31 de Julho, 2013 - 10:55 ( Brasília )

Aviação

VISITA DO PAPA – Serviço Regional de Proteção ao Voo coordenou aeronaves durante Jornada


Militares instalam equipamentos no Forte do Leme  Ten Enilton / Agência Força AéreaO Serviço Regional de Proteção ao Voo de São Paulo (SRPV-SP), órgão responsável pelo controle de tráfego aéreo na Terminal São Paulo e na Terminal Rio de Janeiro, deslocou equipes de coordenação de tráfego aéreo para o Forte de Copacabana (RJ), Residência de Sumaré e montou três Estações de Telecomunicações Aeronáuticas (rádio) em Aparecida (SP), no Riocentro (RJ) e no Forte Duque de Caxias (RJ), durante a Jornada Mundial da Juventude.
 
O SRPV-SP fez o planejamento para prestar informações aos pilotos de existência de outras aeronaves, obstáculos e meteorologia, além de coordenar pousos e decolagens de aeronaves de defesa, segurança pública, transporte aeromédico e de transporte de autoridades, nas localidades onde o evento aconteceu.
 
“A estrutura de Rádio é importante garantir a segurança das operações através de uma melhor coordenação com as aeronaves e da transmissão de informações precisas de vento e demais condições meteorológicas numa área em que há movimentos aéreos e a previsão de maior circulação de aeronaves”, afirma o Gerente do Projeto, Major Aviador Chrystian Ciccacio. Com a mudança das missas de Guaratiba para Copacabana, no Rio de Janeiro, uma equipe foi mobilizada para o Forte Duque Caxias, no Leme. Outra equipe coordenou todos pousos do Pontífice no Forte de Copacabana. 
 
O SRPV-SP mobilizou na operação militares dos Destacamentos de Controle do Espaço Aéreo (DTCEA) de São Paulo, Galeão, São José dos Campos, Guaratinguetá, Santa Cruz e Afonsos que além do serviço de tráfego aéreo reforçaram as salas AIS da região do Rio de Janeiro durante a visita do Papa.
 
De acordo com o Chefe do SRPV-SP, Coronel Aviador Fernando César da Costa e Silva Braga, todas as novas demandas de controle do tráfego aéreo são cuidadosamente avaliadas, o que inclui os grandes eventos no país. “Trabalhamos para assegurar o fluxo do tráfego aéreo e a segurança das operações não só neste evento. Foi assim na Copa das Confederações e estamos nos planejando para a Copa do Mundo e Olimpíadas”, ressalta o Coronel Braga.