31 de Maio, 2011 - 09:55 ( Brasília )

Aviação

EUA viram duopólio de Embraer e Bombardier

Telegrama americano foi publicado pelo WikiLeaks

A disputa comercial entre Embraer e Bombardier, iniciada em meados dos anos 1990, só teve trégua após as fabricantes acordarem em dividir as encomendas, segundo telegramas secretos da diplomacia americana, publicados pelo site WikiLeaks.

A brasileira nega, e a canadense se recusa a comentar.

Desde 1996, Bombardier e Embraer, líderes na fabricação de aviões regionais, acusavam-se de usar subsídios indevidos dos seus governos.

A disputa, segundo documento de 2005 da embaixada americana em Ottawa, esfriou entre 2002 e 2003 devido ao acordo no qual "Bombardier e Embraer dividiram as principais encomendas da US Airways e da Air Canada".

O documento cita um negócio fechado em setembro de 2003 com a Air Canada. Outro telegrama, de 2003, afirmava que um pedido feito pela US Airways em maio daquele ano fora "dividido entre as duas fabricantes".

"Não faz o menor sentido. Não existe e nunca existiu acordo com a Bombardier sobre as vendas de aviões", diz Carlos Eduardo Camargo, diretor de comunicação externa da Embraer.

No caso da Air Canada, ele diz que a Bombardier vendeu 15 jatos, e a Embraer, 60. No caso da US Airways, ele não lembrava a divisão, mas disse que não foi "meio a meio".