COBERTURA ESPECIAL - America Latina - Geopolítica

02 de Novembro, 2012 - 09:40 ( Brasília )

Chávez indica seu ministro da Defesa como candidato


O presidente da Venezuela, Hugo Chávez, apresentou em 29 de outubro seu ministro da Defesa e colaborador próximo, General Henry Rangel Silva, como candidato ao governo do estado de Trujillo (oeste) nas eleições regionais de dezembro.

O governante disse que Rangel Silva será substituído pelo comandante da Marinha, Almirante Diego Molero Bellavia.

O presidente da Assembleia Nacional, Diosdado Cabello, fez o anúncio em uma entrevista coletiva e explicou que agora o ex-ministro substituirá Hugo Cabezas que, em princípio, optaria por sua reeleição para o governo de Trujillo mas que, em 28 de outubro, pôs seu cargo à disposição de Chávez.

“Sabemos que (Rangel Silva) glutinará toda a força revolucionária neste estado”, disse Cabello, acrescentando que o partido teve que “convencer” o militar reformado a assumir a candidatura.

Chávez, que foi reeleito no pleito do dia 7 de outubro passado para seu terceiro mandato, nomeou Rangel Silva ministro da Defesa no dia 6 de janeiro de 2012, o qual é acusado pelos Estados Unidos de ter vínculos com a guerrilha das Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia (FARC) e com o tráfico de drogas.

Em consequência destas acusações, em 2008 o Departamento do Tesouro dos Estados Unidos congelou os bens de Rangel Silva, então diretor do serviço de inteligência venezuelano nesse país.

Apesar dos indícios, Chávez manteve seu apoio ao militar. Em 2010 ele o promoveu a general em chefe, o grau militar mais alto na Venezuela, dias depois de ter declarado, em uma entrevista, que os militares estavam “casados” com o projeto político do presidente, a quem juravam “total lealdade”.

Face às eleições regionais de 16 de dezembro, vários membros do gabinete lançaram suas candidaturas pelo PSUV, como o ex-vice-presidente Elías Jaua, o ex-ministro do Interior e Justiça, Tareck El Aissami, a ex-ministra dos Povos Indígenas, Nicia Maldonado, postulando os governos de Mirante (norte), Aragua (norte) e Amazonas (sul), respectivamente.