02 de Março, 2011 - 13:00 ( Brasília )

Aviação

Sobe o preço do combustível de aviação

Querosene para aeronaves já subiu três vezes neste ano e é a principal fonte de despesa das companhias aéreas Petrobras descarta aumento na gasolina e no diesel, por ora; em meio a tensões no Irã, petróleo voltou a subir

PEDRO SOARES
CIRILO JUNIOR

A Petrobras reajustou ontem o querosene de aviação em 6,52%. O combustível subiu pela terceira vez neste ano e já acumula alta de 16,08%, segundo o sindicato das empresas aeroviárias.

A estatal confirmou o aumento, que sempre ocorre no primeiro dia de cada mês. Mas não informou o percentual de reajuste, dizendo se tratar de uma informação comercial e estratégica.

O combustível é a principal fonte de despesa das companhias aéreas e chega a representar de 30% a 35% do custo total das companhias.

No caso do querosene de aviação e de outros produtos (nafta, óleo combustível etc.), a Petrobras corrige os preços todos os meses.

É levada em conta a variação do próprio produto refinado e também do petróleo. O câmbio também é considerado na fórmula de reajuste.

O mecanismo usado para o querosene é diferente do da gasolina e do diesel, para os quais a Petrobras segura repasses imediatos de altas e quedas do petróleo e os alinha ao mercado externo no longo prazo. Nesses produtos, a Petrobras já está com seus preços defasados.

GASOLINA

A Petrobras descarta, por ora, ajustar os preços da gasolina e do diesel. O diretor Financeiro e de Relações com Investidores da estatal, Almir Barbassa, disse haver um movimento especulativo sobre o preço do barril. Para ele, a tendência é que, no médio prazo, haja um arrefecimento na cotação.

"Por isso, não há nada que justifique a tradução dessas variações para o mercado doméstico", afirmou Barbassa.

Na segunda-feira, o ministro Edison Lobão (Minas e Energia) admitiu que pode estudar um ajuste nos preços dos combustíveis se o preço do petróleo subir ainda mais.

PETRÓLEO

O preço do barril de petróleo voltou a subir ontem, em meio as tensões na África e no Oriente Médio, especialmente no Irã, onde houve confronto entre forças de segurança e manifestantes que pediam a libertação de dois líderes da oposição.

O WTI, negociado em Nova York, fechou a US$ 99,63, alta de 2,74% ante o fechamento anterior. Já o Brent, de Londres, subiu 3,24%, fechando a US$ 115,42.