24 de Março, 2016 - 09:20 ( Brasília )

Aviação

FAB realiza exercício de combate a incêndio

Primeiro Grupo de Transporte de Tropa realiza exercício de combate a incêndio. Durante cinco dias, foram dez voos e mais de 16 horas de treinamento em Campo Grande (MS)

Ten Gabrielli Dala Vechia


O Primeiro Grupo de Transporte de Tropa (1º GTT), que opera o cargueiro C-130 Hércules, realizou um exercício de combate a incêndio na cidade de Campo Grande (MS). A atividade ocorreu de 15 a 20 de março e resultou em dez voos e 16 horas de treinamento. O objetivo foi adestrar as equipes para atuarem em situações de combate a incêndio, como aconteceu na Chapada Diamantina em novembro de 2015, quando foram lançados mais de 250 mil litros de água em cinco dias.

Segundo o Tenente Klaiton da Cruz Facre Monteiro, um dos pilotos do 1º GTT, existem duas zonas de lançamento de água onde são realizados os treinamentos: uma de área plana e outra montanhosa, que exigem procedimentos e habilidades distintos. "No exercício, foram utilizadas duas aeronaves C-130 Hércules, sendo uma delas equipada com o sistema MAFFS (do inglês Modular Airborne Firefighting System), composto por cinco tanques e dois tubos que se projetam pela rampa traseira da aeronave, capaz de lançar até 11.400 litros de água por voo", afirma. 

Além dos dois pilotos, fazem parte da tripulação um engenheiro de voo, um radionavegador e dois loadmasters, um deles responsável pela operação do MAFFS para liberação da água.

Para realizar missões de combate a incêndio a bordo do C-130 Hércules, é preciso que o aviador seja experiente: são requeridas, no mínimo, 500 horas de voo na aeronave. O Capitão Douglas Luna Lopes da Costa, piloto que participou do exercício e também de missões reais, explica que esse tipo de operação é crítica. "As passagens são realizadas a baixa altura, o avião está pesado devido à água e ao combustível, há muito calor e a visibilidade fica comprometida pela fumaça", diz ele.