21 de Setembro, 2013 - 10:30 ( Brasília )

Aviação

FAB atua na região de São Borja e simula retirada de tropas na Operação Laçador


A Força Aérea Brasileira (FAB) realizou, nesta quinta-feira (19/09), missão de ataque a supostos alvos inimigos na região próxima à cidade de São Borja, na fronteira oeste do estado do Rio Grande do Sul. O exercício simulado fez parte da Operação Laçador e não houve emprego de armamento real.

As aeronaves de ataque A-1 e A-29 Super Tucano, de defesa aérea F-5 e Mirage F-2000, de reconhecimento RA-1 e R-99 e o avião-radar E-99 participaram da missão. Além do ataque em conjunto, a aeronave de transporte KC-130 Hércules e os caças F-5 fizeram simulação de reabastecimento em voo (REVO) antes e depois da ação.

Aeronaves de ataque A-1 e A-29 Super Tucano, de defesa aérea F-5 e Mirage F-2000, de reconhecimento RA-1 e R-99 e o avião-radar E-99 participaram da missão.

FAB simula retirada de tropas

O Quinto Esquadrão do Oitavo Grupo de Aviação (5º/8º GAV), o Esquadrão Pantera da Força Aérea Brasileira (FAB), realizou, nesta quinta-feira (19/09), a exfiltração dos militares do Esquadrão Aeroterrestre de Salvamento (PARASAR) e dos Comandos do Exército Brasileiro. Na missão, foi simulada a retirada das tropas de um local determinado após a ação de ataque e destruição de um suposto radar inimigo.

Foram acionadas três aeronaves de asas rotativas H-60 Black Hawk. O primeiro helicóptero decolou, às 22h40, da Base Aérea de Santa Maria (BASM). Toda a ação foi feita com o auxílio dos óculos de visão noturna (Night Vision Google – NVG). O objetivo principal de ações como estas, quando realizadas por militares de Operações Especiais, é cercar, atacar e destruir o alvo inimigo.

Toda a ação foi feita com o auxílio dos óculos de visão noturna (Night Vision Google – NVG).