mais de cem milhas mar adentro. O deslocamento ocorreu quase em toda sua totalidade no período noturno, elevando os riscos de desorientação espacial”, explica o oficial.

Para cumprir a tarefa em meio a escuridão do mar aberto, a tripulação usou óculos de visão noturna. “O procedimento de resgate foi realizado com as técnicas de convés e situações, contudo foi a primeira vez que realizamos no período noturno e com o óculos de visão noturna”, detalha o tenente. O procedimento de resgate a partir de convés foi treinado pela FAB durante a operação Carranca V realizada no início deste ano.

As coordenações com o navio foram feitas numa frequência de emergência marítima em inglês. Segundo o piloto, a coordenação entre a tripulação e navio foi essencial pra o cumprimento da missão.