COBERTURA ESPECIAL - America Latina - Naval

25 de Junho, 2015 - 17:00 ( Brasília )

Marinha do Chile celebra o Mês do Mar


English version

Holger Alava


A Terceira Zona Naval da Marinha do Chile fez uma série de exercícios, incluindo o resgate simulado de um homem no mar, como parte da celebração do Mês do Mar em maio.

Centenas de civis enfrentaram o frio intenso em 17 de maio para assistir à exibição. Unidades navais usaram um helicóptero e barcos de resgate para simular o salvamento de um homem que havia caído ao mar na Região de Magallanes e Antártica chilena. O Punta Arenas, um navio de serviços gerais que pode atingir a velocidade máxima de 45 quilômetros por hora, prestou apoio logístico enquanto nadadores altamente treinados da Marinha resgatavam o homem.

“Os chilenos sabem do profissionalismo da nossa Marinha. Por isso, sempre que há demonstrações de operações ao longo das cidades costeiras, (. . .) as pessoas comparecem apesar das baixas temperaturas e apreciam um espetáculo único quando nossos navios de guerra e nossas unidades militares exibem suas capacidades”, disse o Capitão de Fragata Felipe Otey, Chefe de Operações da Terceira Zona Naval da Marinha do Chile, a Diálogo . “As operações navais e marítimas feitas pela Marinha Chilena, 365 dias por ano e de forma simultânea em todo o país, ocorrem onde a maioria das pessoas não pode vê-las – no mar ou em zonas de difícil acesso. Cientes dessa complexidade geográfica, a instituição realiza esses exercícios para a comunidade.”

A Marinha organizou o evento para homenagear o papel dos primeiros navegadores que atravessaram o Estreito de Magalhães e destacar a presença vital da Marinha Chilena na região. Os festejos do Mês do Mar celebram os atos heróicos do Capitão de Corveta Arturo Prat Chacon, que comandou a corveta de madeira Esmerelda durante a Batalha de Iquiqui, integrante da Guerra do Pacífico. Após quatro horas de violentos combates em 21 de maio de 1879, o monitor peruano Huáscar afundou a Esmerelda. Durante o confronto, Prat Chacon, de acordo com alguns historiadores, avançou na direção do barco inimigo em um ato de bravura e patriotismo. Prat Chacon foi morto.

Homenagem à história e às capacidades modernas da Marinha do Chile

Além de celebrar a história da Marinha do Chile, as atividades do Mês do Mar mostram suas modernas capacidades.

“A Marinha do Chile tem um plano de treinamento intenso em que unidades de superfície, aéreas e terrestres operam em conjunto para aumentar e melhorar suas capacidades em todo o país”, disse o CF Otey. “Esses tipos de exercícios dão apoio aos treinamentos contínuos da Terceira Zona Naval, fortalecendo as habilidades de navegação nas áreas do sul e a capacidade de operar conjuntamente com unidades aéreas e terrestres, a fim de realizar sua missão de defender o território marítimo do sul e proteger a vida humana no mar.”

Além do treinamento de resgate no mar, a Marinha simulou um combate costeiro e um desembarque anfíbio.

Primeiro, a população civil testemunhou um bombardeio simulado da região costeira realizado pela LM Casma, uma unidade de combate equipada com armamento moderno e sofisticado e operada por uma equipe de 47 integrantes da força naval. O exercício mostrou como os navios da Marinha atacariam o território inimigo.

Em outro exercício, o Destacamento de Infantaria Marinha No. 4 Cochrane executou um desembarque anfíbio, gerando aplausos e gritos do público. A demonstração simulou um desembarque em uma costa hostil para coletar informação e criar uma manobra para desviar a atenção do inimigo e ajudar na evacuação de pessoal e equipamento.

Após as simulações, o evento terminou com um desfile naval liderado pela Unidade de Patrulhamento Oceânico IPO Marinero Fuentealba, recentemente incorporada à Terceira Zona Naval e construída pelo estaleiro Astilleros y Maestranzas de la Armada (ASMAR). A Marinha utiliza o barco para patrulha, proteção de recursos naturais e combate à poluição marinha, bem como para a assistência em missões em regiões isoladas.

Fuzileiros navais comemoram aniversário

Cerca de um mês após os eventos pelo Mês do Mar, em 16 de junho, a Marinha do Chile festejou o 197o aniversário da fundação dos Fuzileiros Navais com um ato em Fort Aguayo, em Concón, com a presença do Comandante-em-Chefe da Marinha, Almirante de Esquadra Enrique Larrañaga.

“São 197 anos de uma cultura, um estilo e uma tradição particulares”, disse o Comandante dos Fuzileiros Navais, Almirante de Esquadra David Hardy. “Nossas atividades de treinamento ainda exigem o posicionamento de forças anfíbias nos teatros do sul e do norte. Cobrimos missões em todas as zonas navais; formamos forças de defesa da costa no norte e no sul do país, e proporcionamos nossa excelente equipe da Marinha.”

Os Fuzileiros Navais realizaram a cerimônia pelo aniversário da Terceira Zona Naval na Unidade Marítima No. 4 Cochrane, a unidade operacional mais meridional dos Fuzileiros Navais.

“Graças ao treinamento rigoroso, desempenhamos diversas funções de forma eficiente e segura, entre elas o apoio à comunidade em caso de desastre e a participação em operações de paz e em trabalhos humanitários de desminagem”, diz o Capitão de Fragata Gian Cuneo, do DIM Cochrane.