COBERTURA ESPECIAL - America Latina - Aviação

25 de Setembro, 2019 - 09:50 ( Brasília )

Unidades da FAB recebem visita de comitiva da Força Aérea do Peru

Militares estiveram na Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica e no Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea

Coronel Luiz Gustavo Schenk, Daisy Meireles, Tenente Elias E Coronel Santana

A Escola de Comando e Estado-Maior da Aeronáutica (ECEMAR), localizada no Rio de Janeiro (RJ), recebeu, no dia 11 de setembro, a visita de uma comitiva da Escola Superior de Guerra Aérea (ESFAP) da Força Aérea do Peru (FAP). Eles assistiram a uma explanação sobre a estrutura curricular dos cursos e as atividades acadêmicas desenvolvidas pela Escola, especialmente a implantação das metodologias ativas de aprendizagem.

Os 33 Oficiais, chefiados pelo Subdiretor da ESFAP, Coronel Marco Renato Solari Vigo, e acompanhados pelo Adido Aeronáutico da FAP no Brasil, Major-General Jose Antonio Redhead Lazzarini, foram recepcionados pelo Coordenador Acadêmico da ECEMAR, Coronel Engenheiro Carlos Roberto de Oliveira Zapff.

O Major José Aguedo Lopez Lavalle, da FAP, e instrutor da ECEMAR, apresentou, ao final, os exercícios operacionais simulados realizados pelos oficiais-alunos de Nações Amigas que realizam o Curso de Comando e Estado-Maior (CCEM). A comitiva conheceu as instalações da ECEMAR e visitou também o Museu Aeroespacial (MUSAL), sendo recebida pelo Comandante da Universidade da Força Aérea (UNIFA), Major-Brigadeiro do Ar José Isaias Augusto de Carvalho Neto.

“É muito interessante a forma como vocês trabalham aqui. Temos oficiais do Peru presentes no curso da ECEMAR, assim como oficiais do Brasil em nosso país. O objetivo dessa visita é compartilhar conhecimentos acadêmicos”, destacou o Coronel Solari.

CGNA

No dia anterior (10/07), a comitiva do Peru visitou o Centro de Gerenciamento da Navegação Aérea (CGNA). Os oficiais foram recepcionados pelo Comandante do CGNA, Coronel Aviador Sidnei Nascimento de Souza, que deu um briefing sobre a atuação do CGNA no cenário do controle do espaço aéreo brasileiro.

O A-CDM (modelo de tomada de decisão colaborativa), que está diretamente ligado às medidas de fluxo de tráfego aéreo e resulta em melhor previsibilidade e planejamento dos movimentos, tanto no aspecto estratégico quanto no tático, foi um dos assuntos expostos pelo Comandante do CGNA. O Coronel Sidnei falou, também, sobre o SIGMA (Sistema Integrado de Gestão de Movimentos Aéreos) e o aplicativo FPL BR, ferramenta para a elaboração, validação, envio e atualização dos dados do plano de voo pela internet.

Foi explanada, ainda, a ação que consiste em aumentar a capilaridade na distribuição de órgãos para transplante no Brasil, por meio da disponibilização de voos e facilitação de todas as etapas envolvidas no processo de transporte aéreo de órgãos a serem transplantados. "O tempo de preservação dos materiais orgânicos é um fator contribuinte para o sucesso dos transplantes", explicou o comandante do CGNA.

O Coronel Solari agradeceu a explanação sobre o controle do espaço aéreo brasileiro. "Ficamos impressionados como o Brasil consegue ter uma vigilância constante dos 22 milhões de Km2 sob sua responsabilidade. Estamos contentes pela oportunidade de conhecer o Sistema de Controle do Espaço Aéreo Brasileiro e levar esse conhecimento para o Peru", enfatizou.

Fotos: Sargento Aguiar / Fábio Maciel



Outras coberturas especiais


PCC - Gangues

PCC - Gangues

Última atualização 11 NOV, 16:16

MAIS LIDAS

America Latina