15 de Outubro, 2013 - 15:03 ( Brasília )

Aviação

ECEMAR realiza 5°Jogo de Manobra de Crise


O Curso de Política e Estratégia Aeroespaciais (CPEA) realizou entre os dias 7 e 11 de outubro no Rio de Janeiro o Jogo de Manobra de Crise. Militares, acadêmicos e universitários da área de defesa participaram da quinta edição do exercício que treina militares para o mais alto nível de assessoria em situações de crise internacional.
 
 “O exercício é uma oportunidade para conjugar lições de estratégia, geopolítica e história em um único cenário”, explica o professor e pesquisador de segurança internacional, Marcelo Carreiro da Silva.
 
A necessidade da Força Aérea Brasileira (FAB) de realizar o treinamento está ligada ao conceito do “poder aeroespacial”. “A Força Aérea é responsável pela defesa aeroespacial. Mas não entramos sozinhos, a guerra é responsabilidade de todo Estado e também da sociedade. É com essa visão que jogamos a crise”, explica o Brigadeiro Maximo Ballatore Holland, comandante da ECEMAR.
 
Crise simulada
 
Durante a crise político-estratégica, uma disputa envolvendo terras indígenas deteriora as relações internacionais entre diversos “atores”, e os alunos são compelidos a se posicionar. Para os oficiais superiores do último posto das três Forças Armadas, esta é a última oportunidade de treinar esse tipo de situação. Após o curso, os oficiais irão conduzir as principais organizações militares do país.
 
Durante a crise, os alunos vão lidar com temas como a Amazônia brasileira, o emprego conjunto das Forças Armadas, imigrantes brasileiros, recursos naturais e o programaOficias-alunos durante o 5°Jogo de Manobra de Crise  ECEMAR Aeroespacial Brasileiro. O jogo também simula diferentes movimentos sociais. Todos esses fatores devem ser considerados durante a apresentação de uma proposta quanto ao uso ou não da força bélica. 
 
O treinamento ocorre em simulações de audiências públicas e coletivas de imprensa com um amplo embate de “forças” em busca do discurso mais adequado à sensibilização da opinião pública.
 
END
 
Elaborada pelo Ministério da Defesa, a Estratégia Nacional de Defesa (END) orienta o preparo e o emprego das Forças Armadas. O documento também prevê a formação e capacitação da doutrina militar e o convencimento de líderes e da opinião pública sobre assuntos de defesa – principal foco do 5° Jogo de Manobra de Crise.
 
A END está focada em ações estratégicas de médio e longo prazo, e objetiva modernizar a estrutura nacional de defesa, em três eixos: reorganização das Forças Armadas; reestruturação da indústria brasileira de material de defesa; e a política de composição dos efetivos das Forças Armadas.