13 de Dezembro, 2014 - 14:00 ( Brasília )

Aviação

FAB abre inquérito e suspende contratos após denúncia de propina


A Força Aérea Brasileira (FAB) decidiu instaurar um inquérito policial militar para averiguar as denúncias de pagamento de propina a dois oficiais, em contratos firmados com a empresa americana Dallas Airmotive.

A FAB também decidiu suspender os contratos que estão em vigor com a empresa enquanto transcorrerem as investigações e avisou que os mesmos serão rescindidos caso as denúncias sejam comprovadas.

Assim que tomou conhecimento da notícia, o governo mobilizou o comando da FAB para definir uma estratégia no caso. O ministro da Defesa, Celso Amorim, conversou ontem à noite por telefone com o comandante-geral da Aeronáutica, Juniti Saito, e acertou que a FAB concentrará todas as averiguações.

A Dallas Airmotive admitiu ao Departamento de Justiça americano que, entre 2008 e 2012, subornou funcionários da FAB e do gabinete do ex-governador de Roraima José de Anchieta Junior. A companhia terá que pagar US$ 14 milhões em sanções penais, de acordo com o Departamento de Justiça, por descumprir a lei anticorrupção americana.

A FAB afirma que, até o momento, não identificou os oficiais que teriam recebido a propina paga pela Dallas Airmotive. Sabe-se, por enquanto, que os envolvidos seriam um sargento e um suboficial. A FAB afirma que pretende pedir informações oficiais à empresa e às autoridades americanas, para dar andamento à investigação interna e apontar os responsáveis.

A FAB diz não descartar a possibilidade de se tratar de dois ex-oficiais, que tenham pedido baixa depois de receber a propina paga pela Dallas.

Leia a íntegra da nota oficial divulgada pela FAB:

A Força Aérea Brasileira (FAB) suspendeu imediatamente a execução dos contratos que mantinha com a empresa Dallas Airmotive até o total esclarecimento das denúncias do Departamento de Justiça dos Estados Unidos.

Se as acusações forem comprovadas, a FAB vai rescindir os contratos, com base no artigo 79, inciso XII da Lei 8666/93, buscando inclusive o ressarcimento cabível.

A FAB também instaurou um Inquérito Policial Militar para apurar o envolvimento dos acusados, ainda não identificados.

Ressaltamos que a FAB repudia atitudes desta natureza e atua firmemente para coibir desvios de conduta de seu efetivo.