21 de Julho, 2011 - 09:26 ( Brasília )

Aviação

PF pede 25 dados em investigação de queda de avião em PE


A Polícia Federal em Pernambuco assumiu as investigações sobre o acidente envolvendo o avião bimotor da empresa Noar Linhas Aéreas, que causou a morte de 16 pessoas em 13 de julho, no Recife. Em nota divulgada nesta quarta-feira, a PF destacou 25 solicitações de documentos e dados a diferentes instituições para dar prosseguimento às averiguações.

À Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), foram solicitadas informações sobre a regularidade e as condições técnicas e operacionais da empresa Noar, aeronavegabilidade do bimotor, validade dos certificados de habilitação técnica e de capacidade física dos pilotos, bem como dados sobre as manutenções, inspeções e revisões gerais realizadas nos dois aviões da empresa. Também foi requisitada a regularidade das respectivas oficinas de manutenção.

A Infraero deverá fornecer informações sobre a regularidade do voo 4896 e as condições de navegação aérea no momento do acidente. Também deverão ser enviadas à PF imagens do embarque e da decolagem do voo no dia do acidente.

Entre os documentos requisitados à Noar, estão as condições de aeronavegabilidade do avião, possíveis defeitos apresentados nas aeronaves e os procedimentos adotados para os reparos. A PF solicitou também à empresa a quantidade de carga levada pela aeronave no dia do acidente e a validade dos certificados dos pilotos e suas jornadas de trabalho, com a discriminação das horas voadas nos últimos 30 dias anteriores ao acidente e do período de descanso desde o voo anterior.

A PF também quer ter acesso à cópia dos livros de bordo e dos registros auxiliares supostamente criados pela empresa com a finalidade de apresentar impressões e percepções das tripulações acerca do funcionamento das aeronaves.

O acidente

Um avião bimotor turboélice, modelo L-410, também conhecido como LET, com capacidade para 19 pessoas, fazia o percurso Recife-Natal quando caiu na manhã da quarta-feira.

A aeronave caiu em um terreno baldio próximo à avenida Boa Viagem e deixou 16 mortos. Segundo a Força Aérea Brasileira (FAB), a aeronave havia acabado de decolar do aeroporto de Guararapes quando a tripulação declarou estar em situação de emergência e que tentaria pousar na praia de Boa Viagem. Contudo, A aeronave caiu, pegou fogo e nenhum dos passageiros e tripulantes sobreviveu.