13 de Junho, 2011 - 10:34 ( Brasília )

Aviação

Buenos Aires volta a suspender voos por cinzas de vulcão chileno

Nuvem de cinzas vulcânicas também atrapalha funcionamento de aeroporto de Montevidéu; TAM e GOL suspendem voos aos dois países

A chegada de uma nova nuvem de cinzas do vulcão chileno Puyehue na noite de domingo forçou a suspensão das operações dos aeroportos da capital argentina, Buenos Aires, até pelo menos o meio-dia desta segunda-feira. No domingo, 38 partidas e chegadas foram canceladas no aeroporto internacional de Ezeiza e no Aeroparque Jorge Newbery.

Por causa da nuvem de cinzas, as companhias brasileiras TAM e GOL cancelaram seus voos do Brasil para a Argentina e o Uruguai desde a noite de domingo até pelo menos as 14 horas desta segunda-feira. Além das duas empresas brasileiras, a chilena LAN e a argentina Aerolíneas também cancelaram seus voos.

A GOL informou que suspendeu os voos de e para as cidades de de Buenos Aires e Rosário, na Argentina, e Montevidéu, no Uruguai, desde a noite de domingo. A TAM anunciou a suspensão de suas operações nos aeroportos de Buenos Aires e Montevidéu.

A nuvem também voltou a prejudicar o funcionamento do Aeroporto de Carrasco, em Montevidéu, Uruguai. A chegada das cinzas forçou o cancelamento de alguns voos na noite de domingo e na madrugada desta segunda-feira.

A nuvem não vem causando somente problemas na América do Sul. Em oito dias, as cinzas percorreram quase 10 mil quilômetros e atravessaram o Oceano Pacífico para chegar à Nova Zelândia e ao sul da Austrália.

A companhia aérea Qantas cancelou nesta segunda-feira todos os pousos e decolagens da ilha australiana da Tasmânia e da Nova Zelândia. No aeroporto da cidade australiana de Melbourne, todos os voos foram suspensos pelo menos até meio-dia.
 

As companhias aéreas de voos domésticos Jetstar e Tiger Airways também suspenderam voos pelo menos até meio-dia. Segundo a rádio australiana ABC, a Virgin é a única companhia que retomou seus voos em Melbourne e na Nova Zelândia.

Olivia Wirth, porta-voz da Qantas, disse à rádio australiana ABC que cerca de 10 mil passageiros de sua companhia aérea e outros 12 mil da Jetstar foram afetados desde domingo pelos cancelamentos.

Matt Wardell, porta-voz da Airservices Australia, indicou que a nuvem de cinzas continua cobrindo nesta segunda-feira a ilha da Tasmânia e algumas partes do Estado de Victória, incluindo a cidade de Melbourne. "(A nuvem de cinzas) está entre 7,5 e 11 quilômetros de altura e se espalhando e movimentando lentamente sentido nordeste", disse Wardell à agência de notícias AAP.

Um grande número de passageiros se encontra no aeroporto neozelandês de Auckland por causa do cancelamento de seus voos. Mas, por enquanto, a companhia Air New Zealand está operando a uma altura mais baixa que o nível da nuvem de cinzas (entre 6,1 e 9,2 quilômetros).