11 de Junho, 2015 - 17:50 ( Brasília )

Aviação

Boeing prevê demanda de 38.050 novas aeronaves, avaliadas em US$ 5,6 trilhões

Perspectivas de Mercado da Boeing para os próximos 20 anos mostra um aumento de 3,5% na demanda em relação à previsão de 2014

English version

A Boeing prevê uma demanda de 38.050 novas aeronaves nos próximos 20 anos, um número 3,5% superior ao da previsão do ano passado. Publicada pela empresa hoje, a edição anual do documento Perspectivas de Mercado (CMO, na sigla em inglês), estima o valor total dessas novas aeronaves em US$ 5,6 trilhões.

“O mercado de aeronaves comerciais continua forte e resiliente”, disse Randy Tinseth, vice-presidente de marketing da Boeing Aviação Comercial. “Olhando para o futuro, nossa expectativa é que o mercado continue crescendo, com uma demanda robusta de novas aeronaves.”

A frota de aeronaves comerciais dobrará até o final do período projetado, passando de 21.600 aeronaves em 2014, para 43.560 em 2034. Cinquenta e oito por cento das 38.050 aeronaves entregues no período serão para atender o crescimento. O tráfego de passageiros continuará crescendo aproximadamente 4,9% ao ano, um ritmo bem próximo da tendência histórica de 5%. Mais de 7 bilhões de passageiros voarão até o final do período. O tráfego de carga crescerá aproximadamente 4,7% ao ano.

O mercado de corredor único continua sendo o maior e o de maior crescimento, demandando 26.730 aeronaves nas próximas duas décadas. Essas aeronaves formam a base da frota das companhias aéreas, transportando até 75% dos passageiros, em mais de 70% das rotas da aviação comercial mundial. Esse setor é impulsionado pelo crescimento das companhias aéreas de baixo custo e das companhias aéreas de mercados emergentes e em desenvolvimento.

“O Boeing 737-800 e o futuro 737 MAX 8 estão no centro do mercado de corredor único”, disse Tinseth. “Essas aeronaves oferecem aos clientes a maior eficiência energética, confiabilidade e capacidade da categoria".

As companhias aéreas de baixo custo representarão cerca de 35% do mercado de corredor único, observou Tinseth. “As companhias aéreas de baixo custo demandarão aeronaves que combinem os melhores benefícios econômicos com o maior potencial de receita. Com consumo de combustível 20% menor, o 737 MAX 200 será a máquina ideal para elas”.

A Boeing prevê uma demanda de 8.830 novas aeronaves no segmento de corredor duplo, puxado pelas aeronaves de corredor duplo de pequeno porte com 200 a 300 assentos, como o 787-8 e o 787-9 Dreamliner. A previsão deste ano reflete uma contínua mudança na demanda, que migra de aeronaves muito grandes para produtos de duas turbinas, novos e eficientes, como o 787 e o novo 777X.

Embora o crescimento das companhias aéreas ainda responda pela maior parte da nova demanda, será necessário substituir um grande e crescente número de aeronaves envelhecidas. Cerca de 2 a 3% da frota instalada precisará ser substituída a cada ano.

“O 737 MAX, o 777 e o 787 estão perfeitamente posicionados para capturar essa importante onda de reposição”, disse Tinseth.

O mercado de carga aérea continua se fortalecendo e demandará cerca de 920 novas aeronaves ao longo dos 20 anos da previsão.

“O mercado de carga aérea vem crescendo de forma sólida há dois anos e nossa expectativa é que esse crescimento seja mantido", disse Tinseth. “Trata-se de uma excelente notícia para nossa linha de produção de cargueiros, que inclui o 767, o 777 e o 747-8.”

O documento Perspectivas de Mercado da Boeing é a mais tradicional previsão de demanda de aeronaves, sendo considerado a mais completa análise da indústria de aviação. O relatório completo, em inglês, está disponível em www.boeing.com/cmo.



Para baixar o infográfico, visite: Current Market Outlook (2015 – 2034)

Informações prospectivas estão sujeitas a riscos e incertezas

Algumas declarações contidas neste documento podem ser “declarações prospectivas”, conforme dispõe a Lei de Reforma de Litígio de Títulos Privados (Private Securities Litigation Reform Act), de 1995. Palavras como “espera”, “prevê”, “projeta”, “planeja”, “acredita”, “estima” e outras expressões similares são usadas para identificar essas declarações prospectivas.

Exemplos de declarações prospectivas seriam as declarações referentes aos nossos planos futuros, perspectivas comerciais, condição financeira e resultados operacionais, bem como qualquer outra declaração não diretamente relacionada a algum fato histórico ou atual. Declarações prospectivas baseiam-se em hipóteses atuais sobre eventos futuros e podem se mostrar incorretas. Essas declarações não são garantias e estão sujeitas a riscos, incertezas e mudanças em circunstâncias que são difíceis de prever.

Entre os muitos fatores que podem ocasionar diferenças materiais entre os eventos reais e as declarações prospectivas estão a conjuntura econômica nos Estados Unidos e no mundo, as condições gerais da indústria, tendo em vista seu impacto em nosso negócio e no negócio de nossos clientes e outros fatores relevantes divulgados anteriormente e periodicamente nos documentos arquivados junto à Securities and Exchange Commission.

As declarações prospectivas refletem apenas a data em que foram realizadas, não havendo qualquer obrigação de nossa parte de atualizá-las ou revisá-las, exceto nas situações exigidas pela lei.