14 de Agosto, 2015 - 16:00 ( Brasília )

Aviação

Gripens da Força Aérea da República Checa conduzem operação de vigilância na Islândia


Tradução, adaptação e edição – Nicholle Murmel

 

Quarto aeronaves JAS-39 Gripen da Força Aérea da República Checa estão conduzindo patrulhas aéreas e operações de treinamento no espaço aéreo da Islândia. Os trabalhos fazem parte da missão de vigilância promovida pela OTAN para reforçar a segurança do aliado nórdico. Os caças e 70 militares iniciaram as atividades no fim de julho.

O objetivo é proporcionar ao país “capacidade aérea de vigilância e interceptação conforme as necessidades de prontidão da Islândi em tempos de paz”. A Força Aérea checa concluirá a missão no próximo dia 29.
 
Uma vez que Helsinki não tem força aérea própria, a OTAN periodicamente oferece presence e monitoramento em tempos de paz. Por conta da localização geográfica peculiar, membros da Aliança e autoridades islandesas concordaram que a melhor opção é manter a presença periódica de aeronaves aliadas baseadas em Keflavik.

O secretário da Aliança, General Jens Stoltenberg, visitou a base no começo deste ano para conhecer os militares islandeses e da OTAN envolvidos na missão.
A missão de “prontidão em tempos de paz” geralmente convolve o envio – tipicamente durante três ou quatro semanas, três vezes ao ano – de aeronaves de caça de nações aliadas. Esses caças conduzem operações de vigilância e treinamento no espaço aéreo, e também dão capacitação necessária ao pessoal de apoio para que a Aliança possa organizar missões de patrulha aérea em escala real em caso de mergência. Os trabalhos na Islândia começaram em 2008, após a saída do contingente americano.
 
Esta é a quarta vez que Gripens da República Checa são enviados para proteger o espaço aéreo de outros aliados da OTAN. Em 2009, as aeronaves patrulharam os céus de nações nos Bálcãs e no ano passado vieram para a Islândia pela primeira vez.