COBERTURA ESPECIAL - America Latina - Aviação

24 de Outubro, 2016 - 14:05 ( Brasília )

Colômbia pedirá explicações à Venezuela por incidente com avião comercial


O Ministério da Defesa da Colômbia afirmou neste sábado que pedirá explicações à Venezuela pelo incidente com um avião da companhia aérea Avianca, que supostamente foi abordado por uma aeronave militar do país vizinho quando sobrevoava seu espaço aéreo.

O ministro da Defesa, Luis Carlos Villegas, falou sobre o problema com seu colega venezuelano, Vladimir Padrinho, e depois solicitou que o Ministério das Relações Exteriores da Colômbia pedisse à Venezuela as "explicações correspondentes".

O incidente ocorreu ontem, quando um Boeing 787 da Avianca que fazia o trajeto entre Madri e Bogotá, com 248 passageiros a bordo, foi abordado por uma aeronave militar da Venezuela. Ambas estiveram tão próximas que quase houve colisão.

A tripulação do avião colombiano se comunicou com Bogotá para informar sobre a presença de outra aeronave a seguindo tão de perto que o piloto da Avianca ativou o sistema TCAS (sigla em inglês para sistema de alarme de tráfego e evasão de colisão).

Villegas disse que o incidente ocorreu às 19h10 locais de ontem, quando o Sistema de Vigilância e Alerta Antecipado da Força Aérea Colombiana detectou o avião da Avianca. "Da mesma forma, detectamos na mesma oposição outra aeronave com condições similares de voo a curta distância do avião comercial", explicou.

O Centro de Comando e Controle da Força Aérea Colombiana fez chamados contínuos ao Comando de Defesa Aeroespacial da Venezuela, mas só obteve resposta às 21h30. Os venezuelanos informaram que se tratava de uma aeronave militar que fazia missão de navegação.

Avianca retoma voos para Venezuela neste domingo¹

A companhia aérea colombiana Avianca informou que retomará neste domingo (23) os voos "partindo de e com destino à Venezuela", após o anúncio feito neste sábado (22) sobre sua suspensão.

A suspensão foi decidida depois que um avião militar desse país se aproximou de um voo comercial da empresa.

"Depois dos esclarecimentos, entre os governos de Colômbia e Venezuela, sobre o incidente (...), a Aeronáutica Civil da Colômbia autorizou a retomada das operações a partir de e para a Venezuela", indicou a Avianca em um comunicado, acrescentando que serão reiniciados "os voos Bogotá-Caracas-Bogotá e Lima-Caracas-Lima, a partir deste domingo 23 de outubro".

A companhia já havia reduzido bastante as frequências de voos com a Venezuela, devido a problemas cambiais com o país vizinho.

O incidente aconteceu na sexta à noite (21), quando, durante um voo da Avianca, detectou-se no espaço aéreo venezuelano a presença "a curta distância" e por quatro minutos de um avião desse país, relatou o governo colombiano neste sábado.

Hoje, a Colômbia pediu explicações à Venezuela.

Segundo um comunicado do Ministério da Defesa, a Força Aérea Colombiana detectou, às 19h10 (22h10, horário de Brasília), em território venezuelano, o avião da Avianca AVA011, que cobria a rota Madri-Bogotá.

"Da mesma forma, o Sistema detectou na mesma posição outra aeronave com similares condições de voo a curta distância do avião comercial", acrescenta o comunicado.

Às 19h14 locais (22h14, Brasília) - completa o texto -, "a aeronave que voava próximo ao avião da Avianca tomou rumo norte e se afastou".

O Ministério da Defesa explica que, duas horas depois, as autoridades venezuelanas responderam a "contínuos chamados" colombianos, informando "que se tratava de uma aeronave militar venezuelana em missão de navegação".

¹com AFP