COBERTURA ESPECIAL - Mão Amiga - Terrestre

18 de Outubro, 2019 - 10:55 ( Brasília )

Mão de obra especializada garante celeridade em obras do Sistema de Engenharia do Exército no Sul do Brasil


Está a todo vapor a execução do maior empreendimento do Sistema de Engenharia do Exército Brasileiro na atualidade. Trata-se da duplicação da BR-116, no estado do Rio Grande Sul, que vai melhorar o acesso ao Porto de Rio Grande (RS), desafogando o tráfego intenso na rodovia, principalmente em épocas de escoamento da produção agrícola.

Batizada de Operação Guaíba, a duplicação da Rodovia BR -116 está a cargo do 1º Batalhão Ferroviário (1º B Fv), organização militar localizada na área jurisdicionada da 5ª Região Militar (5ª RM) e subordinada ao 4º Grupamento de Engenharia. A requalificação da rodovia contempla o trecho entre os municípios de Guaíba e Tapes (RS), que equivale a 50,8 quilômetros de extensão, e está orçada em cerca de 207 milhões de reais.

Seleção de Recursos Humanos

Para dar conta do serviço, foi necessário demandar uma grande estrutura logística de material e pessoal. Nessa missão, o 1º B Fv contou com o apoio da Seção de Serviço Militar da 5ª RM, responsável pela seleção da mão de obra especializada para a operação. A seleção dos profissionais foi feita por meio dos Avisos de Convocação para Seleção ao Serviço Militar Temporário de n° 18, de 31 de outubro de 2018, e o de nº 2, de 7 de junho de 2019.

Profissionais altamente qualificados foram selecionados para dar pronta resposta aos anseios do governo federal e entregar uma obra com excelência na sua execução, qualidade técnica no planejamento e responsabilidade administrativa no emprego dos recursos financeiros.

Em março, 15 especialistas foram incorporados ao 1º B Fv, entre eles, engenheiros civis com especialidade em obra de arte especial e segurança do trabalho; técnicos em estrada, edificação, solo e CAUQ (Concreto Asfáltico Usinado a Quente); e operadores de motoniveladora e trator de esteira. No último mês, 13 novos militares assumiram o posto de motorista habilitado na categoria “C”. Atualmente, está sendo empregado, diretamente na obra, um efetivo de aproximadamente 260 militares.

Andamento da Obra

A terraplenagem, que envolve a remoção de grandes volumes de material, cortes, aterros e regularização da plataforma, aos poucos vai dando passagem para as equipes de pavimentação que, num trabalho árduo e contínuo, avançam para cumprir seu objetivo. Até o momento, foram lançadas no leito da rodovia cerca de nove mil toneladas de concreto asfáltico, o que corresponde, nessa primeira etapa da obra, a sete quilômetros de pavimento concluído.

O 1º Batalhão Ferroviário já mobilizou várias frentes de trabalho para serem vencidas dentro do prazo previsto, que é de aproximadamente três anos.


VEJA MAIS