13 de Maio, 2013 - 15:57 ( Brasília )

Aviação

PARBRA III – Infantaria realiza exercício de medida de controle no solo

Aeronaves do Esquadrão Onça figuram como aeronaves-alvo em exercício binacional

O Batalhão de Infantaria da Base Aérea de Campo Grande (BINFA/BACG), em aproveitamento às atividades aéreas do exercício PARBRA III, realizou, na quinta-feira (09/05) um treinamento das medidas de controle no solo, ao acompanhar o táxi da aeronave C-98 Caravan da Força Aérea Brasileira.

O objetivo da Medida de Controle no Solo (MCS) é manter a integridade da aeronave que realiza o pouso após a interceptação. No treinamento realizado pelo BINFA, os militares equipados com fuzis, capacetes, coletes balísticos e rádios para comunicação, abordaram a aeronave com a técnica necessária para garantir a segurança do local, dos militares e de supostos riscos à tripulação da aeronave.

De acordo com o Subcomandante do Batalhão de Infantaria da BACG, 1° Tenente Infantaria Julio Cesar Barcelos, as medidas são essenciais para, numa situação real, preservar a aeronave e sua carga para que a autoridade responsável faça as averiguações necessárias. “Fazemos este treinamento com freqüência com o militares e a realização da PARBRA III também é uma oportunidade para o exercício”, afirma.

Aeronaves do Esquadrão Onça figuram como aeronaves-alvo em exercício binacional

O Esquadrão Onça (1º/15º GAV) empregou os C-98 Caravan no exercício binacional PARBRA III, que mobilizou militares de várias unidades da Força Aérea Brasileira e da Força Aérea Paraguaia,realizada na última semana. As aeronaves figuraram como alvo no treinamento de pilotos de caça nas missões de interceptação realizadas pelos A-29 Super Tucano do Esquadrão Flecha (3º/3º GAV) e dos T-27 Tucano da Força Aérea Paraguaia.

A missão do alvo consiste em decolar da Base Aérea de Campo Grande (MS) com destino à cidade de Concepción, no Paraguai, simulando tráfego irregular. Ao cruzar a fronteira, a aeronave é interceptada pelos caças paraguaios. Na volta, o C-98 é interceptado pelos A-29 brasileiros. De acordo com o comandante do Esquadrão Onça, Tenente-Coronel Ricardo Feijó, a unidade aérea, que também opera a aeronave C-105 Amazonas costuma atuar nas mais diversas missões, como lançamento de cargas, UTI aérea, entre outros.