21 de Março, 2011 - 22:00 ( Brasília )

Aviação

Gripens da SwAF prontos para Operar na Líbia


O ministério da Defesa da Suécia informou ao Governo que estarão prontos para enviar de 6 a 8 caças Gripen, em um período de até 10 dias, para ações militares na Líbia.

“A Flygvapnet (Força Aérea) informou ao governo que é capaz de deslocar de seis a oito caças. Estes aviões já estão em alerta permanente, e não levaria mais de 10 dias para movimentá-los,” informou um assessor do Ministério da Defesa à imprensa.

Em que base aérea os aviões ficariam estacionados e quanto de equipe de terra será necessário ainda deve ser determinado..

O período de deslocamento dos aviões depende ainda de uma decisão política.

Fontes com acesso à OTAN informaram ao jornal sueco Dagens Nyheter que a Suécia seria convocada a participar as operações até terça ou quarta-feira desta semana no mais tardar.

O Partido Liberal (Folkpartiet) e os Democratas Cristãos criticaram o ministro do Exterior Carl Bildt e o governo, pela opção de esperar a solicitação da OTAN e não oferecer de imediato a ajuda sueca.

Allan Widman do Partido Liberal gostaria que o governo oferecesse a ‘Expeditionary Air Wings’, um esquadrão de oito caças, que opera no Nordic Battle Group.

“Eu penso que nós (Suécia) necessitamos enviar a mensagem que podemos e desejamos participar,” comentou ao DN.

O ministro do Exterior Carl Bildtnão compartilha da mesma visão do seu colega de coalizão governamental. Em uma entrevista à radio no Domingo, Bildtafirmou que a Suécia deve esperar para oferecer a ajuda até ser solicitada.

Entretanto se a OTAN solicitar à Suécia, Bildt não descarta uma possível participação militar.

“Todas as alternativas estão na mesa no caso de uma solicitação. Verificaremos as diferentes maneiras da participação de que a Suécia pode ter,” ele afirmou.

De acordo com o Tenente-Coronel Stefan Ring, estrategista militar do Swedish National Defense College (Försvarshögskolan), há a necessidade de mais poder aéreo nas operações na Líbia.

“A França deslocou cerca de uma centena de aviões, o que parece ser bastante. Mas compare com as operações aéreas em Kosovo e na Sérvia, em 1989. Eram poucos aviões em ação no início, mas logo alcançou a marca de 700-800 missões por dia,”afirmou à agência TT.

Os pilotos suecos e o comando da Flygvapnet têm pleiteado participar das Operações da ISAF no Afeganistão já há vários anos. Porém razões de política interna da Suécia e também um não declarado boicote de certos países tem impedido a ação dos Gripen nos céus do Afeganistão.


Agora tanto os militares como grupos políticos tentam romper estas amarras ao propor que o Governo Sueco não aguarde uma demanda da OTAN mas tome a dianteira e ofereça a participação nas ações da Líbia.

Sempre de forma alternada um esquadrão é mantido de prontidão por todo um ano. Assim nesse período seus treinamentos são acelerados e tem prioridade no recebimento da cadeia logística.

Assim como deve estar com a dotação de pilotos e tripulantes 100% completa. A chance de participar nestas operações da líbia seriam de grande relevância para a Flygvapnet e também a indústria sueca.