23 de Março, 2011 - 14:00 ( Brasília )

Aviação

Avião militar dos EUA cai na Líbia; Kaddafi mantém ofensiva


Um avião de guerra dos Estados Unidos caiu na noite desta segunda-feira na Líbia, na primeira baixa das forças da coalizão internacional. Os dois pilotos a bordo conseguiram se ejetar e estão bem, segundo o Comando Americano na África.

Vince Crawley, porta-voz do comando, disse que ambos os pilotos sofreram ferimentos leves. Eles usaram paraquedas para se ejetar do F-15E Strike Eagle, ainda em uma grande altitude, e acabaram caindo em lugares diferentes. Um deles já foi encontrado e resgatado e equipes buscam o paradeiro do segundo.

A queda ocorreu às 19h30 de segunda-feira. O comando não divulgou o local do acidente. A aeronave partiu da base italiana de Aviano, como parte da operação Aurora da Odisseia.

A causa da queda está sendo investigada. Segundo o correspondente do jornal britânico "Daily Telegraph", o F-15E Eagle americano sofreu uma falha mecânica.

"Acabei de encontrar um avião de guerra dos EUA em um campo. Acredito que uma falha mecânica causou a queda", disse o correspondente do jornal Rob Crilly, em seu Twitter. "O avião caiu ontem a noite. A tripulação estaria bem", disse Crilly, que cobre os conflitos nos arredores de Benghazi, reduto rebelde no leste do país.

A Força Aérea dos EUA disse que aviões B-2, F-15 e F-16 estão participando das operações na Líbia. Eles estão sendo coordenados pelo Comando Americano na África, que tem como base Stuttgart, na Alemanha.

As forças da coalizão ocidental lançaram novos ataques aéreos e com mísseis em Trípoli na madrugada desta terça-feira. Os ataques fazem parte da operação Aurora da Odisseia, aprovada pelo Conselho de Segurança da ONU (Organização das Nações Unidas) para impor uma zona de restrição aérea no país e proteger os civis da violência das forças do ditador Muammar Gaddafi.

As explosões e disparos de artilharia antimísseis foram ouvidos mais uma vez perto do complexo onde vive Gaddafi, no bairro de Bab al-Aziziya. No domingo (20), um dos prédios do complexo foi destruído por mísseis da coalizão internacional, em uma ação que o regime líbio chamou de "bárbara".

A TV estatal líbia diz que vários locais em Trípoli foram alvo dos novos ataques das forças que chamou de "Cruzada inimiga". "Estes ataques não vão assustar o povo líbio", garantiu o apresentador.

Reduto do ditador, aos aviões militares foram recebidos por bateria antiaérea e slogans favoráveis a Gaddafi ecoavam no centro da cidade. Carros passavam em alta velocidade e buzinando pelas ruas.

O canal de TV Al Jazeera disse que as instalações de radar de duas bases de defesa aérea no oeste da Líbia foram atingidas pelas forças de coalizão. Um porta-voz do governo líbio disse que as forças estrangeiras mataram muitos civis atacando os portos e o aeroporto de Sirte. "Você viu aquele lugar [aeroporto de Sirte]", disse Mussa Ibrahim, em entrevista a jornalistas. "É um aeroporto civil. Ele foi bombardeado e muitas pessoas foram mortas. Portos também foram bombardeados".