03 de Dezembro, 2013 - 10:19 ( Brasília )

Aviação

O sistema Electronic Flight Bag é analisado por especialistas


O Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA) realizou nos dias 27 e 28 de novembro, um workshop para promover um intercâmbio de informações sobre o uso do sistema Electronic Flight Bag (EFB) a bordo das aeronaves. O sistema permite que a tripulação execute tarefas de gerenciamento de voo com mais eficiência e sem a necessidade do uso das publicações impressas.
 
O Diretor do Instituto, Coronel Aviador Ricardo Elias Cosendey, falou sobre o projeto de implementação da Navegação Baseada em Peformances (PBN, do inglês, Performance Based Navigation) nos terminais do Rio de Janeiro e de São Paulo. “O PBN representa uma mudança de paradigma para a navegação aérea brasileira, redesenhando e otimizando a estrutura dos trajetos de navegação”, afirmou.
 
Em sua apresentação, o Diretor Assistente de Segurança de Voo e Operações da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA), José Alexandre Tavares Fregnani, analisou a visão da IATA em relação ao uso do EFB na aviação comercial. Segundo Fregnani, existem três classes de hardware e três tipos de software. “No quesito hardware, o de Classe I é portátil, não prevê meios de fixação na aeronave e não pode ser acessado nos pousos e decolagens. Já o de Classe II possui um dispositivo de fixação e pode ser usado em todas as fases do voo. E o de Classe III é um produto aeronáutico completamente integrado. O equipamento troca dados com a aeronave, interligado com outros sistemas”, explicou ele.
 
Já o Gerente de Operações de Transportes Aéreos da Agência Nacional de Aviação Civil (ANAC), André Stock Hoffmann, explicou a regulamentação dos dispositivos eletrônicos portáteis a bordo das aeronaves. Ele destacou, inclusive, as classificações dos níveis de uso do iPad e como se encontra a certificação da operação desse equipamento.
 
Ao longo da programação, empresas especializadas em soluções de tecnologia da informação para a indústria aérea, que inclui fornecimento de aplicativos e sistemas de gerenciamento de documentos a bordo das aeronaves, também apresentaram seus produtos.
 
O representante da Empresa Brasileira de Aeronáutica (EMBRAER), Érico Sugahara Brum, falou sobre a “Operação do EFB no iPad”, como recurso para utilização da informação aeronáutica em formato digital a bordo das aeronaves. “A utilização de recursos eletrônicos no lugar dos manuais e documentos impressos é ecologicamente correto e implica em cortes de gastos com a carga morta. É a chamada Operação Paperless”, afirmou ele.
 
O Desenvolvedor das Soluções Web da Assessoria de Comunicação Social (ASCOM) do Departamento de Controle do Espaço Aéreo (DECEA), João Ximenes Brito, ressaltou a implantação do Sistema de Gestão de Fluxo de Tráfego Aéreo (SIGMA). "Esse sistema tem o objetivo de fazer a gestão de informações de tráfego aéreo, de plano de voo, do uso mais eficiente da capacidade instalada de aerovias e aeroportos, visando uma melhor distribuição do tráfego aéreo", diz.
 
O uso de informação aeronáutica em formato digital a bordo das aeronaves foi apresentado pelos representantes da Gol Linhas Aéreas. A instalação do EFB nas aeronaves é uma das metas a ser alcançada pela companhia aérea.
 
E a companhia Azul Linhas Aéreas, que recebeu certificação da ANAC para utilizar o sistema a bordo, apresentou a palestra “Experiência da Azul com EFB”. “O sistema fornece aos pilotos todas as informações necessárias durante o voo, conferindo mais segurança e navegabilidade”, esclareceu o Diretor de Qualidade e Segurança de Voo, Ivan Carvalho.
 
O Presidente da Comissão de Implantação do Sistema de Controle do Espaço Aéreo (CISCEA), Major-Brigadeiro do Ar Carlos Vuyk de Aquino, enfatizou a importância do encontro como troca de informações. “O DECEA está sempre preocupado em oferecer cada vez mais serviços de qualidade. É uma oportunidade de agregar esforços em conjunto na busca de soluções e alcançar uma evolução em nosso sistema”.