17 de Maio, 2011 - 10:09 ( Brasília )

Aviação

Emirates quer usar superjato no Brasil

Operação com o Airbus A380, o maior avião de passageiros do mundo, depende de adequações em Cumbica Infraero diz que tem mantido conversas com a Emirates para tentar viabilizar o voo com o avião até dezembro

Mariana Barbosa

A companhia aérea Emirates fez um pedido formal à Infraero para operar o superjato da Airbus, o A380, no aeroporto de Cumbica (Grande SP). A Folha apurou que o pedido foi feito há quase seis meses, mas a empresa ainda não obteve resposta formal.

Questionada pela reportagem, a Infraero disse que "tem dialogado com a companhia a fim de viabilizar o voo para dezembro".

Falou ainda que o aeroporto é capaz de receber aeronaves da categoria e que o horário pretendido pela Emirates "não compromete as atuais operações do aeroporto".

Com capacidade para acomodar de 525 a 853 passageiros, o A380 é o maior avião de passageiros do mundo. Além da Emirates, outras empresas que operam o superjato (Lufthansa, Air France e Singapore) também manifestaram à estatal interesse em operar os jatos no Brasil.

O pedido da Emirates foi acompanhado de um estudo de análise de risco e sugestões de procedimentos operacionais para receber o avião em Guarulhos.

Até a semana passada, porém, segundo a Folha apurou, técnicos da Infraero diziam que não era possível adaptar o aeroporto para receber o A380.

Já os técnicos da Anac (Agência Nacional de Aviação Civil) emitiram parecer preliminar favorável. O entendimento é que o aeroporto comporta um A380 com segurança e em conformidade com regras internacionais, desde que a Infraero faça algumas adequações.

ÁREA DE MANOBRA

As adequações não demandam obras nem exigem grandes investimentos. Como o superjato tem uma envergadura (distância da ponta de uma asa à outra) de 60 metros e a pista de Guarulhos tem 45 metros de largura, na hora do pouso seria preciso interditar uma das pistas de manobra para que o avião possa taxiar com segurança.

Também seria preciso demarcar com pintura uma área próxima à ocupada hoje por sucatas da Vasp -que serviria para abrigar o A380 durante o tempo em que ficar estacionado entre a chegada e a partida do voo
.

Técnicos da agência também acreditam que é possível agilizar a fila de passaporte para acomodar mais de 600 passageiros de uma só vez. Pelos cálculos da agência, uma gestão mais eficiente das filas e das posições de passaporte poderia aumentar a capacidade em 20%.

A Emirates opera hoje um voo diário de São Paulo a Dubai com um Boeing 777-300ER. Com 354 passageiros, o voo tem taxa de ocupação superior a 90% e a empresa quer substitui-lo pelo A380.
Além desse voo, a Emirates lança, no início de 2012, um voo diário ligando Dubai ao Rio de Janeiro.