18 de Julho, 2011 - 11:37 ( Brasília )

Aviação

Noar é suspeita de ocultar falhas técnicas

Dona da aeronave que caiu no Recife teria relatos sobre problemas em avião igual ao do acidente. A Anac suspendeu os voos da companhia até que a denúncia seja esclarecida

Renata Mariz

Dona do avião que caiu na última quarta-feira no Recife, matando 16 pessoas, a Noar Linhas Aéreas está impedida de voar com a única aeronave que restou de sua frota depois do desastre. A determinação veio da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac), que enviou fiscais à empresa ontem para cobrar explicações sobre supostas anotações de "problemas técnicos recorrentes", feitas pelos pilotos a respeito do avião que não se envolveu no acidente. Estão notificadas 75 situações de risco de novembro de 2010 a 9 de julho deste ano. Os registros, encaminhados pela equipe do programa Fantástico à Anac, constituem um documento isolado. A Anac quer saber, agora, se a empresa deixou de colocar as anotações no livro oficial de registros, também chamado de diário de bordo, que fica disponível ao órgão fiscalizador tanto nas inspeções rotineiras quanto em ações não programadas.

Caso seja comprovado que a companhia deixava de colocar no diário de bordo tais anotações, contrariando o Código Brasileiro Aeronáutico e regras da própria Anac, a Noar pode levar multas e ter a licença de operação cassada. A companhia, por sua vez, ressaltou, por meio de nota, que o documento sobre o qual a Anac pede explicações foi furtado das dependências da empresa dias após o acidente. Quanto ao boletim de ocorrência do furto, a Noar afirma que ele existe, embora se recuse a mostrar uma cópia do documento. E sobre o fato de incluir ou não as anotações no diário de bordo, limita-se a dizer que "utiliza um registro auxiliar com a finalidade de apresentar impressões e percepções das tripulações acerca do funcionamento das aeronaves. Essas impressões e percepções podem se transformar em ordens de serviço, se for necessário, após análise dos especialistas em manutenção da empresa".

Por meio da assessoria de imprensa, a Anac afirmou que ainda está verificando as informações repassadas pela imprensa e também o retorno dado pela Noar a respeito da documentação isolada de problemas técnicos das aeronaves. A suspensão dos voos, completou a agência, é uma medida de prevenção visando a segurança dos passageiros. Quem foi prejudicado pela suspensão das operações pode procurar a empresa por meio do 0800-601-2999. A companhia, que depois do acidente havia suspendido por conta própria seus voos, retomando-os no último sábado, tinha uma viagem prevista para ontem, saindo do Recife com destino a Maceió. A respeito dos registros de falhas da aeronave acidentada, a Aeronáutica, responsável pela investigação da queda do bimotor, não informa se há problemas na documentação, alegando que as apurações do caso se dão em sigilo.

A Polícia Científica de Pernambuco terminou a identificação dos corpos das vítimas do acidente com o avião da Noar Linhas Aéreas, que resultou na morte de 16 pessoas na semana passada. A maioria das vítimas foi identificada pelas impressões digitais. O Instituto de Medicina Legal (IML) concluiu que todos morreram de politraumatismos, pelo impacto da aeronave no chão, e não queimados no incêndio que se sucedeu à queda.