01 de Abril, 2014 - 13:03 ( Brasília )

Aviação

Força Aérea intensifica fiscalização da aviação geral no Centro-Oeste do país


Realizada nos dias 26, 27 eAeronave fiscalizada pela ANAC após coordenação da  Fabio Maciel/ASCOM/DECEA 28 de março, a Operação Voe Seguro, uma parceria da Força Aérea Brasileira (FAB) com a Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), Polícia Federal e Receita Federal; fiscalizou 726 voos em 13 aeródromos do Mato Grosso e Mato Grosso do Sul. O objetivo da ação é prevenir acidentes aeronáuticos e irregularidades através de uma espécie de “blitz aérea”. Esta é a quinta edição da Operação Voe Seguro. Em 2013, aeródromos do Rio de Janeiro, São Paulo, Amazonas e Pará também receberam a fiscalização.
 
De acordo com dados do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (CENIPA), cerca de um terço dos acidentes aeronáuticos da aviação geral são causados por desvio de conduta dos pilotos. “Fazemos o monitoramento das aeronaves diuturnamente e, numa operação conjunta como esta, buscamos intensificar a segurança das operações aéreas e prevenir acidentes”, afirma o Capitão Especialista em Tráfego Aéreo Ubiraci Pereira, do Centro de Coordenação e Controle da Operação.
 
Segundo a ANAC, no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul há quase 1300 aeronaves de aviação geral em operação. O coordenador da ANAC na Operação, Cícero Feitosa, ressalta a importância de operações em parceria com outros órgãos. “Absorvemos muito conhecimento e vemos ótimos resultados na troca de informações e cooperação entre os órgãos”, ressalta. Waldemar Sebastião Mesquita, piloto da aviação geral há 38 anos, abordado na “blitz aérea” em Campo Grande/MS, aprovou a iniciativa. “Acho muito bom que haja a fiscalização contra as irregularidades. Não é a primeira blitz que participo, fico muito satisfeito”, afirmou.
 
Dados da quinta edição da Operação Voe Seguro:
 
13 aeródromos no Mato Grosso e Mato Grosso do Sul
Três dias de operação: 26, 27 e 28 de março
726 voos foram monitorados
26 infrações de tráfego aéreo
90 abordagens da ANAC