06 de Dezembro, 2013 - 19:40 ( Brasília )

Aviação

FAB - Academia da Força Aérea forma 168 novos aspirantes

Cerimônia é marcada pelo lançamento da Aeronave T-27 Tucano com pintura comemorativa alusiva aos 30 anos de emprego na Força Aérea Brasileira

Academia da Força Aérea
Seção de Comunicação Social


Após quatro anos intensos de disciplina, estudos e dedicação, os 168 jovens integrantes do último ano dos Cursos de Formação de Oficiais Aviadores, Intendentes e de Infantaria da Academia da Força Aérea (AFA) foram declarados aspirantes-a-oficial em cerimônia militar nesta sexta-feira (6), em Pirassununga, interior de São Paulo.
 
A turma é composta por 107 Aviadores, 40 Intendentes e 21 Infantes, sendo oito mulheres aspirantes aviadoras e 18 mulheres intendentes. Compõe a turma, ainda, um Sub-Tenente aviador estrangeiro, da Guatemala, selecionado por seu país para realizar o curso na AFA a partir de um acordo de cooperação entre as nações.
 
Durante a cerimônia, os cadetes entregam seus espadins, simbolizando o fim da condição como cadete, e recebem das mãos de seus amigos e familiares a Espada de Oficial, coroando a vitória dos jovens. 
 
A cerimônia, presidida pelo Ministro da Defesa, Celso Amorin, contou com a presença de diversas autoridades civis e militares, entre elas os comandantes da três forças armadas: Tenente Brigadeiro Juniti Saito, da Aeronáutica; Almirante-de-Esquadra Julio Soares de Moura Neto, da Marinha do Brasil; e General de Exército Enzo Martins Peri, do Exército Brasileiro.
 
Os primeiros colocados de cada curso foram homenageados pelo Ministro da Defesa, e o Comandante da Aeronáutica. O Aspirante de Infantaria Ramos, de Além Paraíba (MG), primeiro lugar no Curso de Formação de Oficiais de Infantaria, contou sobre a receita de seu sucesso: “Foi um trabalho muito árduo, diário. Pensava sempre em fazer o melhor a cada dia e no final, o conjunto da obra, formei-me aspirante e ainda consegui conquistar o primeiro lugar. Agradeço muito aos oficias do esquadrão e meus colegas por isso”, disse.
 
A cerimônia foi marcada ainda por sobrevoos de 16 aeronaves T-27 Tucano, liderado por uma aeronave com pintura comemorativa alusiva aos 30 anos de emprego da aeronave na FAB. Esta foi a primeira vez que a pintura é apresentada ao público. Com início de emprego em 1983, o Tucano foi desenvolvido pela Embraer em parceria com a FAB com a finalidade de ser utilizado como avião de treinamento avançado dos Cadetes. De lá para cá, já foram mais de 500.000 horas de voo pela AFA e mais de 2700 cadetes aviadores que passaram por ela.
 
Após declarado aspirante-a-oficial, o jovem passa por um estágio de aproximadamente 28 semanas e, tendo concluído o estágio com sucesso, são promovidos a oficiais. O oficial, dentro das forças armadas, é o profissional com a responsabilidade de comando, direção e chefia. Isso significa dizer que estes jovens que se formam agora, provavelmente, no futuro, deverão dirigir as mais diversas unidades da Força Aérea Brasileira.

Os cursos. Após quatro anos de curso de formação na Academia da Força Aérea, os jovens se formam em dois cursos de nível superior, tornando-se bacharéis em Administração Pública e bacharéis em uma das especialidades: Ciências Aeronáuticas, com habilitação em Aviação Militar; Ciências da Logística, com habilitação em Intendência da Aeronáutica; ou Ciências Militares, com habilitação em Infantaria da Aeronáutica.
 
 Os aviadores são preparados à pilotagem militar, sendo fomentado o desenvolvimento do espírito combativo; os intendentes, ao desempenho de funções para gerir as atividades financeiras e logísticas das Organizações Militares da Força Aérea; e os infantes são formados para gerir as atividades desenvolvidas nas unidades de Infantaria, incluindo as tarefas de operações especiais, emprego de tropa, de autodefesa das organizações da Força Aérea e de defesa antiaérea.