15 de Novembro, 2013 - 10:50 ( Brasília )

Aviação

FAB diz que CRUZEX 2013 marcou a integração entre países


Natal (RN), 13/11/2013 - Oito países, 15 meses de planejamento e 11 dias de operação. Noventa e duas aeronaves empregadas. Cerca de 4 mil militares brasileiros e mais 630 de nações-amigas. Foram 1240 horas de voo e 780 surtidas (investidas). Os números do CRUZEX Flight 2013, maior exercício aéreo da América Latina, divulgados na manhã de hoje, na Base Aérea de Natal (RN), pelo diretor desta sexta edição da iniciativa, brigadeiro Mário Luís da Silva Jordão, representam a grandiosidade da mobilização militar.

Organizado e coordenado pela Força Aérea Brasileira (FAB), o exercício contou com a participação de aviões e militares do Canadá, Chile, Colômbia, Equador, Estados Unidos, Uruguai e Venezuela, além do Brasil. Segundo Jordão, o CRUZEX trouxe a oportunidade de cooperação em atividades de mecânica e abastecimento, com "voos de altíssimo nível".

A ação teve início no último dia 4 e termina na próxima sexta-feira (15). Durante esse período, as Bases Aéreas de Natal e Recife (PE) receberam helicópteros, caças e aviões de transporte e abastecimento. Somente a FAB participou com 55 aeronaves. Foram realizadas atividades como voos de combate, circuitos de navegação a baixa altura e lançamento de pessoal, resgate e abastecimento em voo, infiltração, ataque e escolta.

De acordo com o brigadeiro Jordão, o maior desafio foi não interferir no tráfego aéreo comercial. "Fizemos um briefing com as companhias aéreas e elas entenderam e ajudaram. Portanto, não houve qualquer alteração", explicou.

Ao longo de sua apresentação, o diretor do CRUZEX detalhou os principais procedimentos explorados, as áreas utilizadas, bem como os modelos de aviões empregados. Estiveram presentes o comandante da FAB, brigadeiro Juniti Saito, e as principais autoridades das Forças Aéreas dos países envolvidos na missão.

Sobre o CRUZEX

O exercício Cruzeiro do Sul é uma operação aérea multinacional, sob o comando do Brasil, que acontece desde 2002. O objetivo é simular missões no ambiente de guerra moderna. Para Jordão, o maior aprendizado fica por conta dos pilotos, que absorvem novos conhecimentos e interagem com oficiais de outros Estados.

A sociedade civil também participou da atividade, por meio dos "Portões Abertos", realizado no último sábado (9), na Base Aérea de Natal. Na ocasião, estiveram expostas algumas das aeronaves utilizadas no exercício. Pilotos de diferentes países também estiveram no local e explicaram as características dos veículos, bem como puderam conhecer um pouco da população brasileira. Cerca de 30 mil pessoas passaram pela base neste dia.