12 de Abril, 2015 - 10:00 ( Brasília )

Aviação

Paraquedismo Integra meio Civil e Militar em Recorde Estadual




O atual Recorde Cearense de Maior Formação em Queda Livre (FQL) constitui de 13 paraquedistas saindo de um avião e se encontrando para formar uma figura no céu.

Isso significa que os paraquedistas devem sair de um avião e cair em queda livre a uma velocidade de 300km/h, se encontrar ainda em queda livre, formar uma figura, se separar e abrir o paraquedas.

Já havia sido difícil realizar o recorde com 13 paraquedistas, em um Estado onde os praticantes não dispõem de tantas facilidades para a prática do esporte.

Nesta iniciativa, integrando paraquedistas civis e militares, buscava-se-se a formação com 16 elementos.

O evento teve duração de 4 dias, no final de março. Os 2 primeiros dias serviram de preparação e seletiva dos atletas para o recorde. Os dias remanescentes foram para efetivamente realizar a quebra do recorde.

Além disso, durante o evento, houve a participação de 70 paraquedistas de diversas partes do Brasil, saltos duplos para quem tem a vontade de provar a queda livre e paraquedistas celebridades como o Sabiá do programa Domingão do Faustão e o cantor/compositor/piloto/paraquedista Waldonys que enfeitou o evento fazendo várias manobras em seu avião de performance.

Representando o meio militar, e demonstrando grande exemplo de liderança e inspiração aos seus comandados, saltou o Tenente-Coronel Santos Filho, Oficial de Forças Especiais, Comandante do 23 Batalhão de Caçadores, Batalhão Marechal Castello Branco, maior OM da 10 Região Militar, que tem a frente, o Genaeral de Divisão Freire Gomes, também paraquedista e Comando do Exército Brasileiro.

Representando a Assembleia Legislativa do Estado do Ceará, saltou o Deputado Estadual Manuel Duca da Silveira, o Duquinha. Militar da reserve e experiente paraquedista.

No dia da tentativa de quebra de recorde, foram feitas 3 decolagens, porém, não alcançando o objetivo de formação com 16 paraquedistas. Sempre faltava 1 ou 2 para completar a formação.

"Cheguei a pensar que não conseguiríamos. Na terceira decolagem tivemos a oportunidade de fechar quase todos os paraquedistas, se não fosse a falta da mão de um paraquedista na perna do outro", disse Falcão um dos idealizadores do evento.

A partir daí, o treinador convidado somente para viabilizar o Recorde Cearense resolveu reduzir a equipe, para viabilizar o recorde com apenas 14 paraquedistas.

"Um atleta a mais, já é recorde.. Após isso vocês irão ficar menos pressionados e o 16-way (objetivo inicial) irá sair..", defendeu o paraquedista Rogério Martinati.

E não deu outra, no ultimo dia, na primeira decolagem do recorde conseguiu-se fechar a formação com 14 paraquedistas, viabilizando o recorde Cearense e reduzindo a tensão.

E não parou por aí.. Tudo ficou mais fácil. Com todos os atletas mais motivados e a carga de obrigação reduzida, a formação com 16 paraquedistas saiu logo em seguida, 2 decolagens depois.

"Comemoramos muito, ainda com o paraquedas aberto e indo para pouso. Ter isso no nosso Estado é algo de grande importância para nós", resumiu Falcão.

Organização do evento - Ceará PQD Clube Escola de Paraquedismo: Pedro Edson, Falcão, Daniel Da Luz e Alysson Rocha.

Apoio do evento: Prefeitura de Aracati e Governo do Estado do Ceará.
Avião: Skydive Veracruz - São Paulo